Traz teu amor para mim e outros contos...

| 15 junho 2017 | |
Em Traz teu amor pra mim e outros contos, publicado pela Livros da Raposa Vermelha temos o prazer de ler três contos de Charles Bukowski, ilustrados pelo talentoso Robert Crumb. São 3 histórias que retratam o dia a dia de personagens fracassados, viciados em álcool, presos em empregos medíocres e relações fracassadas. 

Os contos são ambientados no período da Grande Depressão americana, quando a queda da bolsa de Nova York em 1929 levou à falência inúmeros empresários, causando a demissão em massa de milhares de empregados. Com as ruas tomadas de filas em busca de um prato de sopa com pão, os valores econômicos reduzidos a insignificância e pessoas anteriormente ricas se suicidando em meio à bancarrota, Bukowski nos apresenta personagens marginalizados, que já não possuíam boas expectativas antes, e com um cenário desolador desses, pouco se mexem para mudar suas vidas...

O primeiro conto é sobre um homem que vai visitar sua mulher numa clínica, provavelmente louca ou em tratamento psiquiátrico, paranoica por achar que o marido está comendo putas em algum lugar quando não a está visitando... Ela tem noção de que não vai melhorar, embora o médico afirme o contrário, e tenha dito que ela sairia dali logo... 

"- Alô?
Era Gloria.
- Você está comendo alguma puta?
- Gloria, eles deixam você ligar tão tarde assim? Não te dão um remédio pra dormir ou algo do gênero?
- Por  que você demorou tanto tempo pra atender o telefone?
- Você nunca dá um barro? Eu estava no meio da cagada, você me interrompeu bem no meio de uma campeã.
- Claro que interrompi... Vai terminar isso aí depois de me convencer e desligar o telefone?
- Gloria, foi essa sua maldita paranoia aguda que pôs você onde está.
- Cabeça de peixe, a minha paranoia sempre foi a anunciadora de uma verdade que se aproxima."
Em Não tem negócio conhecemos Manny Hyman, que há muito deixa a desejar no palco de um salão onde trabalha para entreter o público, já cansado das mesmas piadas sem graça... Seu empregador dá um ultimato: ou ele melhora o show ou será substituído por alguém mais novo. Me parece uma crítica do autor ao show business, em que novos rostos surgem tomando o lugar daqueles que acabam relegados a uma condição de ostracismo...

"As pessoas sabem que o mundo é uma merda! Elas querem esquecer isso."
Encerrando o curto livro nos deparamos com o conto Bop Bop contra aquela cortina. É sobre um grupo de amigos que visitam um clube de strip tease. São indivíduos que buscam simples diversão, da melhor maneira que podem, em virtude de suas condições marginalizadas em meio a pobreza...

As circunstâncias em que se encontram os personagens dos contos são de lástima e revelam o lado cruel da sociedade em mantê-los em tais condições degradantes... a sociedade do 'american way of life' que alçava às alturas os vencedores e execravam os que ficavam à margem, os outsiders sociais...

O traço característico das ilustrações de Robert Crumb forma uma combinação perfeita com a escrita suja de Bukowski, mesclando-se bem a selvageria de seus riscos com os diálogos bem construídos do escritor... Traz teu amor pra mim foi o resultado de uma bela e grotesca combinação estética entre conto e imagem...





15 Comentários:

Dayane Frazão Says:
18 junho, 2017

adorei a resenha
quero muito ler o trecho que colocou me arrancou risos kkk
bjs

Mari Says:
18 junho, 2017

Não é, definitivamente, o tipo de leitura que eu gosto, mas achei bem interessante o momento escolhido para se ambientar os contos.
Beijos
Mari
www.pequenosretalhos.com

Blog Dois Pernods Says:
18 junho, 2017

Acho que corro o risco de me apaixonar pela obra! Adorei isso: "As pessoas sabem que o mundo é uma merda! Elas querem esquecer isso."

Blog Dois Pernods Says:
18 junho, 2017

Acho que corro o risco de me apaixonar pela obra!

Adorei isso aqui: "As pessoas sabem que o mundo é uma merda! Elas querem esquecer isso."

Livreando Says:
18 junho, 2017

Olá Maria,
Adorei saber mais sobre a obra e resumo dos contos. Confesso que não é uma leitura que me atrai no momento, mas gostei de saber sua opinião sobre ela.
Bjim!
Tammy

Book Obsession Resenhas Says:
19 junho, 2017

Olá!
Confesso que nunca li nada do Charles Bukowski e morro de vontade de conhecer alguns de seus textos. Talvez não iniciaria com essa obra, já que não é só dele pelo que entendi, mas também não posso negar que a obra parece de uma qualidade impressionante.
Já se fosse optar pela capa, acho que passaria batido.
É sempre bom poder aprender mais de outros gêneros com vcs.
Beijos!

Camila de Moraes.

Marcia Lopes Says:
19 junho, 2017

Olá!
Eu já trechos, frases de Bukowski, mas nunca li um livro dele (VERGONHA)
Tenho aqui em e-book O Amor é um Cão dos Diabos e sempre vou deixando para trás.
Achei a resenha interessante, mas preciso conhecer a literatura dele para opinar com um pouco de propriedade .
Bjs

Carmem Oliveira Says:
25 junho, 2017

Olá, tudo bem?
Para começar amei o visual e o nome do seu blog.E esse corvo se mexendo é muito legal! Quanto ao post, fiquei interessada na história dos personagens, as situações deprimentes as quais se encontram e o traço das ilustrações me deram mais vontade ainda de ler! *u*

Klenda Pessoa Says:
25 junho, 2017

Gosto muito de contos e esse me chamou muita atenção, gostei muito da resenha me deixou bastante curiosa.

Liliana Silva Says:
25 junho, 2017

Olá!
Não conhecia o livro nem o autor, mas fiquei muito curiosa para conhecer, vou procurar o livro!
Parabéns pela sua resenha!!
Beijos

Bruno Marukesu Says:
26 junho, 2017

Oi, Maria ^^
Tenho muita vontade de ler algo de Bukowski para confiar o seu talento em criar enredos bizarros.
Tal antologia de contos me chamou atenção no que diz a época em que os personagens se encontram. A Grande Depressão chocou o mundo e ver um autor abordar sobre pessoas que ninguém dava a mínima ou muito menos sofreram com a maldita depressão me mostra que Bukowski gostava de representar os esquecidos.
Amo imagens bizarras é só posso dizer que a capa dessa antologia é maravilhosa!!!
Parabéns pela resenha, Maria.
Bjs

Fabrica dos Convites Says:
26 junho, 2017

Oi Maria, não conhecia o livro, mas fiquei interessada, ainda mais por este último conto.
Bjs, Rose.

Catrine Vieira Says:
26 junho, 2017

OOi Maria Valéria!
Confesso que o gênero passa longeee da minha zona de conforto, ainda assim, tenho bastante curiosidade para conhecer a escrita desse autor, que sempre vejo falarem sobre. :) Como disse, a temática não é algo que curto muito, porém, confesso que até acho interessante. Por isso, daria uma chance se tivesse a oportunidade de lê-lo. :)

Grazi Moraes Says:
27 junho, 2017

Oie amore,

Adoro contos, e esses ainda não conhecia, mas fiquei bem curiosa.
Só não curto muito essa coisa de outras épocas mas acho que vale a pena me aventurar.
Adorei a resenha, parabéns!!!
Beijoka!

Faby Souza Says:
27 junho, 2017

Olá Val, tudo bem?
Poxa preciso ler essa obra.
O livro parece um arraso e a sua resenha está maravilhosa. Não conhecia a obra,mas é claro já anotei a sua dica. O fato de tratar o amor do ponto de vista de pessoas em dificuldades, pessoas que parecem mais reais do que aquelas dos livros de romance que estamos acostumados a ler já me conquistou
Beijos

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...