"Deixai toda esperança, ó vós que entrais!" Inferno. A divina Comédia [Dante Alighieri]

Páginas

8

† Brasil e sua Poesia do Horror...†

A literatura gótica e de horror é bem representada por nomes como Edgar Allan Poe, Emily Brontë e Charles Baudelaire. No Brasil, temos uma representação de peso com as obras de Álvares de Azevedo, Augusto dos Anjos e a própria Clarice Lispector, autora do conto A imitação da rosa, considerado de horror por seu desfecho trágico...


Álvares de Azevedo imortalizou-se na literatura com suas obras Noite na Taverna, Macário e Lira dos Vinte anos. Teve uma vida curta, o ultraromântico... Sua literatura bebe da  fonte de Lord Byron, poeta inglês... A morbidez e  os temas tratados em suas histórias  lhe garantem um lugar nessa postagem... Para mais detalhes, leia a resenha de Noite na Taverna que eu postei aqui...




A narrativa de Clarice Lispector em A imitação da rosa é densa e carregada de devaneios da protagonista, internada numa clínica, e que alterna seus diálogos consigo mesma entre a loucura e a razão... Este conto encontra-se presente no livro Laços de  Família, publicado em 1960... Você pode encontrá-lo aqui... Não se trata de  uma poesia, e sim um conto, mas achei válido falar a respeito por aqui...



Augusto dos Anjos era um poeta que criticava as agruras da condição humana através de seus versos carregados de melancolia... Augusto era um poeta que adentrava o vil do Homem, denotava nos poemas o quão frágil o indivíduo poderia ser, fazendo alusões a enfermidades que comprovam tal fragilidade... Sua linguagem remetia a morte, a angústia e dores carnais.



“Quando eu pego nas carnes do meu rosto
Pressinto o fim da orgânica batalha:
— Olhos que o húmus necrófago estraçalha,
Diafragmas, decompondo-se, ao sol posto...


E o Homem — negro e heteróclito composto
Onde a alva flama psíquica trabalha.
Desagrega-se e deixa na mortalha
O tato, a vista, o ouvido, o olfato e o gosto!

Carne, feixe de mônadas bastardas.
Conquanto em flâmeo fogo efêmero ardas,
A dardejar relampejantes brilhos.

Dói-me ver, muito embora a alma te acenda,
Em tua podridão a herança horrenda 
Que eu tenho de deixar para os meus filhos!”

8 Comentários:

Liz Souza

Álvares de Azevedo me faz lembrar minha adolescência, andando para cima e para baixo com seus livros. Happy Halloween!

Mylena Oliveira

Olá, como vai?
Adoro poesia, mas não sou fã de história de terror.
Gostei muito do post ficou bem construído.
Amo Clarise Lispector.
Parabéns!

www.umdejulho.com

Gleyse Vieira

Oi Val, sempre que se fala do Álvares de Azevedo, lembro da professora de literatura recitando uma de suas obras na aula kkkkkkk. Adorei a postagem, pena que foi tão curta. Bjs

Liziane Goulart

Oi!!
Sempre que vemos postagem sobre Halloween e autores, quase sempre são autores de fora, adorei você ter feito um post especial com os autores nacionais, temos muita coisa boa por aqui e estão surgindo novos autores que estão apostando no gênero terror e suspense.
Beijão!

Lucas Sousa

O Brasil é riquíssimo no ramo literário, porém o que nos falta é conhecimento, e principalmente se motivar para ler as obras do nosso país, dar valor ao que merece ter valor.

Anna Caroline

Oi Maria, tudo bem?
Mesmo com poemas mórbidos sempre gostei de ler Alvares de Azevedo, assim como gosto de saber um pouco mais sobre a vida dos autores para compreender suas motivações para escrever de tal forma e fiquei com vontade de ler alguns de seus poemas. A Clarice nem preciso falar que adoro, personalidade forte e também uma autora que expressou seus sentimentos em seu trabalho. Maravilhoso esse post, adorei ler!
Beijos

Danielle Rodrigues Casquet de Melo

Olá Valéria, adorei esse post, adoro Alan tem uma narrativa bem intensa. Mas nunca li nada da Emily e fiquei bem curiosa, e fiquei surpresa sobre a Clarice eu li algumas obras, mas desconhecia esse lado dark. Vou pesquisa pra ontem. Bjkas

Livreando

Olá Maria,
Adorei o post de hoje. Geralmente nos prendemos aos nomes da literatura internacional, quando temos ótimos nomes também no cenário nacional. Álvares de Azevedo para mim é ícone do gênero.
Bjim!
Tammy

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...