Armadilha Mortal, um romance policial de um dos grandes nomes da literatura argentina

| 23 julho 2016 | |

Ganhei de minha amiga Lilian Farias um exemplar de bolso da L&PM Editores, intitulado Armadilha Mortal, do autor argentino Roberto Arlt [1900/1942] e confesso que nunca tinha ouvido falar dele até aquele momento, mas me intriguei com seu conteúdo, por gostar de literatura policial e já pela capa notar um clima 'noir' na obra... Esses dias resolvi alternar uma leitura com ele, pois pretendia tragá-lo aos poucos... e acabei lendo em pouquíssimo tempo, tal a riqueza de sua narrativa...



Ao todo, são sete contos que compõem o livro... No primeiro deles, A pista dos dentes de ouro, um assassino usa da astúcia para cometer uma vingança. O elemento 'sedução' é o que acaba salvando sua identidade... No conto Um argentino entre gângsteres, temos um engenheiro 'contratado' por bandidos que o obrigam a fabricar uma roleta viciada, a fim de ganharem os jogos de maneira suja. Humberto Lacava precisa usar de astúcia para fugir de seus algozes, já que a morte é certa terminado o mecanismo...




"Não tinha ilusões. Quando terminasse de montar a roleta, aquela gente, ao invés de deixá-lo ir embora com vinte mil dólares, furaria sua cabeça com balas de aço. E ele jamais voltaria a projetar condutos elétricos."

Em A vingança do macaco um assassino meticuloso se vê em apuros depois de cometer um crime e um pequeno macaco estragar seus planos... A dupla armadilha mortal é sobre um homem chamado Ferrain, que recebe a missão de matar Estela, uma contra-espiã, durante um vôo... mas algo acaba dando errado e o tiro pode sair pela culatra... O mistério dos três sobretudos é sobre alguns furtos que acontecem num estabelecimento, e todos os funcionários são suspeitos. Uma delas, Ernestina, suspeita de uma pessoa e põe em prática um plano que pode ter consequencias mortais, mesmo que com isso se descubra o gatuno... 

O enigma das três cartas fala sobre um homem perseguido por alguém sem saber o motivo, o que ele tem de concreto é que alguém quer vê-lo morto... Quando a 'verdade' surge a porta, algo surpreendente acontece... Por último, mas em nenhum momento menos importante, temos o conto Um crime quase perfeito. Um investigador tem em mãos um caso de suicídio que pode ser na verdade um assassinato. Em busca de pistas, acaba descobrindo o assassino através de uma banalidade... 

Armadilha Mortal é um compilado de enredos articulados que não foram publicados numa obra única por parte de Arlt. São histórias curtas, com teor policial, que reúnem os elementos mais comuns desse tipo de trama, com um diferencial: fogem do clichê e não entregam o desfecho ao leitor logo de cara. Cada final é surpreendente. Arlt é um dos pioneiros no gênero na literatura argentina. Foi uma grata surpresa ter dedicado alguns momentos de meu dia nessa leitura tão envolvente e inédita para mim. Roberto Arlt já entrou em meu rol de 'escritores revelação' do ano... Certamente, uma boa pedida para fãs do gênero...


7 Comentários:

Catrine Vieira Says:
27 julho, 2016

Oláa!
Que bom que gostou da obra, para os amantes do gênero deve ser uma ótima dica. Infelizmente não é um gênero que curto, talvez por isso ele não chamou minha atenção.
Ótima resenha!

Beijoos!
http://estantemineira.blogspot.com.br/

Morgana Brunner Says:
28 julho, 2016

Oiii Maria, como vai?
Eu realmente não conhecia esse livro e me choquei diante disso, creo que cad conto seja cheio de mistério e fico tão contente que tenha gostado.
Beijinhos

carool santos. Says:
28 julho, 2016

Adoro sses livros de romance policial com contos. São coisas rápidas e que você não precisa ler tudo de uma vez. Essas edições pockets da L&PM são boas pra leituras em transporte. O conto que mais me chamou a atenção foi Um Crime Quase Perfeito. O mistério reina ai!
Beijos,
diariasleituras.blogspot.com

Lullys Says:
29 julho, 2016

Que bacana, Maria!
Não conhecia este autor. Meu pai é argentino e não me recordo dele ter mencionado este autor algum dia.
Adoros romances policiais. E contos também. Fiquei bem curiosa para ler esta obra.
Parabéns pelo post!

Beijinhos...
http://estantedalullys.blogspot.com.br/

Leitora Compulsiva Says:
29 julho, 2016

Não sou muito fã do gênero policial, mas adoro livros de contos! Talvez, para alguém como eu, seja ótimo ler essas narrativas mais curtas e cheias de suspense!
Também não fazia ideia da existência desse autor! Espero que possa ler mais obras dele para mostrar para gente! =)

Déborah Says:
29 julho, 2016

Amei o fato de se tratar de um autor argentino, não o conhecia.
Não gosto de enredos que envolvam mortes, mas adorei a premissa de cada conto e acho que leria numa boa.
Parece ser uma leitura bem envolvente.

Blog Resenhando Says:
29 julho, 2016

Oii,

Adoro livros policiais, sempre fico bem empolgada quando leio um.
E esse parece ser bem bacana, ainda mais com os contos que você descreveu.
Já quero ler.

beijos

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...