12 Meses de Poe: O escaravelho de ouro

| 04 agosto 2016 | |
  Acabei atrasando a leitura desse conto por uns dias, mas cá estou tentando voltar à normalidade... Sétimo conto lido do Desafio 12 Meses de  Poe, O escaravelho de ouro traz um narrador que conta a história de um amigo que ele julgou por um momento estar louco, devido a algumas ideias malucas que ele lhe segreda, mas que na verdade trouxe uma aventura inesperada para ambos...

O protagonista vai visitar um amigo e encontra sua casa vazia, acomoda-se e espera por seu retorno. William Legrand vive sozinho, e tem por companhia um servo negro de nome Júpiter. Vivendo há muito na Ilha Sullivan, Legrand tem um jeito excêntrico mas que agrada seu amigo... Durante sua estadia na ilha, ele toma conhecimento de uma nova descoberta de Legrand: um escaravelho em ouro que ele adquiriu recentemente, e que causa certo receio no negro Júpiter... 


Ao desenhar num papel o tal escaravelho, a imagem se assemelha a uma caveira. Tempo depois, ele recebe a visita de Júpiter - já em sua residência, e este lhe confessa que seu patrão anda perturbado e pede que este venha a seu encontro novamente. Preocupado com o fato de que seu amigo possa estar doente, ele volta a visitá-lo... Lá chegando, se depara com uma situação que vai levá-lo a embarcar numa 'jornada' misteriosa, sem muitos detalhes... Receando que Legrand esteja louco, ainda assim ele e Júpiter o acompanham as cegas até uma árvore gigante... A pedido do patrão, o servo sobre nos galhos orientado pelo perturbado homem e seguindo suas instruções encontra um crânio fixado no topo da árvore. Insere o escaravelho no olho - de acordo com o que lhe é ordenado, mas acaba fazendo confusão, descoberta posteriormente quando - cavando em terreno errado, e quase desistindo de sua empreitada, Legrand se dá conta do erro de Jup...




Não espere encontrar o horror característico de Edgar Allan Poe nesse conto, apesar da narrativa ágil e teor mórbido se fazer presente... Eu consideraria a história uma aventura nos moldes de A ilha do Tesouro, de Robert Louis Stevenson, mas com uma pegada mais soturna... E em momento algum a narrativa perde a habilidade de prender o leitor a cada parágrafo... O desfecho se dá de maneira coerente - apesar do absurdo genial de seu trajeto pra se chegar até ele... 

O escaravelho de ouro é um de meus contos favoritos e foi um prazer revisitar esta leitura através do Projeto criado por Anna Costa... Espero que tenham gostado e ainda esse mês irei falar de minhas impressões sobre o conto O coração delator... Até a próxima... beijos...

7 Comentários:

Claudia Leonardi Says:
07 agosto, 2016

Oi Maria Valéria
Temos gostos literários opostos..rs.
Eu morro de medo deste tipo de leitura, mas gostei muito do seu blog e da sua descrição no perfil!
Obrigada pela visita
Bjs

www.maeliteratura.com

Lara Caroline Says:
07 agosto, 2016

Olá!
Já ouvi muito falar do autor, porém nunca li nada dele e nem tenho interesse. Sei que muitos gostam das obras, mas elas não me chamam a atenção, acho que devido ao fato de o gênero não ser um dos meus favoritos, nem de longe.
Mas que bom que você gostou, que chato seria se todos gostássemos das mesmas coisas, não é?

Beijos, Lara.
http://www.psiuvemler.com.br/

Grazi Souza Says:
07 agosto, 2016

Eu gosto do Allan Poe porque ele tem esses contos menos horripilantes (já o Lovecraft me dá pesadelos toda vez que leio). Acho que vou conferir esse conto. Ah, gosto desse corvo aqui no cantinho da página xD

www.cantaremverso.blogspot.com.br

Leitora Compulsiva Says:
07 agosto, 2016

Oi, Val!
Esse é um dos contos de Poe que ainda não li! Também achei, pelo que você escreveu, bem parecido com a Ilha do Tesouro e como não gosto muito desse livro não sei se gostarei desse conto, mas vou lê-lo! =D
Bjss

Catrine Vieira Says:
08 agosto, 2016

OOi, Val!
Nunca li nada do autor mas confesso que não me interesso, acho que por conta do gênero. Ainda assim, fico feliz por você ter tido a oportunidade de "revisitar" a leitura.

Beijoos!

http://estantemineira.blogspot.com.br/

Ingrid Faria Says:
09 agosto, 2016

Acho que eu já comentei isso antes, mas meu pai AMA o Poe e eu me sinto na obrigação de ler alguns de seus contos kkkk.
Ainda esse ano farei isso.

Raquel Cavasini Says:
11 agosto, 2016

Olá Maria, adorei suas considerações sobre o conto...não conhecia esse e gostei bastante.

Abraços

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...