As [des]aventuras de um anti-herói oitentista n'A era de Ouro do Pornô [+18]

| 04 dezembro 2016 | |

Vinha flertando com A era de ouro do Pornô desde que vi o curioso título no Skoob outro dia... Eis que recentemente Zeka Sixx fecha parceria comigo e em poucos dias tenho meu exemplar em mãos, passando a frente de outras leituras... O que encontrei em suas pouco mais de cem páginas foi uma deliciosa narrativa sobre as aventuras sexuais de um aspirante a escritor sem perspectiva de publicar seu livro por conta de um bloqueio criativo, embalada por uma trilha sonora daquelas que nos pegam de jeito...

Vendo algumas opiniões sobre o livro pela blogosfera, e a estranheza que o livro lhes causou, acreditei que era uma leitura certa pra mim... A velha mania de ir na contramão literária sempre me causa belas surpresas... O que pode soar bizarro pra uns, me soa intrigante ao extremo para mim... 

Max California narra suas aventuras nas noites porto-alegrenses em busca de uma boa refeição - insira aqui um duplo sentido - . Nas festas de casamento, eventos, shows e afins em que entra de penetra, seu membro está sempre caçando a vagina que vai lhe render o gozo sagrado da noite... Nessas caçadas, Max se revela um sedutor sem muitas preferências, o velho 'se cair na rede é peixe' se aplica bem a ele... Claro que alguns desses encontros soam hilários devido a algumas peculiaridades ocorridas neles, e confesso que ri bastante na maioria delas... Não apenas com a cena descrita em si, mas visualizando leitoras mais 'puritanas' ao lê-las...

Max viveu algum tempo nos Estados Unidos, sofreu decepções afetivas, teve uma infância marcada pela tragédia, viu seu pai consumir-se em álcool. De volta ao Brasil, arranja algum dinheiro [que dá para a bebida e  putas] traduzindo textos em inglês... Max é cara de pau, sabe - na maioria das vezes - se livrar de alguma enrascada e é do tipo que tenta aproveitar o que as situações têm de bom a lhe oferecer, mesmo que à primeira vista pareçam um desastre iminente. Ele é fã dos anos 80 [rolou uma super identificação aqui além do fato do personagem ser sagitariano], volta e meia faz alguma crítica mordaz e se revela ao leitor nu e cru, puramente visceral... A linguagem em primeira pessoa revela a natureza rude e underground do protagonista, e esse foi um dos pontos que me cativou demais na história...

Se você é do tipo de leitor[a] que espera uma história estilo 'hot', dessas que se multiplicam como coelhos na literatura atual, esse livro pode não ser o você almeja. Mas se você curte a escatologia de um Pedro Juán Gutierrez, mesclada a acidez bukowskiana, eis aqui uma leitura surpreendente. Nada é romanceado aqui. O próprio título é uma espécie de ode ao pornô clássico, memorável, que imortalizou personagens quando o gênero se encontrava no auge... 

Por último, mas não menos importante: Zeka Sixx faz inúmeras referências ao longo da história, que vão do clássico Scarface ao Trópico de Câncer do aclamado Henry Miller... A trilha sonora, como falei mais acima, é fantástica... tem até lista no Spotify... Recomendo a leitura embalada ao som dela. e garanto: a experiência combinada é deliciosamente excitante... 

Zeka, 'Encontrei nesta obra o que amo, e deixo que aos poucos me mate.'  ^.~



Ps.: Devido ao conteúdo sexualmente explícito, digno de alguma cena de Trainspotting, o livro não é recomendado para menores... Beijos...

16 Comentários:

Bhárbara Andrade Says:
08 dezembro, 2016

Oie
Amei tua playlist. Gostei de saber que o livro não é exatamente como a maioria dos outros que ficam se multiplicando por ai haha Adorei tua resenha!
Beijinhos

Paty Souza Says:
11 dezembro, 2016

Adoro livros que já tem uma playlist porque sou péssima pra fazer essas combinações, essa está perfeita.
Quanto ao enredo em si, o gênero é uma dos que menos leio, não curto, mas também não sou dessas que descarta totalmente a ideia, até mesmo porque você ressalta que ele não é como os hots que vemos por aí...quem sabe um dia.

Beijos.
Leituras da Paty

Zeka Sixx Says:
13 dezembro, 2016

Captaste perfeitamente o espírito do livro, fico muito feliz que tenhas gostado! E muito legal que leste acompanhada da trilha sonora, é uma experiência diferente mesmo! Parabéns pelo blog e valeu pela parceria! :)

Beatriz Andrade Says:
19 dezembro, 2016

Realmente esse livro vem causando estranheza por aí e eu não tenho o menor interesse em realizar a leitura. Achei interessante a sua opinião mas a obra não me atrai.

Ana Caroline Says:
20 dezembro, 2016

Olá, Maria.
O livro realmente causa muita estranheza, pelo menos foi a minha primeira impressão a respeito dele. Mas depois de ler algumas resenhas, vi que o livro pode ser interessante de se ler. Então, se eu tiver a oportunidade com certeza irei lê-lo.
Fico feliz que tenha gostado do livro!

Catrine Vieira Says:
20 dezembro, 2016

OOi Valéria!
Que resenha maravilhosa!
Desde que o conheci me interessei pelo título, e sua resenha só aumentou minha vontade de lê-lo. Parece ser uma obra muito bem feita e inteligente. Espero um dia lê-lo.

Beijoos!

Camila Moraes Says:
20 dezembro, 2016

Adoro isso quando pegamos um livro aleatório e a leitura nos causa boa impressão.
Sempre é válido se aventurar!

Andrea Morais Says:
20 dezembro, 2016

Não conhecia autor e obra e confesso que achei interessante a premissa da história, mas não sei se ela faz o meu tipo... Vou guardar a dica e ver no que dá!
Bjss

Atraentemente Evandro Says:
20 dezembro, 2016

já tinha lido algumas coisas sobre esse livro, mas confesso que sua resenha me aproximou bem mais do que realmente o livro parece ser. Pensei que era só mais um, mas pelo visto não é, adorei o fato de conter as referências e a trilha sonora também é sempre bem vinda. Agora fiquei interessado nesse enredo, pelo diferencial que o autor propõe.

*☆* Atraentemente *☆*

Angélica Lima Says:
20 dezembro, 2016

Oi, tudo bem?
O livro tem uma premissa bem interessante (acho que as referências não farão sentido pra mim se ler), e eu adorei essa playlist!!
Bjs

Amanda Mello Says:
20 dezembro, 2016

Não sou de menor, mas dependendo do quanto é explicito pode ser que me cause um certo desconforto. hahahaha
Li recentemente uma entrevista do autor falando sobre a construção do livro e as referências, admito que achei tudo muito interessante, mas ainda não criei coragem para ler!

Dayane Reis Says:
21 dezembro, 2016

Olá =)
Que bom que em pouco tempo de parceria você já estava com seu exemplar. Acho legal você gostar de ler livros que pode soar bizarro pra uns. Dessa vez eu passo a dica, não curto livros que tenha pornô. Beijos'

Livreando Says:
21 dezembro, 2016

Acho muito legal a jogada de marketing que o título desse livro traz, genial! Tenho curiosidade sobre a leitura dessa obra, espero conferir algum fia. Adorei a playlist.
Bjim!
Tammy

carool santos. Says:
22 dezembro, 2016

Olá, tudo bem? Já vi bastantes resenhas dele por ai na blogosfera por isso já estava bem interessa antes. Sua resenha só me confirmou aquilo que já esperava. Adorei essa ambiguidade de nome e capa e a sacada que o autor fez. Ainda espero ler!
Beijos,
http://diariasleituras.blogspot.com.br/

Sophia Merkauth Says:
26 dezembro, 2016

Guria! Amei tua resenha e estou super curiosa para ler esse livro. Já vi sobre ele, não lembro onde e fiquei curiosa, mas lendo sua resenha, acho que vou adorar a leitura! Bjo e parabéns pela resenha, ficou muito boa!

Faces em Livros Says:
02 janeiro, 2017

Oie,
Primeiramente parabéns pela resenha, bem construída. Me fez querer ler um gênero que eu não gosto, por razões óbvias: autores que não sabem escrever sobre e tornam o livro uma "bosta".
Esse seria um livro raro que eu leria não apenas peli gênero, mas pelo conteúdo abordado.

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...