12 Meses de Poe: A queda da Casa de Usher

| 27 janeiro 2017 | |


Em 1839, pela primeira vez era publicado o conto A queda da casa de Usher, de Edgar Allan Poe. Eis o conto que inicia a segunda fase do Projeto #12mesesdePoe.







The Fall of the house of Usher [no original] tem início com um narrador desconhecido [tipico dos contos do autor] chegando a casa de seu amigo, que há muito não via, Roderick Usher. Antes mesmo de reencontrar o dono da propriedade, o narrador já percebe uma atmosfera lúgubre e melancólica nos arredores da mansão e a cada minuto a sensação pesada se acentua...

"Contemplei a cena que tinha diante de mim - a simples casa, a simples paisagem característica da propriedade, os frios muros, as janelas que se assemelhavam a olhos vazios, algumas fileiras de carriços e uns tantos troncos apodrecidos - com uma completa depressão de alma, que não posso comparar, apropriadamente, a nenhuma outra sensação terrena, exceto com a que sente, ao despertar, o viciado em ópio, com a amarga volta à vida cotidiana, com a atroz descida do véu. Era uma sensação de coisa gelada, um abatimento, um aperto no coração, uma aridez irremediável de pensamento..."

O personagem logo se depara com a figura pálida de Roderick, que estava se queixando de grave enfermidade, embora ela não seja identificada em momento algum da narrativa...Sua irmã gêmea, Madeline, também se encontra doente, e logo a vida abandona seu corpo... Com a morte desta, Roderick insiste com o narrador de que ele lhe ajude a sepultar o corpo de Madeline em uma espécie de cripta que se encontra abaixo dos aposentos do hóspede...

Com o passar dos dias, a agitação toma conta dos homens, uma espécie de luminescência paira sobre o derredor da casa... Tentando distrair seu amigo, o narrador lhe conta uma história, mas algo muito estranho se faz ouvir entre as paredes da mansão... 

Com uma narrativa vigorosa e repleta de elementos fantasmagóricos e sufocantes, Poe se revela um escritor completo, no melhor do gênero. Aspectos psicológicos são evocados por meio da melancolia. A doença desconhecida característica de alguns de seus personagens, o cenário decadente ou em estado de decadência e abandono, bem como indivíduos que carregam sentimentos de culpa, ansiedade e loucura e certa humanidade aplicada ao cenário, fazendo da própria casa um personagem vital para a trama, fazem com que A queda da Casa de Usher seja considerado um dos melhores contos da literatura gótica americana do século XIX.

Foi imensuravelmente prazeroso revisitar o conto, já lido por mim incontáveis vezes... A sensação sempre se mostra aterradora, e fisga meus sentidos desde as primeiras linhas... 




12 Comentários:

Pandora Says:
27 janeiro, 2017

É o que sinto também quando leio Poe: fisgada! Cada nova leitura me faz vê o quanto o cara é genial, não a toa estou sonhando com o livro dele lançado pela DarkSide, mesmo tenho minha edição velhinha de seus contos!

Eduardo Gonçalves Says:
28 janeiro, 2017

Eu bem que Tava precisando de uma dose de Poe hj... Uma tensão agradável, necessária. :)

Maria Valéria Says:
31 janeiro, 2017

obrigada pela visita, Edu :D
bjs ♥

Maria Valéria Says:
31 janeiro, 2017

nem fala, mulher.Também queeeero aquela edição *---*

Thai Says:
31 janeiro, 2017

Oiee
Acredita que nunca li nada do Poe? Mas morro de vontade. Não é a primeira resenha que leio falando tão bem da escrita dele. Uma hora eu não vou pra onde fugir, terei que me render rsrs

Fabrica dos Convites Says:
01 fevereiro, 2017

A enfermidade não é mencionada, mas o leitor consegue identificar qual seja, ou tudo faz parte deste mundo nebuloso e sufocante?
Bjs

Gleyse Vieira Says:
01 fevereiro, 2017

Oi Val,to adorando acompanhar esse projeto com os textos do Poe, esse é mais um dos contos que eu gosto, faz algum que li, mas ainda me recordo da narrativa única do autor. Bjs

Rayanni kellsin Says:
02 fevereiro, 2017

Olá, tudo bem?
Poe é puro amor! Muito legal esse projeto, espero ver mais algumas postagens por aqui!
Um beijo.

Sol Oliveira Says:
02 fevereiro, 2017

Estou curiosa pois nem conheço o autor e nem sua obra, mas adoro ler este tipo de gênero literário!
Adorei o petisco que nos destes! Grande beijo!

Livros & Café Says:
02 fevereiro, 2017

Oi.

Até pensei em participar desse projeto, mas acabei desistindo. Até hoje só li um conto do Poe que foi para um trabalho da faculdade. Quero muito ler outros contos dele. Vou ver se consigo realizar isso esse ano.

Literaleitura Says:
04 fevereiro, 2017

Ai ai, esse projeto <3

Eu adoro acompanhar suas considerações sobre as obras do autor e esse ano decidi participar por conta delas...kkkkk

Abraços da Quel ¬¬

Licavargas Says:
05 fevereiro, 2017

Mais um ano de projeto? Legal!!!!
Tão bom quando um conto é interessante e cativante que faz a gente gostar de ler e reler, né?
Preciso largar essa coisa de ter medo e arriscar a leitura do Poe...
Beijinhos,
Lica

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...