"Deixai toda esperança, ó vós que entrais!" Inferno. A divina Comédia [Dante Alighieri]

Páginas

11

Almanaque Pernambucano dos Causos, Mal-assombros e Lorotas

Pernambuco é  conhecido - dentre outras características - por sua vasta cultura popular. A oralidade cultuada ao longo de séculos desde sua fundação evoca mitos que enriquecem [ainda mais] o nosso folclore. 

Lendas de fantasmas são recorrentes nestas bandas, ainda mais contadas em noites sem energia elétrica, nas cidades do interior do estado ou mesmo nos becos escuros da capital. Roberto BeltrãoRúbia Lóssio resolveram compilar algumas dessas lendas e causos no Almanaque Pernambucano dos Causos, Mal-assombros e Lorotas, publicado pela Editora Massangana da Fundação Joaquim Nabuco...

O livro é dividido em doze partes, e cada uma delas representa determinado tipo de história para cada mês do ano. O Almanaque surgiu a partir do projeto intitulado Lendas na tela: da história oral à história digital, elaborado pelo Núcleo de Estudos Folclóricos Mário Souto Maior. As narrativas presentes nesse livro foram documentadas a partir de pesquisas e levantamentos realizados em várias cidades do estado. Há, inclusive, uma história sobre minha cidade natal e outra da cidade em que moro [Carpina e Paudalho, respectivamente]... 


Do Sertão a Fernando de Noronha, passando pelas margens do Capibaribe e do Rio São Francisco, o imaginário popular prova que mesmo em tempos atuais, de tecnologia e redes sociais, ainda existe certo fascínio em ler sobre tais causos, principalmente para aqueles [como eu] que cresceram ouvindo sobre os mal-assombros em rodas de conversa até as altas horas, sentindo medo da Perna Cabeluda, da loira do banheiro e de Cumadre Fulozinha...

"É uma visão  mais nostálgica do que assustadora, lembrança espectral de épocas passadas e românticas."

Ricamente ilustrado por Fabio Rafael, o livro conta com várias referências a obras que foram utilizadas a fim de tornar a pesquisa ainda mais interessante... Botijas, serpentes encantadas, locais assombrados por fantasmas famosos por aqui [Riacho do Prata, Cruz do Patrão, etc] , além de criaturas pertencentes ao folclore dão o ar de sua graça... São engenhos, lagoas e cemitérios amaldiçoados, casos curiosos que foram publicados em folhetins, testemunhos de pessoas que supostamente tiveram contato com tais seres do além, tornando o livro indispensável para aqueles que apreciam o assunto...

A obra tem um quê de linguagem coloquial e preceitos embasados na filosofia cristã, devido as aparições que tenham relação com o diabo e castigos/maldições perpetrados como sendo punições por desobediência dos costumes religiosos. É natural encontrar tais características na oralidade dessas histórias, contadas e vivenciadas desde os anos 1940-1970... Essa particularidade contribui para melhor compreensão do pensamento da época, embasado em sua maioria no Divino/Profano.
"Um caso muito parecido é contado pelos moradores do município de Carpina, na Zona da Mata de Pernambuco. Uma certa menina muito desobediente desrespeitou a mãe que lançou-lhe a maldição. Então, nas noites de lua cheia, ela virava cabra, deixando os vizinhos com medo assim que ouviam os berros e barulho de chocalho."

Há também relatos de causos já contados em épocas mais antigas e lugares distantes do Brasil... Certamente devido ao fato dessas histórias se espalharem como pólvora no popular 'boca-a-boca', de geração a geração, sofrendo algumas intervenções que se adequem a cultura de onde está sendo contada... Exemplos como o da mulher de branco que pede carona, do lobisomem, do 'papa-figo' ou cabras que são animais que tem pacto  com o demônio... Boa parte delas remonta a lendas da Idade Média...

"gosta mesmo é de comer criancinhas. [...] quanto mais desobediente for o pirralho, mais chances tem de virar refeição da Cabra-Cabriola."

Em suma, Almanaque Pernambucano é uma leitura que remete a saudosismo, sabedoria antiga e tradição oral. Na falta de rodas ao pé da janela em noites escuras para se apreciar e arrepiar com esse tipo de história, nada como uma noite chuvosa e fria, em que o silêncio da madrugada faça eco aos seus medos mais escondidos...


11 Comentários:

Beatriz Andrade

Embora não seja um tipo de livro que eu esteja acostumada a ler, eu fiquei curiosa com ele e a maneira que ele apresenta esses mitos. Sou um pouco (muito) medrosa mas acredito que a leitura desse livro não me deixaria assim tão assustada.

Angélica Lima

Oi, tudo bem?
Causos sempre me lembram do meu avô, que quando vivo amava contar e tinha de vários cantos do país!
O livro é bem interessante e eu fiquei com vontade de lê-lo! Espero ter oportunidade!
Bjs

Book Obsession Resenhas

Olá!
Achei interessante a obra apesar de não ter costume de ler sobre esse gênero!
Gosto bastante de ler livros com linguagem coloquial, me atrai muito pra leitura.
Espero poder ler um dia essa obra.
Beijos!

Camila de Moraes.

Lilian Farias

Aprendi sobre História de trancoso em PE, aliás, aprendi muita coisa em PE hehehehehehe mas me ipela cultura do estado, a literatura e principalmente, a poesia. Quando você falou do livro, Renê saltitou aqui em casa, ele sempre fala da Cumadre Fulozinha

Kris Oliveira - Conversas de Alcova

Oi Val, esse é um livro que eu quero ter. Inclusive essa capa ai me lembra um causo muito velho que acho que todo mundo já ouviu, kkkkk Sempre me lembro de algumas dessas histórias e sorriu, tenho certeza que essa leitura deve ser um belo sopro de nostalgia.
Só de ver algo de Carpina em um livro fico animada, pense num lugar chato, mas que eu amo e morro de saudade. KKK
Beijoos

Isabela Castro

Também sou bastante medrosa, mas acredito que não ficaria assustada com esse livro. Pois, como você falou, ele me lembrou das histórias contadas quando criança, loira do banheiro, quem nunca ouviu essa?! rs Existia um certo prazer mórbido em contá-las, ouvi-las e compartilhar o medo com os coleguinhas. Haha
Beijos

Livros & Café

Oi.

Tenho medo de praticamente tudo, acho que não tem uma pessoa mais medrosa que eu na vida. Não conhecia este livro, mas ele parece ser bem interessante. Não faria a leitura agora, mas algum dia no futura talvez.

Cidália Maria Milani

Esse livro é muito importante para o enriquecimento da cultura popular. Lembrei do meu pai que gostava de contar alguns causos, nas noites frias, em volta do fogão a lenha. Bateu uma saudade!! Ótima sugestão de leitura!
Beijo.

Sara Kerolen

olá *-*

adorei a resenha *-* , fiquei curiosa com ele mas sou medrosa =/ kkk acho que se eu fosse ler não iria no banheiro de noite KKKKKK mais em fim adorei a resenha parabens .

Bjsss

Juliana França

Gosto muito do seu blog porque sempre trás leituras diversificadas.

Faces em Livros

Sim! Nossa cultura é rica em lendas sejam urbanas ou rurais. A quem adentre na cidade, principalmente nos sítios, e contem suas estórias e suas experiências sobrenaturais. Amo o povo nordestino e por ele mato e morro. Postagem incrível.

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...