E os hipopótamos foram cozidos em seus tanques...

| 26 agosto 2016 | |
"Comecei a pensar sobre quando eu ficava imaginando como seria matar alguém e eu escrevia milhares de palavras para criar esse tipo de emoção. Agora ali estava Phillip ao meu lado, e ele de fato tinha feito aquilo."

É estranho, diria até que ninguém poderia imaginar que provavelmente o incêndio  de um circo no momento que esta obra era escrita, foi noticiado num rádio e seria responsável por dar nome a esta obra - uma ficção americana escrita a quatro mãos por William Burroughs e Jack Kerouac, baseados num caso real de homicídio ocorrido na década de 1940. E mais absurdo ainda: crime cometido por um amigo de ambos os escritores beats...


E os hipopótamos foram cozidos em seus tanques foi escrito antes do sucesso estrondoso de On the Road. Publicado pela Editora Companhia das Letras, trata-se de uma história narrada com intercalação de capítulos - ora por Kerouac, ora por Burroughs - dando ao leitor suas versões sobre o assassinato de David Kammerer por Lucien Carr, em 1944, em que o próprio Jack foi preso por não ter entregue o amigo à polícia assim que soube do crime, ao contrário de Will que aconselhou a Lucien de se entregar à polícia, tão logo soube do ocorrido...

Com uma narrativa ágil e de capítulos curtos, ambos os escritores tecem um panorama real com ares ficcionais, emprestando suas personalidades aos personagens Dennison [barman encarnado por Burroughs] e Mike Ryko [Kerouac como marinheiro]. O mundo em que viviam, infestado de bebidas, drogas, viciados, prostituição, gays e desempregados, verdadeiras almas desoladas na imensidão da metrópole novaiorquina, formam o corpo da obra, entremeando-se ao enredo que passou décadas sem ser publicado, devido a uma promessa feita por James W. Grauerholz de só publicar a história depois que Lucien Carr tivesse morrido. E em 2008 parte do espólio de ambos os autores foi trazido à tona aos leitores [beats]...

"Todos eles se foram agora: Dave, Jack, Allen, Bill - e Lucien também, há dois anos, em 2005... de modo que aqui estão os Hipopótamos,finalmente prontos para ser cozidos." 
É interessante ler a obra que traz uma escrita sem arremedos de fluxo de consciência, tão habituais nos livros dos autores, e que revelam traços de amizade, sexo e drogas com pitadas de poesia. É uma prosa que prende o leitor até suas páginas finais, com a maestria que só dois mitos da literatura subversiva americana poderiam nos trazer; símbolos de uma geração considerada perdida, mas que imortalizaram toda uma era... 

9 Comentários:

Priscila Soares Says:
28 agosto, 2016

Olá! Não conhecia o livro nem os autores. Achei interessante eles terem escrito uma história baseada em uma situação que vivenciaram, o que é um tanto macabro também, saber que o próprio amigo deles assassinou alguém, vivendo algo que deveria ocorrer apenas na ficção. Mas não sei se leria a história, não faz muito meu estilo de leitura.
Beijos!

Gleyse Vieira Says:
28 agosto, 2016

Oi Val, além do título, é claro, o que mais me chamou atenção nesse livro, foi o fato de ser uma história real, mas que poderia muito bem ter sido criação de uma mente brilhante. Muito legal conhecer a obra e saber um pouco mais sobre ela. Bjs

Carolina Ramires Says:
28 agosto, 2016

Olá!
Me apaixonei pelo autor em On The Road, mas não conhecia nenhuma de suas obras anteriores. Gostei muito dessa porque, além de ter aquele toque de Kerouac, parece ser muito boa, além de ser um relato de uma história verdadeira.
Beijos.
http://arsenaldeideiasblog.wordpress.com/

Isabella Marques Says:
28 agosto, 2016

Achei bem pesada a premissa e o título meio macabro, então não sei se leria.
Bjs

Gislaine Oliveira Says:
30 agosto, 2016

Oi Maria, tudo bem?
Não conhecia o livro, mas acho que leria. Gosto dessas propostas mais diferentes. E o título do livro é bem diferente. Eu provavelmente compraria em uma livraria só por causa dele :)
Beijooos
http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

Déborah Says:
31 agosto, 2016

Valéria, nunca tinha ouvido falar desse livro.
Mas sendo assim tão impactante eu só poderia descobrir por aqui.
Adorei a premissa, imagino o quanto deve ser uma história que prende.
Fiquei mega curiosa graças a sua resenha.

Gabriel Ribeiro Says:
31 agosto, 2016

Oii,
Não é uma coisa que eu leia sempre, mas eu adorei a ideia da historia e o nome também :D

Beijos!
http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

Livros & Tal Says:
03 setembro, 2016

Oie!
Não conhecia esse livro... que título mais estranho gente! haha
Para te falar a verdade, nada no livro me chamou muito a atenção apesar da sua resenha super positiva.

beijos
Mayara
Livros & Tal

Dayane Reis Says:
03 setembro, 2016

Olá. Você já começou a resenha com uma citação de arrepiar em garota. Haha' Não é um livro que eu normalmente compraria para ler, vamos dizer que gosto mais de contos de fadas e não muito de livro que aborda bebidas, drogas, viciados, prostituição, etc. Mas gostei bastante da sua resenha e o contento da história parece ser interessante. Talvez um dia eu acabo lendo, para inovar em minha leitura. Beijos' www.sejaamavel.blogspot.com.br

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...