O erotismo expurgado de Anaïs Nin...

| 21 fevereiro 2017 | |









 "Era a amante seduzida pelo obstáculo e o sonho."










Há 114 anos,  em 21 de Fevereiro de 1903, nascia a escritora francesa Anaïs Nin. Ainda na infância se instalou em Nova York com a família. Passou o resto da vida entre a América e o Velho Mundo. Escreveu ensaios, críticas, traduções. Deixou obras de ficção e diários, nos quais relatou seus amores,  estudos, devaneios e anseios...

Seus diários só foram publicados em 1966. Seu amante Henry Miller - também escritor - notou a riqueza de tais documentos e estimulou Nin a torná-los públicos. Tais documentos permitiram compor um retrato de Paris no período em que foram escritos, principalmente no entre-guerras e da Nova York pós-segunda guerra mundial.

Nin foi precursora de ideias libertárias sobre a mulher e o sexo. Foi amiga de escritores como D. H. Lawrence, Antonin Artaud e Jean Cocteau. Henry e June foi sobre seu romance com Miller. Em 1977, aos 73 anos, falece em Nova York, onde viveu os últimos anos de sua vida...

Certamente uma das autoras que influenciam minha existência, Anaïs Nin foi um tesouro encontrado na primavera de alguns anos atrás... e de lá para cá, venho grifando seus textos, me identificando em seus trechos, me deleitando em sua escrita... Como hoje seria seu aniversário, resolvi falar um pouco [mais] sobre ela...

Separei abaixo algumas quotes da sua rica obra... E espero sinceramente que eu consiga 'tocar' alguém com elas... 


"Angústia era uma mulher sem voz gritando num pesadelo." 

"Ela se sentia prisioneira dos imensos maxilares de seu desejo, sentia-se dissolver, arrancada. Sentia que se entregava à sua fome sombria, com os sentimentos ardendo,subindo de dentro como fumaça de uma massa negra." 

"Lilian era como um mar espumante,encrespando o naufrágio, os destroços de suas dúvidas e medos." 

Trechos do livro Fome de Amor, publicado no Brasil em 1981...



"Naquele lugar, o viver era gradual, orgânico, sem descidas ou subidas vertiginosas."
"Não observou que a quietude dela já era em si uma forma de ausência." 
"O que sobrava era apenas um traje; estava empilhado no chão do quarto dele, vazio dela."
"Era terrivelmente doce ficar nu na presença dela."
Trechos de Uma espiã na casa do Amor, publicado em 1959.



"Ela sabia que ele estava olhando para o sexo dela, sob o pelo muito preto e cerrado, e finalmente abriram os olhos e sorriram um para o outro. Ele estava entrando no estado de êxtase, mas teve tempo de reparar que ela estava em estado de prazer também. Pôde ver a umidade cintilante aparecer na boca do sexo dela." A Fugitiva.

"Ele é extravagante, viril, animal, opulento. É um homem a quem a vida embriaga, pensei. É como eu." Henry e June.

"Às vezes ela podia ouvir os próprios ossos estalando ao erguer as pernas acima dos ombros, podia ouvir a sucção dos beijos, o som de gotas de chuva nos lábios e línguas, a umidade espalhando-se no calor da boca como se estivessem comendo uma fruta que se desmanchava e dissolvia." Delta de Vênus




8 Comentários:

Débora Costa Says:
22 fevereiro, 2017

Eu não conhecia essa autora, confesso, mas sua história me interessou bastante. Vou pesquisar mais sobre ela.

http://laoliphant.com.br/

Rayanni kellsin Says:
22 fevereiro, 2017

Nossa, não conhecia a autora, mas adorei conhece-la!
Muito interessante as obras, vou procurar saber mais.
Um beijo.

Isabela Castro Says:
22 fevereiro, 2017

Oiê! Também não me lembro de conhecer essa autora e confesso que erótico não é meu gênero favorito. Mas gostei da escrita dela, vou dar uma olhada nos títulos que você indicou.
Beijos

Angélica Lima Says:
23 fevereiro, 2017

Oi, tudo bem?
Não conhecia a autora (nem o amante), mas achei o trabalho dela bem interessante, quem sabe um dia tenha a oportunidade de ler.
Bjs

Pensamento Literario Says:
23 fevereiro, 2017

Oi!!!Tudo bem?

Conheço a autora e sei como essa é bem impactante, entretanto mesmo conhecendo suas obras nunca li. Eu sei da sua história , das criticas, polêmicas e preciso experimentar sua escrita para ver se amo ou odeio. Bela homenagem, beijos!

Lilian Farias Says:
24 fevereiro, 2017

Val, quero todos esses livros dela que tem na tua estante, li muito pouco, na faculdade, agora, quero mais, ler com calma, quero que o livro seja meu ^^

Catharina M. Says:
27 fevereiro, 2017

Oie
poxa, que lindo que foi tão importante para você conhecer essa mulher, gostei do pouco que li e com certeza irei pesquisar mais, muito lindo seu post

beijos
http://realityofbooks.blogspot.com.br/

Morgana Brunner Says:
01 março, 2017

Oiii Maria, tudo bem garota?
Confesso pra ti que não conhecia e desde que vi algumas publicações suas no facebook sobre isso fiquei encantada, espero um dia poder ler ago assim e gostar, muito criativa a sua postagem.
Beijinhos da Morgs!

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...