As aventuras de Tom Sawyer, de Mark Twain [#MLI2016]

| 11 julho 2016 | |

Estou lendo com afinco nos últimos dias, aproveitando meu primeiro fim de semana em recesso da escola, sem todas aquelas cadernetas a preencher e provas a corrigir... Com a Maratona Literária de Inverno, tive a chance de tirar a poeira de alguns títulos da estante e um deles acaba de ser concluído: trata-se de um clássico de ficção americana do já falado aqui antes Mark Twain - As aventuras de Tom Sawyer.

Eu já conhecia a história por ter lido sua versão adaptada em quadrinhos mas é sempre um deleite visitar a obra em seu contexto original. Tom é daqueles meninos travessos, que por mais confusões que arrume, a tia Polly não consegue ralhar com ele sem se sentir culpada por isso. Ele tem alguns amigos de sua idade, entre eles Huck Finn e Joe Harper. Juntos, esses meninos aprontam todas na pequena aldeia de São Petersburgo, às margens do rio Mississippi. Em vários momentos ele se encontra em farrapos, descalço, brigando com outras crianças ou aprontando na escola e igreja. Mas apesar das 'artes', ele é um menino de bom coração, e espírito extremamente aventureiro, como toda criança deve ser...

Cansado de só levar revés de sua tia pelas suas traquinagens, acaba fugindo de casa com seus dois amigos. Após passarem dias refugiados numa espécie de ilha do rio, voltam para suas casas e deixam a população da aldeia mais tranquila, já que àquela altura, davam pela morte das crianças... Durante esse tempo afastados, eles ousaram viver como piratas, dormindo ao relento e pescando o alimento de cada dia, mas a brincadeira começa a entediar os demais e logo Tom não vê outra alternativa a não ser voltar a realidade de casa...

Ele e Huckleberry - em uma de suas aventuras - acabam testemunhando um assassinato, e resolvem fazer um juramento de que nunca falariam sobre aquilo com ninguém... o problema é que alguém inocente pode ser enforcado no lugar do verdadeiro culpado... Até o julgamento e depois dele, os garotos passam por poucas e boas... Mas a consciência de Tom fala mais alto, embora o culpado tenha fugido... Os dias agora são tensos, pois a qualquer momento, ele pode voltar e se vingar dos garotos, em especial de Tom Sawyer...

A narrativa se dá em terceira pessoa e foca bem nos diálogos entre as crianças protagonistas. Outros personagens secundários também tem destaque onde convém melhor na história e possui uma escrita fluída. Escrito em 1876, é uma leitura com um herói criança mas que pode ser encantadora para o público adulto. É possível reconhecer-se na infância do menino e nas coisas simples que valem tesouros na imaginação dele... 

As aventuras de Tom Sawyer é uma obra que merece ser lida por todos os leitores, independente de faixa etária. O único adendo que faço com referência ao livro e que pode chocar o leitor é sobre o racismo incutido em alguns trechos. Em menor proporção do que em As aventuras de Huckleberry Finn [1884], mas ainda assim presentes, se faz necessário lembrar o período e local em que a história é ambientada, não significando que o autor seja racista, mas a maioria das pessoas que ali viviam era, e que era algo normal. Não estou dizendo que é certo, mas que o ato é fato. Mais a frente poderia falar a respeito dessa temática numa outra postagem...

Em suma, espero que tenham gostado da resenha. Alguém aqui já leu ou tem vontade de ler a obra de Mark Twain? Me falem nos comentários... Até a próxima, beijos... ^.~

20 Comentários:

Lullys Says:
12 julho, 2016

Olá! Temos este livro na biblioteca da família e meu pai fala muito bem dele.
Ainda não tive a oportunidade de ler. Só li Huck Finn. Me agrada saber que gostou da leitura. E digo que isso sim era literatura.

Beijinhos...
http://estantedalullys.blogspot.com.br/

Morgana Brunner Says:
12 julho, 2016

Oiii, como vai?
Menina realmente não conhecia essa obra e fiquei tão surpresa porque me agradou de uma maneira incrível <3 e continue aproveitando as férias, estou com as minhas e não li muito até agora, pouco do que esperava de mim.
Beijinhos

Leitora Compulsiva Says:
13 julho, 2016

Ah, que bom que você leu esse livro!! As aventuras de Tom Sawyer marcou a minha infância! Foi o primeiro livro do Twain que li e recomendo muito As aventuras de Huckleberry Finn e o Príncipe e o Mendigo. A escrita desse autor é primorosa. *___*

Déborah Says:
13 julho, 2016

Valéria, nunca li a obra e já tinha ouvido falar.
Fiquei bem interessada em ler.
A história me lembra algum filme, acho.
Espero ter a oportunidade de ler.

Lisossomos

Thatyane Says:
13 julho, 2016

Oi, ainda não li esse livro, mas sei da importancia dele para a literatura, e pretendo ler ele em breve, pois sua resenha atiçou a minha curiosidade, e quero ler os outros também que contam as aventuras dos outros amigos. Achei bem interessante e gostosa a leitura.
bjus

Gleyse Vieira Says:
13 julho, 2016

Oi Val, menina meu pai tinha uma coleção gigante desses livros e aqui em casa ainda temos vários guardados. Provavelmente tem uma edição dessas e eu não sabia nada sobre essa história até ler sua resenha. Achei uma história fascinante e bem diferente. Adorei ver essa coleção por aqui. Bjs

Karine Fernandes Says:
14 julho, 2016

Oii, eu não conhecia nem o autor nem a obra. E apesar da sua resenha esta muito bem feita. Nao me interessei quem sabe na próxima, espero que aproveite o descanso que está tendo do seu trabalho.

Beijos.

Luciano Vellasco Says:
14 julho, 2016

Sempre que venha aqui encontros ótimos clássicos que eu não conhecia! Não foi diferente dessa vez :)
Sobre o racismo, devido a época, é mais que natural que isso exista em menor ou maior grau. Adoraria ver uma postagem sua sobre isso ;)
Beijos!
Academia Literária DF

Roberta Gouvêa Says:
14 julho, 2016

Oi, Val. Tudo bem?
Esse livro parece ser bem divertido. Faz tempo que não leio algo com uma criança/pré-adolescente como protagonista. Acredito que possa ser até mais dinâmico se o autor saber colocar a imaginação infantil na história. O porém pra mim é saber que tem racismo, entendi o que você quis dizer com "era da época e tal", mas como sou preta e ainda hoje em dia, todos os dias, vejo isso, prefiro ler livros em que os problemas, em que a realidade seja outra pra dar uma "espairecida".
Como sempre, ótima resenha!
Beijos <3

Kris Oliveira - Conversas de Alcova Says:
14 julho, 2016

Oi Val,
Eu tenho essa mesma edição desse livro, mas ainda não tive um tempinho vago pra fazer a leitura. Confesso que não é uma obra que me desperte tanto o interesse, mas a tua resenha me fez ficar curiosa, beijos

Carolinavga Says:
15 julho, 2016

Oi Val.
Eu quero muito ler esse livro! Já li muitas resenhas positivas sobre a história e sobre o autor. E além de tudo é um clássico né.
Adorei sua resenha.

Beijos
http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br/

Sofia Trindade - Fórmula do Amor Says:
15 julho, 2016

Gostei de tu ter avisado sobre o racismo presente. Eu gosto de saber desses tópicos, pois assim não fecho tanto a cara pro livro, mas não deixo de critica-lo por isso...
Ótima resenha. Eu tenho o livro aqui e vou ler assim que por tudo em dia haha
bjs, bjs

Ana Lícia Says:
16 julho, 2016

Olá, tudo bem?

Recesso! Que delícia. haha. Eu não curto maratonas de livros, mas adoro ver a empolgação das pessoas. E você começou muito bem. Adorei a premissa do livro, não conhecia, que vergonha. Mas já coloquei na minha lista de desejados. Eu amo clássicos, e com certeza darei oportunidade para este. Ótima dica.

beijos

Raquel Cavasini Says:
16 julho, 2016

Olá Maria, não conhecia essa obra...gostei bastante da resenha e espero que você consiga atingir todas as suas metas na maratona :)

Abraços

Ju Says:
17 julho, 2016

Já tinha ouvido falar desse livro, mas desanimei muito para ler sabendo que o racismo está tão presente na história... vou ter que me preparar psicologicamente, porque leituras com essa característica costumam me destruir. Coitados dos garotos, não gosto nem de pensar o quanto testemunhar um assassinato deve ser terrível.

Beijo.

Ju
Entre Palcos e Livros

Catharina M. Says:
17 julho, 2016

Oie
eu já ouvi falar na obra e sempre acho muito legal o pouco que conheço e quero uma hora ter tempo de ler e poder tirar minhas conclusões, bela dica

Beijos
http://realityofbooks.blogspot.com.br/

Lê Lendo Lido Says:
17 julho, 2016

Oii
Quero muito ler esse livro! Na verdade até já comprei, mas to enrolando! Espero gostar!
Bjus

Simeia Silva Says:
20 julho, 2016

Não conhecia a obra mas me encantei, amo livros de suspense onde os protagonistas são crianças, sempre volto nas leituras que fazia na minha adolescência. Esse pesado do racismo me incomodaria um pouco, mas é como você disse, isso existia e muito quando o livro foi escrito e existe demais ainda nos tempos de hoje, então...espero poder conferir a obra em um futuro bem próximo.

bjs

Gabriela Cerqueira Says:
20 julho, 2016

Olá, tenho esse livro a muito tempo na lista de leituras mas enrolo demais para lê-lo, ele me chama muita atenção mas sempre coloco outro livro na frente dele, mas espero ainda esse ano lê-lo
bjs

Débora Costa Says:
22 julho, 2016

Um amigo estava lendo esse livro para aula de inglês. É uma leitura muito gostosa pra quem está começando no mundo literário.

http://laoliphant.com.br/

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...