"Deixai toda esperança, ó vós que entrais!" Inferno. A divina Comédia [Dante Alighieri]

Páginas

18

a Poética de Ana Cristina Cesar...

Sempre me deleito ao revisitar a obra de poetas que admiro, e com Ana Cristina Cesar - ou Ana C. - não seria diferente... A Editora Companhia das Letras trouxe aos seus leitores uma obra que se trata de um compilado de sua obra marginal. E é esse livro que tenho agora em mãos, e com grande deleite trago as impressões dele a vocês, leitores do blog...

Armando Freitas Filho, também poeta e amigo de Ana C. nos fala na apresentação sobre os paradoxos que permeiam os versos da autora. Ela traz pudor e ousadia numa mesma frase, é singular e anônima, é escrita que interpela a si mesma e a quem a lê. 

"Preciso voltar e olhar de novo aqueles dois quartos vazios."

Cenas de Abril foi publicado em 1979 e é a primeira obra que Poética nos apresenta. Há textos em verso e textos em prosa, mas ambos os tipos nos revelam a genialidade marginal e despretensiosa de Ana na construção de seus devaneios... Ela se permite encaixar no leitor e nós nos encaixamos nas palavras dela... Correspondência Completa também é de 1979; é um texto denso e com toques de melancolia. 

Luvas de Pelica foi publicado no ano seguinte... A poética entremeada em uma conversa íntima com o leitor se faz presente e suntuosa, mas ao mesmo tempo nos parece jogada ao acaso, num despropósito... A teus pés tem uma linguagem simbólica, onde o subjetivo permeia por entre os versos... 

"Não é automatismo. Juro. É jazz do coração."

Em Inéditos e Dispersos a voracidade de Ana transpõe a poesia. Antigos e soltos é uma reunião de material publicado após a sua morte, considerados rejeitados e que foram organizados por Viviana Bosi. Graças a ela temos acesso a esses poemas que há muito perdidos em poeira de baús, nos vem à tona mais de 30 anos depois de escritos... 

"A biblioteca não é moderna. Na estante velha não tem romances incertos, só certos. Bolor. Calor. Lombo, lombada, lambida, relida. Eu quero aquele livro que dá tesão, não?"

Ao longo do livro temos algumas imagens de rascunhos de Ana C., bem como alguns de seus desenhos... Há uma cronologia de sua vida e um apêndice com várias informações na perspectiva de pessoas próximas sobre as inspirações da autora, como os beats e Walt Whitman, e a obra de Emily Dickinson, que serviram de base para a sua própria. 


Ana Cristina desconcerta, quebra paradigmas e reconstrói uma literatura que a deixou em evidência entre os poetas da Geração Mimeógrafo... Ela une elementos como o lirismo carregado de nostalgia, a metafísica e certa afetação personificando indivíduos reais ou [re]inventados, que se revelam aos olhos do leitor, que figura no papel de voyeur ao invadir a intimidade minimalista de seus escritos... 

Sua morte abrupta [ela se suicidou em outubro de 1983], fez com que tudo relacionado a ela ficasse em suspenso, como se no momento de seu pulo na janela, flutuasse sem encontrar o fim da queda. Marcando a geração dos anos 1970, eu ousaria abusar de certa dicotomia ao definir sua personalidade e escrita: elegante e suja. Decadente e glamourosa. Pudica e visceral. A marginal Ana é - convenhamos - figura única da literatura brasileira... Ela foi tudo, menos ordinária e intransitiva... 

Parafraseando a própria, diria que sua obra fecundou os campos de melancolia... 

18 Comentários:

- fecprates

Olá
eu não conhecia a autora, mas deve ser uma leitura interessante. Não sou acostumada a ler muito esse gênero, mas isso não quer dizer que não leia ou que não goste. Pot falar nisso, gostei bastante de ler seus comentários e quem sabe eu leia para conhecer seu trabalho.
beijos, Fer
www.segredosemlivros.com

Heloísa

Olá, esse livro e a autora são novidade para mim. Eu ainda não tinha visto nada sobre eles. Pela sua resenha, parece ser uma leitura bem diferente do que estou acostumada a ler. Valeu pela dica!
Abraços, Helô

Ivi Campos

Já tinha um tempão que eu não i a expressão "geração mimeógrafo" e a forma como você disse que a autora desconcerta o leitor, me deixou bem curiosa para conferir sua escrita.
Valeu pela dica
MEU AMOR PELOS LIVROS
Beijos

Gislaine Oliveira

Oi Maria, tudo bem?
Definitivamente poesia não é para mim.
Não consigo me identificar, sentir e confesso, raras vezes entendo o que de fato o autor quis dizer.
Mas há algum tempo atrás, li um livro que falava bem isso, que a poesia não é para ser entendida com a racionalidade, que ela deve ser sentida.... Talvez por isso não consiga gostar do gênero.
Mas ainda assim, gostei da postagem.
Beijooos
http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

Bruna Costabeber

Olá Ana,
Que bacana que a autora quebra paradigmas e reconstrói uma literatura que a deixou em evidência. Eu não curto poesias e sinto que nunca entendendo. Não fiquei interessada nessa leitura e vou deixar a dica passar, pois sei que não vou curtir. Entretanto, conheço uma amiga que adora esses livros e vou falar para ela ler sua resenha, pois acho que vai curtir.
Beijos,
Um Oceano de Histórias

Michele Lopez

Olá,
Achei bem interessante conhecer um pouco mais sobre a autora. Não costumo ler poesia talvez pela profundidade que ela abrange. Porém, é incrível ver as emoções que afloram de sua escrita e o quanto despertam seus sentimentos.
Gostei de sabre que ela quebrou muitos paradigmas e fiquei um pouco chocada da forma abrupta que ela se foi.

leitoradescontrolada.blogspot.com.br

Carolina Trigo

Oi!
Não curto poesias - é impressionante, nunca consigo entender o que ela quer passar.
Por isso passo a dica. Mas sempre é interessante saber que o autor no seu gênero quebra paradigmas. Para a literatura isso é sempre muito importante!
Bjss

http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/

Vivianne Sophie

Olá,

Não conhecia a autora e confesso que não gosto muito de poesias, mais por não entendê-la do que qualquer outra coisa. Ainda assim, gostei muito dos elementos que você apontou e posteriormente talvez eu venha a ler algumas poemas da autora, a fim de que eu possa me familiarizar mais com o conteúdo. Fico feliz que você tenha apreciado tanto a obra.

Grande Abraço
Cá Entre Nós

Borrões Da Mary

Eu adoro livros de poesia, poemas e contos ler uma por dia eu amo demais.
Não conhecia essa autora amei conhecer um pouquinho.
Bju
Mary Reis

Tamara Padilha

Oie, eu já ouvi falar sobre essa poeta e gostaria de conhecer mais obras sobre ela. gostei de saber que tem um pouco do elemento nostalgia, adoro poemas assim, e que bacana a companhia estar republicando alguns de seus livros.

Alice Teixeira

Oi oi querida,
Eu gostei da resenha, e o livro tem uma capa linda.
Mas não me aventuro em livros com poesia (Percebi que não nasci pra isso), mas super recomendo os livros para meus amigos. E vou anotar esse livro para indicar.


Beijos, Enjoy Books

Fabiana Pereira

Oi,
Não conhecia a autora, que trágico :(
Não gosto de livros pórticos, a não ser que sejam pequenos, aí me animo a ler. Irei indicar para algumas amigas
Bjs

Isadora Oliveira

Ei!
Não conhecia Ana C., seu trabalho, e nem este livro resenhado.
Apesar de eu não ler muito esse tipo de escrita, sua resenha e seu conhecimento sobre o trabalho de Ana me deixaram curiosa para saber mais sobre ela :) Valeu pela dica.

Com Amor, Isa

Greice Blogando Livros

Você tem uma escrita bem condizente com aquilo que você lê. É bem bonita. E nossa, ela se suicidar, não é o primeiro escritor que vejo ou leio sobre isto. Mas são as tragédias da vida e acho que são utilizadas como uma forma até na escrita. Legal a forma como você descreve os trechos e a obra dela. Parabéns.

Beijos,

Greice Negrini

Blogando Livros
www.blogandolivros.com

Karen Valentino Blog Anne & Cia

Olá, tudo bem? Não conhecia a autora, mas a premissa é muito interessante, mesmo que eu não seja acostumada com o gênero. Sempre vale a pena anotar dicas diferentes para sair um bom do usual. Boa resenha, beijos.

Amanda Marques

Olá Maria. Tudo bem?

o gênero poético se encaixa só em alguns momentos de minha vida. Deixo os para curar as "ressacas literárias", até por a maioria das poesias serem abarrotadas de metáforas.

Gostei bastante de conhecer esta obra e um pouco sobra a autora.

Abraços!

Larissa - Srta. Bookaholic

Oi, tudo bem?
Eu sempre tento ler todo tipo de livro, mas confesso que esse gênero eu praticamente não leio. Isso porque não tenho muita oportunidade de ler livros assim e também porque eles não chamam muito a minha atenção. Esse parece ser um livro muito bom, deu para perceber pelas suas palavras que o mesmo faz o leitor pensar em várias coisas. Outra coisa que gostei foi o livro ter imagens de rascunhos e desenhos da autora. Enfim, imagino que deve ser uma boa leitura, por isso vou marcar a dica é espero ler algum dia.

Beijos :*

Eduarda Rozemberg

Acho tão interessante as postagens desse blog, sempre traz outros gêneros de literatura que não são muito explorados. Eu gosto muito de poesia, mas as vezes tenho uma dificuldade de entender, então imagina de resenhar? Por isso, meus parabéns. Esse livro em especial se mostrou muito bom através de suas palavras e fiquei bem curiosa pra conhecer. Espero que um dia eu tenha a oportunidade de conhecer.
Um abraço!

http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...