A beleza do Crepusculário de Neruda...

| 18 julho 2017 | |
 "Amor, desfaz o ritmo da minha água tranquila."

Vencedor do Prêmio Nobel de 1971, Pablo Neruda é a grande voz poética do Chile.  Crepusculário foi o seu primeiro livro de poesia escrito. A obra, publicada pela coleção de bolso da L&PM Editores traz a produção poética de Pablito dos seus 16 aos 19 anos, originalmente publicado em 1923.

O título sugere um clima espiritual, místico com os elementos da natureza. A métrica da poesia pós-simbolista permite um ritmo cadenciado em seus versos, rememorando lembranças e devaneios, num ambiente que exala melancolia e suavidade, com um quê de onírico...

O germe de sua poesia está contido nesta edição bilíngue. A natureza, cosmos e o amor tocam o íntimo do poeta  e este se debruçou sobre folhas amareladas presenteando o mundo com seus versos... Sua poesia possui um ar de penumbra, tão comum nas poesias que marcaram o final do século XIX e início do século XX. 

Dentre suas influências na escrita, podemos destacar Ruben Darío, poeta nicaraguense, Santos Chocano, seu predecessor na visão anti-americana e politica, natural do Peru e Walt Whitman, americano. Temos também influência marcante do uruguaio Carlos Sabat Ercasty. 

Pablo foi intenso durante sua passagem nessa terra. E sua intensidade se reflete nos versos que nos legou, levantou bandeiras ideológicas, foi amante, apaixonado e dono de uma poesia digna de ser apreciada pelas mentes mais sensibilizadas com a arte da poética. A poesia de Neruda, tal como o brilho do Crepúsculo, é chama que jamais apaga...

"Pode-se encontrar a poesia das coisas
ou não pode condensar minha vida?
Ontem - olhando o último crepúsculo -
eu era a mancha de musgo entre umas ruínas."



13 Comentários:

Morgana Brunner Says:
19 julho, 2017

Oiii Maria tudo bem?
Que incrível essa sua postagem menina, eu gosto muito de livros assim, e nunca tive oportunidade de ler algo do Neruda, gostei do trechinho que pegastes.
Beijinhos

Marcia Lopes Says:
20 julho, 2017

Olá1
Conheço algumas poesias de Neruda, porém, nunva li nada dele. Valeu a dica!

Amanda Says:
20 julho, 2017

Adorei a dica, nunca li muitas coisas do Neruda, mas preciso. Achei muito bom que você falou sobre metrificação, eu também amo observar essas coisas em um poema. O trecho que cê citou me chamou atenção, anotei a dica.


Beijos,
Livros que Li

Shayanne Aguiar Says:
20 julho, 2017

Oi,
Adorei o seu post, e sei que o Pablo Neruda é extremamente conhecido pelo enorme talento que ele tem. Estou com um livro dele aqui em casa para ler, só me falta coragem e vergonha na cara kkkk

Sandra Mendes Says:
20 julho, 2017

Hey, Maria!

Sensacional!
Eu amo Pablo Neruda! <3
Ainda não li esse livro dele, mas já está nos meus desejados há algum tempo. Futuramente eu vou ler, com toda certeza.

Beijos!

Roberta Gouvêa Says:
23 julho, 2017

Oi Val, tudo bem?
Eu conheço o autor, mas nem tinha ouvido falar dessa obra dele. Fiquei bem curiosa, pois realmente parece ser uma obra bem intensa. Vou anotar aqui! Beijos <3

Mari Says:
23 julho, 2017

Li algumas coisas do Pablo Neruda, mas realmente sai bastante da minha zona de conforto. Por isso mesmo, pretendo tentar ler mais de suas obras.
Beijos
Mari
www.pequenosretalhos.com

Falkner Moreira Says:
23 julho, 2017

Ei, que surpresa linda encontrar alguém falando de Pablo Neruda <3 no meio de tantos livros no mainstream, acho ótimo ver que os clássicos latinos continuam vivos, ainda mais na blogosfera! Gostei de saber que ele tem edição bilíngue por aqui, darei uma procurada

Cia do Leitor Says:
24 julho, 2017

Olá!
Não conhecia Pablo Neruda, creio que pelo fato de ele escrever poemas. Não sou apreciadora de poemas, sorry. No entanto admiro quem ler e parabenizo por isso.
Bom, ao menos agora conheço o autor e sua obra. :)
Abs
Nizete
Cia do Leitor

Jéssica Melo Says:
24 julho, 2017

Olá Maria, adorei sua resenha, apesar de ler pouca poesia tenho muita vontade de ler essas do Pablo Neruda *-*

Andy Nantes Says:
25 julho, 2017

Oi!
Ainda não conhecia essa obra e mesmo lendo raramento livros de poemas e poesias eu fiquei interessada pela obra, valeu a dica!

Abraços

Karine Fernandes Says:
31 julho, 2017

Bem interessante sua resenha e a forma como nos apresentou a obra, mas tenho que confessar que não é um gênero que me atraia em nada. Então deixarei essa dica passar, obrigada.

Michele Lopez Says:
02 agosto, 2017

Olá,
Amo acompanhar as postagens do seu blog!
Você diz que Neruda teve uma passagem brilhante por esta terra e que ele conseguiu passar sua intensidade através das palavras. Em sua resenha consigo ver tamanha a intensidade e também os sentimentos que ele despertou em você e isso é lindo de ver.
Ainda não tive nenhum contato com a escrita do autor pelo fato de não me arriscar muito na poesia, mas objetivo no futuro conhecer.

LEITURA DESCONTROLADA

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...