Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...





"Deixai toda esperança, ó vós que entrais!" Inferno. A divina Comédia [Dante Alighieri]

Páginas

6

12 Meses de Poe - Poemas [The Sleeper - A adormecida]

A adormecida - The Sleeper

I.
À meia-noite, ao sexto mês
A áurea lua em minha tez.
De sua orbe um vapor
Exprime orvalho em torpor,
Pingando suave ali perfaz,
No topo da montanha, paz.
Dormente esta névoa vem
Enquanto cobre o vale além.
À cripta pende o alecrim
E os lírios sobre o mar carmim,
Neblina envolve o busto teu,
Ruína que repousa ao breu;
O lago, afim a Lete o rio,
O léu, alerta, assumiu,
Do sono então jamais saiu.
As Belas dormem! – vê! Jazer,
Irene, tua Sina sê!

II.
Amada! Podes me assentir
P’ra noite a janela abrir?
O ar alegre e fugaz
Por copas verdes tranças faz –
O ar etéreo, em carretel,
Perpassa por teu mausoléu,
Enleia o véu de ondas em
Espasmos – temerosos – bem
Acima do tenaz caixão
Que encerra ali teu coração,
Tal como assombrações em gris,
As sombras perambulam vis.
Querida, não temeis o mal?
Quais são teus sonhos, afinal?
Pois de país distante vens
E toda atenção reténs!
Estranha a tua alvura é,
Estranhas mechas tens, até
Estranha é a tua fé!

III.
Que a dama possa repousar,
Seu sono o céu a vigiar
E profundo venha a ficar!
O leito torna-se um calvário
E o mausoléu um santuário.
Que para sempre, eu peço a Deus,
Cerrados olhos sejam teus
A os fantasmas camafeus!

IV.
O meu amor a repousar,
Os vermes sobre ti passar
E teu descanso aprofundar!
Floresta adentro, que algum
Jazigo, belo, incomum,
Suas portas abra para ti
E que, imponente, possa ali,
Zelar por ti sob os umbrais
De familiares ancestrais.
De sua infância o que restou
Foi a memória que bradou
Das muitas pedras que jogou
Na porta que jamais irá
Algum ruído ecoar lá.
Criança, sabes que a voz
Dos mortos é um som atroz.



6 Comentários:

Gleyse Vieira

Oi Val, mais Poe para nossa alegria. Adoro esses poemas mais sombrios dele. E sempre fico pensando em voltar a ler mais de suas histórias. Obrigada por nos proporcionar esse encontros. Bjs

Lilian Farias

gosto do tom sombrio descrito nos textos de Poe, uma amor que parece que vem da lama, da metamorfose dos bichos.

Michele Lopez

Olá,
Esse é o meu primeiro contato com os escritos de Poe e confesso que gostei bastante desse ar sombrio que apresentam.
Adorei a postagem e a oportunidade que ela me concedeu. Se não fosse por ela, desconheceria completamente Poe.

LEITURA DESCONTROLADA

Folheando Sonhos Por Juliana França

Não curto muito poema. Vou passar a dica :)

Livros em Retalhos

Eu gosto de poemas, mas eu não gosto muito desse tom sombrio, gosto de poemas mais românticos, mas foi bom ter um contato mesmo que breve com um autor tão aclamado.

Rayanni kellsin

Olá, tudo bem?
Eu adoro poemas, e os do Poe são um amorzinho com esse toque sombrio!
Estudei muito sobre esse Rei e aprendi a adorar sua escrita.
Um beijo.

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...