A ode de Fagner à Florbela

| 10 agosto 2017 | |
Fagner é um renomado artista brasileiro, aclamado por gerações que apreciam música de qualidade e seus versos apaixonados são cantados por uma legião de apaixonados por suas canções. Seu amor pelas letras se reflete em alguns de seus trabalhos, verdadeiras odes à poesia, e nesse post falo em especial de sua relação com a obra de Florbela Espanca, uma das minhas poetas preferidas...



Em 1981 Fagner lança o álbum Traduzir-se, um de seus discos mais conceituados. O cantor musicou o poema Fanatismo, publicado em 1923, na obra Livro de Sóror Saudade

Fanatismo

Minh'alma, de sonhar-te, anda perdida
Meus olhos andam cegos de te ver!
Não és sequer razão de meu viver,
Pois que tu és já toda a minha vida!

Não vejo nada assim enlouquecida...
Passo no mundo, meu Amor, a ler
No misterioso livro do teu ser
A mesma história tantas vezes lida!

Tudo no mundo é frágil, tudo passa...
Quando me dizem isto, toda a graça
Duma boca divina fala em mim!

E, olhos postos em ti, vivo de rastros:
"Ah! Podem voar mundos, morrer astros,
Que tu és como Deus: princípio e fim!..."



No ano seguinte, ele lança o álbum Sorriso Novo, trazendo mais uma vez a poesia de Florbela musicada em duas faixas: Fumo e Tortura, sendo a primeira encontrada no Livro de Sóror Saudade e a segunda no Livro de Mágoas, publicado em 1919.

Fumo

Longe de ti são ermos os caminhos,
Longe de ti não há luar nem rosas;
Longe de ti há noites silenciosas,
Há dias sem calor, beirais sem ninhos!

Meus olhos são dois velhos pobrezinhos
Perdidos pelas noites invernosas...
Abertos, sonham mãos cariciosas,
Tuas mãos doces plenas de carinhos!

Os dias são Outonos: choram... choram...
Há crisântemos roxos que descoram...
Há murmúrios dolentes de segredos...

Invoco o nosso sonho! Estendo os braços!
E ele é, ó meu amor pelos espaços,
Fumo leve que foge entre os meus dedos...



Tortura

Tirar dentro do peito a Emoção,
A lúcida Verdade, o Sentimento!
– E ser, depois de vir do coração,
Um punhado de cinza esparso ao vento! ...

Sonhar um verso de alto pensamento,
E puro como um ritmo de oração!
– E ser, depois de vir do coração,
O pó, o nada, o sonho dum momento ...

São assim ocos, rudes, os meus versos:
Rimas perdidas, vendavais dispersos,
Com que eu iludo os outros, com que minto!

Quem me dera encontrar o verso puro,
O verso altivo e forte, estranho e duro,
Que dissesse, a chorar, isto que sinto!! 


No ano 2000, em comemoração aos seus 50 anos, o cantor incluiu em suas faixas bônus o Soneto L Charneca em flor, e no álbum Raimundo Fagner ao Vivo, ele ainda musica o poema Chama Quente.


Chama quente

Gosto de ti apaixonadamente
De ti, és a vitória, a salvação
De ti, que me trouxeste pela mão
Até o brilho desta chama quente.

A tua linda voz de água corrente
Ensinou-me a cantar... é essa canção
Foi ritmo nos meus versos de paixão
Foi graça no meu peito de descrente.

Bordão a amparar minha cegueira,
Da noite negra o mágico farol,
Cravos rubros a arder numa fogueira!

E eu, que era no mundo uma vencida,
Ergo a cabeça ao alto, encaro o sol!
Águia real, apontas-me a subida!



Postagens relacionadas:



Florbela Espanca, poeta portuguesa

Os versos de Florbela na voz de Fagner são uma verdadeira ode a beleza. Este post é dedicado aos apaixonados pela música, aos poéticos e aos que deliram de amor...

10 Comentários:

O Outro Lado da Raposa Says:
15 agosto, 2017

Bacana o post. Eu não conheço as músicas do artista, mas dá para reconhecer a poesia nas letras.
O post ficou bem completo.

www.ooutroladodaraposa.com.br

Yasmim - Blog Literarte Says:
15 agosto, 2017

Olá, tudo bom? :)
Eu sou apaixonada por música, mas nunca parei pra ouvir nada dele (acho). Gostei muito das suas indicações e fiquei encantada com as letras das músicas! Vou procurar mais! Obrigada pelo post!!
Beijos, Yasmim.

Blog: http://literarte.blog.br/

Lara Torch Says:
15 agosto, 2017

Bem interessante esse tópico sobre esse cantor brasileiro, bastante informativo e cultural, gostei

Jennifer Silva Says:
16 agosto, 2017

Que post lindoo! Adorei as poesias e me encantei mais ainda quando elas foram cantadas pelo Fagner. São versos muito belos e tão envolventes que irei procurar mais poesias da Florbela. Bjss!

Déborah Says:
16 agosto, 2017

Val, Florbela é uma das poucas poetisas que realmente gosto.
Estou encantada e chocada de saber que o Fagner musicou esses poemas dela.
Adorei!

Vivianne Sophie Says:
16 agosto, 2017

Olá,

Que post lindo, realmente um homem para ser lembrado e com músicas maravilhosas.

Abraços,
Cá Entre Nós

Karina Rezende Says:
16 agosto, 2017

Oii, tudo bem?
Amo música e já conhecia Fagner porque meus pais gostam bastante de suas músicas. Sem dúvida as letras são lindas, carregadas de sentimentos. Obrigada pelas dicas.
Beijos!
Páginas Empoeiradas

Haise Says:
16 agosto, 2017

Acho a voz dele linda e ainda não tinha parado para escutar todas as músicas, vou dar uma olhada!

Beatriz Andrade Says:
16 agosto, 2017

Eu não conhecia a Florabela, mas vou procurar outros poemas dela. Eu não me lembro de já ter ouvido alguma música dele, mas achei muito interessante e cantar as poesias dela.

Book Obsession Says:
17 agosto, 2017

Olá!
Não fazia ideia de que esse trechos de poemas eram parte da inspiração de Fagner em suas canções. Conheço um pouco de suas músicas mas curti conhecer mais.
Achei muito bacana sua postagem!
Beijos!

Camila de Moraes

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...