A poesia de Brontë em O vento da noite...

| 19 novembro 2016 | |
Muitos já ouviram falar de O morro dos ventos uivantes, clássico da literatura universal escrito por Emily Brontë. E muitos também desconhecem que a autora escreveu poesias durante sua curta vida... O vento da noite é uma compilação de alguns desses poemas, publicado na década de 1940 aqui no Brasil, traduzidos por Lúcio Cardoso... 

A Editora Civilização Brasileira pertencente ao Grupo Editorial Record nos contempla com uma nova edição dessa obra composta de 33 belos poemas, que tratam de temas sombrios, góticos, líricos e que fazem ressonância a sua obra mais conhecida... A escrita de Brontë é dramática, dolorosa, profunda. Seus versos são construídos com toda a carga de romance que a época carregava... Metáforas com notas fantasmagóricas...

"E quando teu coração achar enfim repouso,
Enterrado na igreja sob a lousa profunda,
Então terei tempo para gemer à vontade,
E te deixarei todas as horas para ficar sozinha..."

A maioria dos poemas escritos por Emily só foram publicados depois de sua morte, graças a uma de suas irmãs, Charlotte, que editou os poemas em 1950, dois anos depois da morte de Emily. As duas e uma outra irmã, usaram pseudônimos para escrever outras publicações. A escrita de Brontë é carregada de poder na poesia inglesa do século XIX. O místico permeia seus versos, além de uma visão de mundo extremamente negativa... Talvez por influência do local onde morava, uma região desolada e selvagem, que pode ter servido de inspiração também para a ambientação de O morro dos ventos uivantes...

Não há 'lugar-comum' na escrita da autora/poeta. Mesmo fazendo parte do Romantismo, e possuindo características líricas, a poesia de Brontë se sobressai as suas contemporâneas. Elementos como morte, solidão e noite são descritos de forma magistral, como poucos de seu tempo conseguiram...

"Diante de mim a noite se torna mais escura,
As rajadas do vento são mais frias e selvagens.
E eu,aprisionada a este sortilégio,
Não posso mais partir.

Gigantes, as árvores se arqueiam,
Galhos nuns sob a pesada neve;
Já a tempestade inclina mais baixo a sua fronte,
Por isso não posso mais partir.

Sobre mim o espaço e as nuvens;
Os desertos deságuam aos meus pés.
As solidões não me comovem mais;
A vontade se acha extinta,

Não posso mais partir."
Outro fator importante que não posso deixar de citar: a obra é bilíngue. Além da excelente tradução de Lúcio Cardoso, o leitor pode contemplar os poemas em sua língua original, tornando a leitura mais prazerosa. Não há como deixar de se encantar com suas rimas cadenciadas, cheias de lirismo e tons sombrios... Aos fãs da boa poesia, O vento da Noite é uma dádiva...



16 Comentários:

Bhárbara Andrade Says:
21 novembro, 2016

Wuthering Heights meu livro preferido para sempre. Li inclusive a versão original que é enorme.
Vou com certeza comprar o compilado! Obrigada pela dica, adorei saber que existe.
Beijinhox

LuMartinho Says:
21 novembro, 2016

Olá Val!
Eu estou dentro desses muitos que desconheciam as poesias da autora. Não sou muito conhecedora de poemas, mas acho que o livro deve ser muito incrível e mesmo uma dádiva como você mesma diz!
Beijos

Dayane Reis Says:
22 novembro, 2016

Olá Maria =)
Acho triste quando a obra de um autor só é publicada ou reconhecida depois da sua morte. Ainda não li nada sobre a autora, mas o livro "O morro dos ventos uivantes" já ouvi muito falar dele. Não é uma surpresa a autora ter poesias também, mas realmente isso não é muito comentado. Adorei saber um pouco sobre "O vento da noite". Beijos'

Marcia Lopes Says:
22 novembro, 2016

Olá!
Que legal saber disso, eu li O Morro dos Ventos Uivantes, mas não conhecia outros livros da autora, muito menos de poesia.
Eu tenho um quadro no blog que é só de biografias e sempre que atualizo esse quadro percebo que a maioria passaram uns mal bocados na vida como escritor e que as obras de alguns só foram fazer sucesso após à morte. Parece uma sina maldita.

Fernanda Yano Says:
22 novembro, 2016

Oie

Fiquei encantada, adoro poesias e amei os trechos que você escolheu.
Eu já conhecia a autora e li O morro dos Ventos Uivantes, mas desconhecia que ela também escrevia poesias, o que foi uma grata surpresa. Adorei, parabéns pelo post.

bjs
Fernanda Y.

Saga Literaria Says:
22 novembro, 2016

Olá amiga, tudo bem?

Confesso que estou no rol de muitos leitores que desconheciam as poesias da autora. Tem anos que parei de ler ou escrever poesia e essa obra parece ser boa para eu voltar a ler um pouco do gênero. Ficou muito boa a publicação! Bjuss

Fabrica dos Convites Says:
22 novembro, 2016

Eu tenho o livro O Morro dos ventos uivantes, mas não li ainda. Já sabia do livro de poemas, mas é outro que não li. Quero ler antes o do Morro dos ventos uivantes.
Bjs

Leituras Compartilhadas Says:
23 novembro, 2016

Eu sou apaixonada por O Morro dos Ventos Uivantes, mas nunca li esse livro da Emily Brontë. Para falar a verdade, não conhecia a obra, o que é uma pena, pois além de gostar muito da autora, amo poesias. Obrigada pela dica, adorei!

Tatiana

Blog Resenhando Says:
23 novembro, 2016

Oii,

Também estava por fora desses poemas que a autora escreveu.
Mas achei os quotes bem sombrios.

beijos

Gleyse Vieira Says:
23 novembro, 2016

Oi Val, esse livro é bem a sua cara, neh... Particularmente não curto esse tipo de poema mais sombrios, não sei porque, mas gosto de poesia, mas não consigo me identificar, apesar de gostar de contos e histórias do gênero... Ok sou estranha. kkkkkk. Adorei conhecer a obra e devo dizer que preciso ler O Morro dos Ventos Uivantes,urgente!!! Bjs

Cidália Maria Milani Says:
24 novembro, 2016

Olá!
É a segunda resenha que leio sobre a poesia de Brontë. Gosto de poesia e esses poemas, apesar de sombrios, me deixaram interessada pela obra. Deve ser tão bom quanto "o morro dos ventos uivantes." Que bom que uma das irmãs da autora editou seus poemas!
Beijos.

Carolinavga Says:
24 novembro, 2016

Oi Val
Ótima resenha.
Apesar de não ser muito fã de poesia eu gosto da escritas das irmãs Brontë e fiquei curiosa em conferir essa obra.

Beijos
http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br/

Nina Spim Says:
26 novembro, 2016

Oi, tudo bem?

Já tentei ler O morro dos ventos uivantes, mas nas três tentativas falhei bem bonito hahaha. No entanto, os poemas me trazem outro tipo de sentimento. Com certeza, fiquei bastante interessada. Gostei muitos desses que você copiou, acho que a poesia, quando lida com sofrimento e sombras, me interessa mais do que um romance. Eu nem sabia que elas tinham escrito poemas também, veja só... Adorei!

Love, Nina.
http://ninaeuma.blogspot.com/

Gabriela Cerqueira Says:
28 novembro, 2016

Nunca li nada da bronthe mas pretendo pois pelo visto ela será bastante trabalhada na minha disciplina de literatura inglesa então não irei poder escapar de clássicos como esse kkk
Adoro poesia tambem então conferir esse livro será ótimo
Ainda mais que tem a versão original em inglês de todos os poemas

carool santos. Says:
01 dezembro, 2016

Olá, tudo bem? Ainda não li nada da Bronthe mas quero mudar isso. Gostei bastante da sua resenha e ela me instigou a ler! Ótima postagem.
Beijos,
diariasleituras.blogspot.com

Faces em Livros Says:
04 dezembro, 2016

Oie,
Esse clássico da literatura inglesa que me impulsionou a adentrar nesse mundo encatador de Bronte. Apesar de forte e sanguinário, o livro demonstra como era vista a mulher naquela época.
Ótima lembrança com sua escrita!

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...