Cantiga pra não morrer - Ferreira Gullar

| 13 junho 2017 | |
"Quando você for se embora,
moça branca como a neve,
me leve.

Se acaso você não possa
me carregar pela mão,
menina branca de neve,
me leve no coração. 

Se no coração não possa
por acaso me levar,
moça de sonho e de neve,
me leve no seu lembrar. 

E se aí também não possa
por tanta coisa que leve
já viva em seu pensamento,
menina branca de neve,
me leve no esquecimento.

Moça de sonho e de neve, 
me leve no esquecimento, 
me leve."



7 Comentários:

Célia Guimarães Says:
17 junho, 2017

Oi, tudo bem? Achei essa cantiga bem profunda. Me fez lembrar de A menina que roubava livros.
Obrigada por compartilhar conosco essa cantiga. beijos

Mari Says:
18 junho, 2017

Amei essa cantiga, achei a maneira como as palavras foram utilizadas muito legal.
Beijos
Mari
www.pequenosretalhos.com

Livreando Says:
18 junho, 2017

Uma linda Cantina que traz em seus versos certa tristeza da separação. Assim como a vontade de permanecer. Adorei.
Bjim!
Tammy

Morgana Brunner Says:
18 junho, 2017

Que postagem maravilhosa Maria, fiquei encantada de tanta beleza e ao mesmo tempo tanto sentimentalismo, adorei a foto que escolheste.
Beijinhos

Fabrica dos Convites Says:
19 junho, 2017

Oi Maria, esta do Ferreira Gular eu não me lembrava. Uma bela postagem, obrigada por compartilhar.
Bjs, Rose.

Gleyse Vieira Says:
19 junho, 2017

Olá, bem sombria essa cantiga. Gostei da criatividade e poesia da letra, mas não consegui imaginá-la musicada. Bjs

Lilian Farias Says:
20 junho, 2017

que lindo, Val, e digo mais, sei que vai me entender, é necessário trazer literatura para os blogs de literatura.

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...