Sobre o crescer/decrescer... O curioso caso de Benjamin Button

| 30 maio 2016 | |
Finalizei a breve porém profunda leitura de O curioso caso de Benjamin Button, do incrível F. Scott Fitzgerald. Encontrar essa edição da Coleção Folha Grandes Clássicos da Literatura foi um achado, pois já tinha sido lançada semanas atrás e eu tinha perdido os dois primeiros números. Ele foi o segundo título da coleção... Mas quando vi na livraria, não hesitei em comprar...

Trata-se de uma história curta, com apenas 51 páginas, e fala sobre a vida de Benjamin Button, que ao nascer, trouxe estranheza e assombro a todos na cidade em que seus pais moravam. Desde o berço, sua figura espantava pelo fato de ter uma aparência de um velho de setenta anos. Após o choque inicial, a 'criança' é levada para casa e seus pais precisam se adaptar à sua condição, pois esperavam um bebê recém-nascido e não um filho que aparenta ter a idade do próprio avô... 


Por incrível que pareça, com o passar dos anos, algo de diferente se repara em Benjamin. Ele parece rejuvenescer a cada ano, e isso acaba trazendo vários problemas a ele e sua família, que se resignaram a ser alvo das fofocas da cidade sobre o ocorrido...

Encontrei vários elementos na narrativa que poderiam ser esmiuçados de maneira mais crítica em minha resenha, mas seria impossível falar muito sem tirar de vocês o elemento surpresa de algumas partes... Desde cedo Benjamin é uma figura que sofre com a recusa da família em aceitar sua particularidade, a incompreensão do fenômeno por parte da ala científica; ele é inserido num ambiente familiar que tenta a todo custo fazê-lo enquadrar-se nas convenções sociais tidas como normais - no que cabe ao crescimento/desenvolvimento de um bebê. É preciso adaptar o indivíduo à idade que ele tem, não a que ele aparenta ter... Mas quando se trata de um caso de 'decrescimento', não há maneira de obter sucesso nisso...

Mas nada como uma evolução nos negócios da família que não façam com que seu status social seja visto com olhos mais benéficos. Mesmo quando ele se envolve com uma moça de 25 anos, tendo ele a aparência de um senhor com 50. Hildegarde atrai Benjamin desde o primeiro instante e logo as fofocas sobre esse aspecto da vida de Ben recomeçam... Importante frisar que o tempo corre de maneira convencional para as pessoas ao seu redor, e ele é um caso único na vida...

Logo os anos dão ares de velhice a sua esposa e ele vai rejuvenescendo, e aquela a quem amou vai se tornando uma figura desagradável, e isso perturba o protagonista da história. Seus pensamentos acompanham sua aparência e logo ele se vê como um jovem sagaz, ardoroso e cheio de vida, com mentalidade de quem tem vinte e poucos anos e quer mais aproveitar o viço, preso a uma mulher que a cada dia se torna mais obsoleta para ele...

O fluxo 'natural' segue, e a cada momento, Benjamin se vê mais desajustado a seu 'ao redor'. Em dado momento, ele parece ser filho do próprio filho. E claro que isso gera desconforto entre seus parentes... 

"Em 1920, nasceu o primeiro filho de Roscoe Button. Durante as festividades de comemoração, no entanto, ninguém julgou ser "a coisa certa" mencionar que o garotinho sujo com aparentes dez anos de idade que brincava pela casa com soldadinhos de chumbo e um circo em miniatura era o avô do novo bebê."

O livro é sobre o desencaixe social do indivíduo. É ir além do aspecto psicológico e traz uma crítica perturbadora sobre os valores de nossa sociedade ao que é velho, 'ultrapassado', quando ele resolve se mesclar ao novo. Benjamin é uma espécie de peça avulsa de um quebra-cabeça, que vai contra o sentido 'normal' das coisas, que parece desafiar com sua existência, a própria lógica da vida. Apesar de ser uma obra curta, traz importantes questionamentos ao leitor que se entrega a leitura de maneira absorta e completa. 

Revisitar a escrita de F. Scott Fitzgerald só reafirma meu gosto por seus textos, por sua habilidade de criticar com maestria o próprio tempo em que viveu... Sem sombra de dúvidas, umas das melhores leituras que já fiz em trinta anos de passagem aqui na Terra... 



22 Comentários:

- fecprates Says:
31 maio, 2016

Oi Maria, que post interessante. Eu conheço a história, porém é somente através do filme. Gostaria muito de ler esse livro para apreciar a profundidade dos detalhes e de todos os personagens envolvidos. Sua resenha me deixou ainda mais motivada a querer fazer essa leitura, ainda mais depois que você favoritou tanto.
Beijos, Fer (FECPRATES)

Carolina Ramires Says:
31 maio, 2016

Oi Maria. Vi o filme alguns anos atrás mas não sabia que tinha livro, que mancada a minha. Gostaria muito de ler agora, e de ter essa coleção da Folha também. A história é maravilhosa e fiquei com muita vontade de conhecê-la do jeito original. Sua resenha é maravilhosa. Muito sucesso!

Greice Blogando Livros Says:
31 maio, 2016

Não tinha analisado a questão por este lado. Realmente ele pode apresentar primeiro um fator físico e não sociável mas é realmente sobre aceitação dele e de toda a sociedade. Imagina começar velho e depois ficar novo e ir mudando tudo em si. Muito boa a sua crítica, até porque eu ainda não vi o filme, mas sei da história, mas é realmente uma bela crítica perante nossa sociedade.

Beijos,

Greice Negrini

Blogando Livros
www.amigasemulheres.com

Na estante da Elen Says:
31 maio, 2016

Nossa, que legal. Eu conhecia o enredo por causa do livro, mas através do seu post percebi que tem coisa muito mais interessante para poder saber. Post excelente. Beijos e um queijo!

Thaísa Tavares Says:
31 maio, 2016

Maria eu sempre quis ler esse livro, de verdade, até hoje não vi o filme só pra poder ler. Fiquei mais curiosa ainda com a sua resenha!

Mari Scotti Says:
31 maio, 2016

Não sabia que tinha livro! Deve ser interessante ler ao invés de apenas assistir o filme. A única coisa que me intrigou muito foi: como um velho saiu de dentro da mãe para nascer? Porque ne, o cara já é adulto, grande... sinistro. Hahaha.
Adorei sua resenha! Não sabia que estava nos títulos dos clássicos da folha.
Beijão, Mari

Beatriz Andrade Says:
01 junho, 2016

Eu vi o filme e não fazia ideia de que tinha um livor também. Eu amo essa história e agora quero muito comprar esse livro. Achei a maneira como você falou muito interessante e gostei de ver suas impressões sobre a obra.

Ivi Campos Says:
01 junho, 2016

Eu não sabia que o autor deste livro era o Fitzgerald e este é mais um motivo para eu querer ler o livro, embora já conheça o filme e goste bastante da adaptação. Acho que tanto o filme, quanto o livro, trazem essa reflexão que você expôs na resenha, de pensar sobre o que é velho e antiquado, perante uma sociedade tão descartável.
MEU AMOR PELOS LIVROS
Beijos

Anna Caroline Says:
02 junho, 2016

Oi Maria, tudo bem?
Essa coleção que a folha está lançando é sensacional, achei perfeita! Eu ainda não li o livro, vi o filme quando foi lançado alguns anos atrás e pela sua resenha já noto algumas diferenças no enredo. Acredito que o livro vá mais a fundo nos pensamentos e psicológico de Benjamin, além de nos levantar grandes questionamentos. Preciso correr atrás para montar a minha coleção... rsrs
Beijos

Camila Coelho Says:
02 junho, 2016

Oie!
Eu assisti o filme há muitos anos atrás e lembro que chorei muito com a história. Nunca na vida imaginei que existisse o livro, mas pelo que vi ele é bem curto neh? Mesmo assim fiquei com muita vontade de ler pela sua resenha me parece ser uma leitura emocionante.
Bj

Dryh Meira Says:
02 junho, 2016

Oiee ^^
Eu nunca li nada do autor, mas sempre encontrava menções do próprio e de suas obras em outros livros que lia, então sempre tive curiosidade de conhecê-lo. Ainda não conhecia este livro, mas achei a premissa interessante. Imagino que nascer velho e rejuvenescer ao longo do tempo tenha causado muita confusão entre as pessoas, e que seja uma obra que nos faz questionar. Gostei :)
MilkMilks ♥
http://shakedepalavras.blogspot.com.br

Thiana Santana Says:
02 junho, 2016

Oie,
Acredita que essa semana foi que eu descobrir que o filme foi baseado nesse livro. rsrsrs Não sabia da existência dele. Acho que ainda tenho o DVD do filme, mas nunca conseguir assistir todo, quando lançou eu era novinha e não ligava muito para a estória do filme.
Achei a premissa do livro muito interessante e já percebi, por outras resenhas, que a critica é uma característica da escrita do Scott. Gostei muito da sua impressão sobre o livro e fiquei muito afim de fazer essa leitura.

Bjs

Delmara Silva Says:
03 junho, 2016

Oi Maria,
conheço a história de forma superficial, pois assisti ao filme a alguns anos atrás, acabei comprando o livro e o tenho em até mais de uma edição diferente, não sabia desses lançamentos e creio que não terei a mesma sorte de encontrá-los, adoraria ter tido conhecimento disso antes. Embora, nunca tenha lido de fato a história, sempre tive muitas curiosidade, que foi amplamente aguçada por essa resenha maravilhosa.

Abçs
Nosso Mundo Literário

Livros Encantos Says:
03 junho, 2016

Ola Maria lindona ainda não assisti o filme nem li o livro, mas acredito ser bem interessante pelo fato de os pensamentos acompanharem a idade, ver sua esposa envelhecendo enquanto ele jovem cheio de vida e com objetivos diferentes, em contrapartida é difícil para a esposa também ver essas mudanças. Pretendo ver o filme. beijos

Joyce
www.livrosencantos.com

Entre Livros e Amores Says:
03 junho, 2016

Olá , bom eu não saia que tinha livro lendo um pouco mais sobre essa história fiquei muito intrigada , confesso que sou apaixonada pelo filme . A forma na qual o filme foi levado eu adorei o final foi de cortar o coração na medida que sua mulher ia envelhecendo ele ia ficando novo imagina que loucura ? Adorei o Post e recomendo a todos que não assistiram o filme assistir , ele é longo ,mas vale muito a penas !

Michelle Ladislau - As Leituras da Mila Says:
04 junho, 2016

Oi.
Tudo bom?
Acredita que até hoje não li o livro e nem vi o filme?
Acredito que o autor após escrever essa história, quis dar um tapa na cara da sociedade nos fazendo pensar no diferente e o que não é considerado normal.
Adorei seu post.
Beijos

Tahis Says:
04 junho, 2016

Oi Maria!
Já assisti ao filme muitas vezes e é um caso muito louco rs' não sabia da existência do livro e fiquei com vontade de conferir a história. Essa história é um verdadeiro mistérios e valores de uma sociedade tradicional e normal. Gostei de saber sobre o livro e quero conferir!

Beijos!
http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br/

Alice Teixeira Says:
06 junho, 2016

Oii!
Eu não sabia que existia esse livro. E também não savia que o filme foi baseado no livro (Ainda por cima um livro com apenas 51 páginas). A leitura parece ser rápida, e a história, como todos já sabem é linda. Eu me peguei pensando em cada ato do personagem no livro. E posso te dizer que se encontrar esse livro na livraria eu compro. Eu estou encantada com esse leitura, pois não conhecia o autor, então vai ser uma leitura totalmente especial.

Beijocas, Alice
www.blogmixbooks.blogspot.com

Westfall Livros Says:
07 junho, 2016

Olá...
Eu nunca tinha nem procurado pelo livro, mesmo sabendo que o filme havia se baseado em um livro do mesmo nome, parece ser realmente interessante já que eu gostei do filme, não sei como seria ler o livro, mesmo que tenha suas diferenças e quase como assistir o filme novamente só que de um jeito um pouco diferente, enfim... amei sua resenha, ela mostra como o livro te envolveu e eu gostei disso...
Beijocas...
https://westfalllivros.blogspot.com

Kétrin Galvagni Says:
07 junho, 2016

Oi Maria, acredita que eu não sabia que esse livro existia? eu só assisti ao filme muito tempo atrás e lembro que gostei muito. Ver que existe o livro me deixa mais animada ainda, vou tentar procurá-lo para ler, achei muito interessante e adorei ver que você curtiu a obra!

Beijos

http://www.oteoremadaleitura.com/

Andréa Fundo Falso Says:
07 junho, 2016

Oi!!

Eu nunca li nada do autor. Nesse caso só vi o filme.
Me conta, essa edição é completa? Esse livro é curtinho assim mesmo? Fiquei impressionada pois o filme tem mais de 2h!

Bjus
Blog Fundo Falso

Carolina Neves Says:
07 junho, 2016

Olá,
Eu comecei a assistir o filme, mas não consegui terminar por algum motivo que não me recordo. Gostei muito da sua resenha porque trouxe aspectos que eu já conhecia e outros que eu desconhecia. Fiquei um tanto admirada com o tamanho do livro, porque pensei que fosse muito maior.
Beijos,
Delírios Literários da Snow

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...