Do amor e outras tragédias...

| 12 junho 2017 | |
Tomei a liberdade de parafrasear o título do post me inspirando em García Márquez... Hoje é o Dia dos Namorados e as pessoas buscam ler e ver filmes que tenham histórias de amor que, mesmo com uma carga gigantesca de drama - possam culminar em final feliz, no velho clichê 'e foram felizes para sempre.' Escrevo esse texto inclusive ao som de I will always love you, da Whitney Houston... Mas os amores que procuro nos livros que leio vão contra essa maré de 'mocinha que bota o bad boy nos trilhos depois que se descobre o amor'; os amores que leio nos livros e que me impactam profundamente são aqueles de fim trágico, os proibidos e efêmeros, os intensos e que não acontecem em cada esquina... protagonizados por personagens que sequer seriam considerados pares perfeitos. É dessa 'imperfeição' ou 'desvio de conduta' moralmente inaceitável que venho falar sobre hoje, enquanto ao fundo toca I wish it would rain down, de Phil Collins. [se você já viu a letra, nada mais apropriado...]...


Em Último tango em Paris dois desconhecidos que sequer sabem os nomes um do outro compartilham dentro de um apartamento de paredes mofadas cenas de sexo tórrido e diálogos escatológicos. Ela tem um noivo e está prestes a entrar num casamento insosso, ele perdeu a esposa recentemente para o suicídio, e acumula umas duas décadas de vida a mais que a impetuosa Jeanne... Com adaptação para o cinema, não ficou livre às críticas e censuras ferrenhas, bem como à polêmicas de cunho sexual... Mas com relação à obra escrita, é um dos romances mais 'impactantes' que já tive o prazer de [re]ler... e tem um lugar de destaque na estante, na vida e no coração... 


Perdas e Danos é sobre uma relação imoral perante o conservadorismo social. Uma nora e seu sogro, encontros furtivos e explosivos. Tragédias familiares, mortes, escândalos, ardor. Nada importa quando ambos se tocam. O desejo beira o doentio, e o destino dessa relação caminha a passos largos para o precipício... mas quão tentador é o que eles compartilham que vale a pena todo o sacrifício?


Em Nove e meia semanas de amor - história real, bom frisar - Elizabeth era uma mulher poderosa nos negócios, bem-sucedida, mas encontra na pele de um desconhecido um caminho de prazer que ela jamais havia sentido na vida... A condição de submissa a qual se entrega em busca de sensações inéditas e perigosas é o que move sua vida a partir do encontro com Ele [a quem ela nunca denomina no livro]... O final da história deixa um oco no peito e um choro contido na garganta... 


A insustentável leveza do ser é [também] sobre a leveza de ser quem você é e de não se entregar completamente a um único amor. Em meio ao contexto político da República Tcheca nos anos 1960, se desenvolve a trajetória de Tomas e Tereza e Sabina, e Franz. A existência perde seu peso. Características da personalidade de um mesclam-se a de outro, fraquezas do outro entremeiam-se em outro ainda... Através da escrita maravilhosa de Milan Kundera, acompanhamos os [des]amores dessas quatro almas, perdidas e inseridas num ambiente social opressivo e que encontram no sexo e no despudor um alívio para o peso de suas vidas...


O que me [co]move nos romances é o trágico, o que desde o início se fada ao fim. O efêmero que se eterniza. O que choca. Impacta. O bem escrito. O outsider literário que os românticos de plantão tendem a se escandalizar. As histórias que vão contra o insosso que é a vida - erroneamente idealizadas como perfeitas e desejadas na vida real. Prefiro os espinhos às flores. São neles que enxergo a [triste e poética] beleza das paixões humanas... 


Encerro o post ao som de Right Here Waiting, de Richard Marx... isso sim é puro clichê... desses não me abstenho... 




22 Comentários:

Aline Furtado Says:
13 junho, 2017

Olá!
Apesar de ser fã do bom e velho "felizes para sempre", também gosto muito de histórias trágicas, proibidas e afins.
Assisti 9 1/2 semanas de amor e gostei bastante, tenho o livro aqui e pretendo ler em breve. Os outros livros/filmes citados ainda não conheço, mas já ouvi falar e tenho muita curiosidade de conhecer, ainda mais sob esse contexto do seu post, que por sinal, está ótimo!
Beijos.

Fabrica dos Convites Says:
13 junho, 2017

Oi Maria, realmente estes amores tem mais haver contigo, pelo menos do que costumo ler em suas resenhas. Eu particularmente gosto dos finais felizes, mas gostos destes não tão felizes também. Na verdade, gosto de romances e ponto final.
9¹/² semans de amor já vi nem sei quantas vezes, adoro!
Bjs, Rose.

Josy Souza Says:
13 junho, 2017

Belíssima postagem, é uma ótima seleção para os amantes do tema. Eu, por outro lado, fico com o meu romance mais água com açúcar mesmo hahah
Beijos

Morgana Brunner Says:
14 junho, 2017

Normalmente sempre procuro esses não tão felizes...o clichÊ ultimamente de felizes para sempre está tão comum em todas as obras que chega a me deixar vazia, sem saber o que será da nossa literatura, gostei das dicas e vou querer ler com toda certeza.
Beijinhos

Mari Says:
14 junho, 2017

Não são filmes que costumo assistir, mas sempre achei alguns desses clássicos muito interessantes.
Beijos
Mari
www.pequenosretalhos.com

Maria Cecilia Says:
14 junho, 2017

Oii
Adorei esse post, mas infelizmente não é o tipo de livro para mim, ainda não me interesso e não leio livro desse gênero, mas adorei seu post, sou fã de romance, mas romance mais adolescente.
Abraços;**
http://FebredeLivro

Faby Souza Says:
14 junho, 2017

Olá Val, tudo bem?
Menina se o seu post fosse uma peça de teatro eu aplaudiria de pé. Adorei a forma como você fugiu do comum e fez um post digno de um prêmio. Confesso que faço parte to team #EViveramFelizesParaSempre cheio de clichês Ainda não li as obras que você citou, mas é uma questão de tempo agora,
Parabéns pelo post
Amei

No Conforto dos Livros Says:
15 junho, 2017

Olá!! :)

Devo dizer que sinceramente gostei da tua abordagem e por te teres aberto assim ao publico!! :) Muito bem a serio!

Ate a forma como escreveste esta publicação me agradou!

Boas leituras!! ;)
no-conforto-dos-livros.webnode.com

Livreando Says:
15 junho, 2017

Gosto dos dois gêneros, afinal, não podemos viver constantemente entre os espinhos e nem entre as flores, é necessário o meio termo. Para mim, o dia 12 vai mais para o lado das flores mesmo, é como um hiato renovador no meio de todas as curvas diárias.
Bjim!
Tammy

Livros em Retalhos Says:
15 junho, 2017

Não gosto desses livros, sou mais adepta ao felizes para sempre, gosto de sonhar com príncipes, pois a vida já tem drama o suficiente, nos livros prefiro sonhar...Bjs

Anna Caroline Says:
15 junho, 2017

Oi Maria, tudo bem?
Dos listados acima só tive a oportunidade de ler "A insustentável leveza do ser" e tenho que dizer: Que livro! Não acho que nenhum autor tenha descrito tão bem e de forma tão sincera o sentimentos dos personagens como Milan Kundera, está entre as melhores leituras que realizei.
Mesmo sendo adepta as histórias com finais felizes, também gosto das que trazem o trágico e o mais próximo da realidade, é sempre bom deparar com dicas do tipo.
Beijos

Paty Souza Says:
16 junho, 2017

Oi.
Já conhecia todos os citados, mas nunca dei a menor atenção. Nove e meia semanas de amor me interessou por ser uma história real, e não dispenso histórias reais...ele está na lista de leituras há tempos.
Beijos

Tamara Padilha Says:
16 junho, 2017

oi, bacana seu post, não gosto de romances escandalosos, mas gosto dos trágicos, e sempre choro um monte com um livro dramático. gostei muito da seleção musical.

Karine Fernandes Says:
17 junho, 2017

Infelizmente eu sou do lado de *felizes para sempre" gosto de histórias clichês, mas achei seu post muito interessante e bem diferente. Parabéns.

Beijos

Maria Luíza Lelis Says:
17 junho, 2017

Oi, tudo bem?
Já tinha ouvido falar de todos esses títulos, mas o único que tive algum contado foi "Perdas e Danos", que comecei a assistir na Netflix. Confesso que achei bastante entediante e nem terminei de ver. Dos demais, o único que me interesso é "A insustentável leveza do ser".
De qualquer forma, achei interessante você trazer indicações diferentes do padrão "viverão felizes para sempre" que vemos por aí.
Beijos!

Catharina M. Says:
18 junho, 2017

Olá
Perdas e danos eu comcei a ver mas não terminei, porém, achei bem diferente e interessante de ser analisado. Quero muito ver Nove e meia semanas de amor, parece ser muito bom

beijos
http://realityofbooks.blogspot.com.br/

Tahis Says:
19 junho, 2017

Olá Maria!
Sou fã de clichês, e do Felizes para sempre, mas também gosto desses amores impossíveis, amores conturbados rs' gosto de finais trágicos também, só não leio muito. Mas adorei seu texto, muitos desses romances acontecem nos dias de hoje, mas as pessoas não sabem e se sabem, fingem que não sabem haha.. adorei conhecer esses amores e quero conferir " Perdas e Danos" que foge totalmente do que leio.

beijos!
https://blogdatahis.blogspot.com.br/

Lê Lendo Lido Says:
19 junho, 2017

Oi
Menina do céu, nunca vi nenhum desses filmes. Até me senti uma ET agora. Vou dar um jeito de atualizar minha vida! hahahaha
Quero muito ver Último Tango em Paris.
Bjus

Ana Paula Medeiros Says:
19 junho, 2017

Oi! É esse amor "imperfeito" que deixa a maioria das histórias marcantes. Embora goste também dos clichês de final feliz, me pego bem contente em uma leitura de romance trágico.
De todos os títulos citados só sabia que A Insustentável Leveza do Ser havia sido inspirado no livro, mas foi bom descobrir dos demais para adiciona-los à minha lista:)

Vivianne Sophie Says:
20 junho, 2017

Olá,

Ainda não tinha assistido esse filme, mas sua crítica me deixou bem interessada, com certeza vou dar uma chance.

Paac Rodrigues Says:
23 junho, 2017

Lendo seu post eu só lembrava de ninfomaníaca, adoro aquele filme e seu post fez sentido agora kkkk (piada interna) kkk. Adorei e fiquei instigada a ver os filmes, conheço alguns por nome, mas nunca tive o prazer de assistir.

Debyh Says:
25 junho, 2017

Olá,
Acho que nunca vi nenhum dos filmes. E tenho que dizer que quero demais ouvir essa playlist.

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...