12 Meses de Poe: O retrato oval

| 27 dezembro 2016 | |
Me despeço do Desafio 12 Meses de Poe em grande estilo, trazendo a vocês minhas impressões de leitura acerca de O retrato oval, escrito no ano de 1842... O conto seria uma reflexão sobre o amor, a arte e a loucura...

O enredo fala de um homem ferido que acaba por pernoitar num castelo abandonado. O local, apesar de deserto, estava bem decorado,  cheio de tapeçarias e retratos que ornavam suas paredes. Prestes a dormir, o homem encontra um livro que faz uma descrição das obras que decoravam o castelo. Curioso, o narrador lê o livro, e - a fim de iluminar melhor o ambiente para a leitura, projeta seu candelabro para um ângulo que revela um curioso retrato oval na parede, de uma mulher de aparência misteriosa... Intrigado com aquela pintura, ele lê sobre ela no livro que encontrou e descobre que ela foi casada com um pintor, apaixonado [para não dizer obcecado] pelo que fazia. A contragosto, ela posa para seu amado, tendo que subir uma alta torre para que o retrato ganhasse vida'... 

A mulher passava longas horas naquele lugar e logo foi definhando, enquanto seu marido exultava vendo a pintura tomar forma... enquanto sua mente se deformava a cada pincelada, sucumbe à loucura e não percebe a tempo o que acontece com sua mulher...


Trata-se de uma história curta mas de teor extremamente aterrador... A medida que o leitor vai chegando ao desfecho, a trama vai se revelando cruel e nos deixa consternados com seu fim... Mais uma vez a habilidade de Edgar Allan Poe ao utilizar elementos sombrios e psicológicos para entreter o leitor até a última linha se faz presente... A obsessão é o elemento que conduz toda a história. Pela arte, pelo amor, numa mistura cega que culmina na morte...

8 Comentários:

Kris Oliveira - Conversas de Alcova Says:
02 janeiro, 2017

Eu acho que mesmo sem lembrar já devo ter ouvido esse conto porque já usei essa base pra escrever uma história. Foi interessante ver tua resenha sobre ele, vou procurar pra ler depois.
Beijos

Angélica Lima Says:
02 janeiro, 2017

Oi, tudo bem?
Não conhecia o conto, e acredito que irei gostar dele se tiver oportunidade de ler!
Bjs

Livros & Café Says:
02 janeiro, 2017

Oi. Até tentei participar desse desafio, mas não consegui... Não conheço esse conto, conheço alguns, mas não esse. Se surgir outro desafio desse, eu vou tentar participar.

Beijos.

Licavargas Says:
02 janeiro, 2017

Não sou a maior conhecedora do trabalho do Poe, mas esse conto não conhecia.
Achei a ideia dele bem interessante e até me deixou com um pouquinho de vontade de arriscar a leitura (se eu não fosse tão medrosa...rs)
Beijinhos,
Lica
Amores e Livros

Livros da Beta Says:
04 janeiro, 2017

Olá, Maria! Concordo com você, finalizou o desafio com chave de ouro! Parabéns pelo post, ainda não conhecia esta obra de Poe e agora quero ler o quanto antes!!

Bj
www.livrosdabeta.blogspot.com.br

Gabyh Says:
04 janeiro, 2017

Eu nunca li nada do autor, mas estou pensando seriamente em fazer esse desafio. Vale a pena conhecer as obras?

Bruno Marukesu Says:
06 janeiro, 2017

Oi, Maria ^^
Nossa, que enredo mais louco, hein?! Eu nunca que ficaria por muito tempo pousando para o boy não. A guria não sentia a obsessão dele?
Ainda não pude ler os escritos do Poe mas tenho a absoluta certeza que vou amar pois enredos sombrios me deixam muito ansioso e disposto a devorar a obra para chegar ao desfecho. Se tudo der certo ainda esse ano caio de cabeça na mente do Poe e crio a minha opinião a cerca do lado dark dele.
Amei a resenha, Maria. Mesmo sendo um conto, que geralmente não curto por serem pequeno, fiquei com vontade de ler. :D
Espero que o pintor tenha tido um fim trágico. kk
Bjs

Blog Resenhando Says:
07 janeiro, 2017

Oii, gostei muito de conhecer essa leitura pela sua resenha. Ainda não li nada do Poe, mas com certeza pretendo fazer isso o mais breve possível.

Beijos

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...