A tragédia de Medéia

| 17 maio 2016 | |









 "É terrível a ira, e mais difícil de acalmar, quando são dois amigos que a discórdia põe em luta."









Fazia tempo que não trazia outra tragédia grega resenhada aqui no blog. Adquiri o hábito de ler peças gregas ainda na faculdade, embora conhecesse o enredo de algumas delas bem antes disso, por gostar de mitologia e afins... Mas a cada leitura que faço, me sinto ainda mais enlevada pelo alto grau de qualidade e drama usado para escrevê-las, e o leitor se sente de tal forma inserido na trama que é como se tudo nos fosse narrado e encenado num palco... 

Para quem não conhece a peça Medéia, fala sobre a mulher que dá nome ao livro, desgraçada de infortúnios por  ter abandonado sua pátria ao casar-se com Jasão, e depois de dois filhos feitos, ser abandonada pelo marido pois este iria consumar casamento com a filha de Creonte. Tomada de cólera e ciúme, se sentindo ultrajada pela traição de Jasão, ela planeja vingar-se, antes que seja expulsa da cidade, já que o próprio Creonte, sogro de Jasão, o fez...

Medéia foi escrita em 431 a.C. e nos mostra o retrato de uma mulher que traz a dualidade ódio/amor dentro de si e é capaz de perpetrar atos hediondos e insanos, mesmo temendo as consequencias. Além de repudiada pelo marido, ela também é uma estrangeira perseguida. Não há mais lugar para ela chamar de pátria... Certamente é uma das figuras femininas mais impactantes da literatura clássica mundial...

A edição que possuo - da Editora Martin Claret -  tem um capítulo que fala sobre a história do teatro, da tragédia e uma minibiografia do autor, Eurípedes. Indico para quem deseja se familiarizar com o formato de peça, devido aos fortes diálogos e cenas impactantes encontrados na obra... Leitura densa na proporção adequada, com um fundo psicológico presente, agregado de uma crítica social considerável...

15 Comentários:

Lilian Farias Says:
18 maio, 2016

Esse livro é foda, um dos melhores. Li na Faculdade e tenho forte apreço, é algo que interfere bastante em minha escrita e minha forma de pensar.

Cristina Deutsch Says:
19 maio, 2016

Parabéns pela resenha e blog! Já conhecia o livro, e gostei muito pelo seu rico conteúdo. Obrigada pela dica! Estou seguindo suas redes sociais, querendo e gostando, seja bem-vind@ as minhas redes também. http://www.cristinadeutsch.org/
Saudações literárias.
Beijos no ♥
CD

Déborah Says:
19 maio, 2016

Valéria, também criei o hábito de ler peças na faculdade, mas meio que se perdeu com o tempo.
Conhecia a história de Medéia, mas não li o livro e fiquei com muita vontade de ler.

Lisossomos

Sandra Mendes Says:
19 maio, 2016

Oi, Maria!

Eu também adoro Mitologia! <3
Pude ler vários livros quando estava na faculdade e eu me lembro que realmente me transportava pra dentro das histórias.
Ainda não li Medéia, mas depois da sua resenha, com certeza eu vou ler! :)

Beijos!

Liziane Goulart Says:
20 maio, 2016

Oi!!
Eu gosto de ler sobre mitologia, mas nunca li nenhuma peça e depois de ler a tua opinião sobre essa, confesso que fiquei com vontade de conferir.
Gosto de leituras que envolvem a gente a ponto de vermos o cenário e o desenrolar da trama.
Beijão!

Andrea Morais Says:
20 maio, 2016

Quando vi o título do post meus olhos já brilharam! Adoro tragedias gregas e Medeia sempre foi uma de minhas favoritas!! Preciso muito relê-la e vou procurar essa edição que você tem porque gostei das informações adicionais que você disse que ela traz. *____*

Catharina M. Says:
20 maio, 2016

Oie
não é meu tipo de leitura mas parece ser algo diferente e inteligente, então vou anotar na lista de livros para ler mais pra frente ehhehe gostei da resenha e boa dica para quem curte o gênero

Beijos
http://realityofbooks.blogspot.com.br/

Ana Lícia Says:
20 maio, 2016

Olá, tudo bem.

Achei tudo muito interessante, o estilo de leitura, e a premissa. Ainda não li tragédia grega, mas fiquei com vontade de começar, e por este livro. POr trazer uma personagem feminina audaciosa, pois acabou arriscando tudo nesta vingança. Adorei.

beijos
http://chalecult.blogspot.com.br/

Bárbara Prado Says:
21 maio, 2016

Preciso dizer que esse livro me despertou uma vontade imensa de sair da minha zona de conforto literária, nunca li nada do género mas fiquei bastante curiosa
Beijos

http://blog-myselfhere.blogspot.com.br/

Miriã Mikaely Says:
22 maio, 2016

Oi, Maria. Como vai? Eu já li uma peça chamada A Flauta Mágica, mas confesso que o estilo do livro não me chama muito a atenção. Sempre gostei de livros com mitologia grega então esse seria uma ótima opção para ler.
Um beijo!
O Reino Encantado de uma Leitora

Flávia Nunes Says:
22 maio, 2016

Oi..
Já falei que amo suas tatoos e seu cabelo?

não conhecia o livro, mas fiquei curiosa..
é como se seu post fosse um imã para esse livro.
bjs

Raquel Cavasini Says:
23 maio, 2016

Olá, como boa fã de mitologia eu até que conheço a história, mas nunca li nenhuma obra a respeito. Adorei seus comentários e fiquei curiosa sobre a leitura.

Abraços

Leituras Compartilhadas Says:
24 maio, 2016

Essa tragédia é maravilhosa, eu adorei quando li, há muito tempo, ainda na faculdade. Fizemos um trabalho de comparação entre Medeia e Gota D'água, de Chico Buarque. Gostei dessa capa da Martin Claret.

Tatiana

Speak Cinema Says:
26 maio, 2016

hi baby, tudo bem? não tenho muito costume de ler livros desse gênero o que é uma pena pois eu realmente amo tragédias gregas, adorei sua resenha e a dica de livro, vou anotar na minha lista de futuras leituras <3

Lilian Valentim
http://speakcinema.blogspot.com.br/
beijinhos

Kris Oliveira - Conversas de Alcova Says:
17 junho, 2016

Valéria eu já havia visto esse livro da Martin Claret na banca, mas mesmo gostando muito de mitologia grega, não me interessei pela leitura, talvez por já conhecer a história. Mesmo assim é bom saber que é uma leitura agradável, guardarei para uma outra oportunidade. Beijos

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...