12 Meses de Poe: Morella

| 30 abril 2016 | |
O conto Morella data de 1835. É mais um cultuado conto de horror gótico do grande mestre Edgar Allan Poe, e o quarto lido no desafio 12 meses de Poe. O narrador fala sobre a mulher com quem se casou, embora não nutrisse por ela um amor profundo. Eles eram amigos, mas acabaram casando...



Morella tinha paixão em estudar fenômenos inexplicáveis, filosofia e ocultismo, e afim de acompanhar-lhe, o narrador se rende a estas manias da mulher... Mas em dado momento, ele percebe certo desconforto com o olhar enigmático de sua esposa, e uma aura de medo se instaura no protagonista, a ponto de se sentir aterrorizado com a morbidez de Morella. Eis que ela cai doente, e ao invés de torcer pela sua recuperação, o homem se sente inclinado a rezar para que ela parta mais cedo para o mundo além-vida...





Grávida, Morella acaba falecendo no dia em que dá a luz uma menina. Sob seu leito de morte, ela faz uma revelação fatalista sobre o destino do homem e daquela criança. E de alguma forma, ela vai encontrar uma maneira de permanecer entre eles... Logo ele percebe semelhanças físicas entre mãe e filha, seu receio com a menina é tanto que sequer lhe deu um nome... 

"E na fonte batismal hesitei na escolha de um nome. E numerosas denominações de sabedoria e de beleza, de tempos antigos e modernos, de minha e de terras estrangeiras, vieram amontoar-se nos meus com outras tantas lindas denominações, de nobreza, de ventura, de bondade. Quem me impeliu então a perturbar a memória da sepultada? Que demônio me incitou a suspirar aquele som e simples lembrança sempre fazia fluir, em torrentes, o sangue das fontes do coração? Que espírito maligno falou dos recessos da minha alma quando, entre aquelas sombrias naves e no silêncio da noite, eu sussurrei aos ouvidos do santo homem as sílabas "Morella"?" 

Poe explora a ideia de eternidade mesmo com a morte física. Como se os resquícios da mãe na filha fossem a essência de Morella, que permanece viva através da existência da criança... Morella voltaria naquele corpo? Seria Morella uma espécie de feiticeira que despertou pavor ao marido ou tudo não passou de fruto de sua imaginação psicologicamente enferma? O desfecho fica em aberto, dando margem ao leitor para interpretar como melhor lhe aprouver... 

17 Comentários:

Adocic Says:
02 maio, 2016

fiquei um pouco assustada lendo seu post, quem dirá o livro.
não sei bem o que pensar da Morella, bruxa ou não.

http://www.adocic.com.br/

Carolinavga Says:
02 maio, 2016

Oi Val.
Poe é um escritor e tanto né.
Na maioria de suas história que eu tive a oportunidade de ler ele mexe com o psicológico do personagem e muitas vezes do próprio leitor hehehe
Esse ainda não li mas fiquei curiosa e quero conferir.

Beijos
http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br/

Persuasão Literária Says:
02 maio, 2016

Eu não tenho a mínima coragem de ler algo de Poe kkkk Porém admito que fiquei curiosa com Morella... Além disso, o modo como ele escreve parece ser bem rústico(?) e pesado, talvez eu esteja enganada, mas foi a impressão que tive.
persuasaoliteraria.blogspot.com.br

Commaosdeseda Midian LSF Says:
02 maio, 2016

Que marido heim a Morella tem. Confesso que o gênero me chama a atenção,mas não gostei do terror domestico familiar, esse sim ficaria assustada em ler rsrsr, já estou rsrsrsr.
✡✡Blog Encantado: Atellier Com Mãos de seda ✡✡

Lumartinho Says:
03 maio, 2016

Oie Val!
Nunca sei o que dizer quando leio uma resenha sua dos contos do Poe, sempre fico parada, meio sem reação, sabe?
Esse é mais um dos contos que eu acho que leria mesmo... Fiquei curiosa com a revelação fatalista que Morella faz antes de morrer!
Beijos

LuMartinho | Face

Maria Eduarda {@dudsparrow} Says:
03 maio, 2016

Tenho muita vontade de ler algo do Poe, que infelizmente nunca li. Esse parece bem sombrio e interessante, fiquei curiosa pela história dela. Muito legal esse "desafio" de ler um dele por mês :D
boa semana :)

Red Behavior

Isabela Castro Says:
03 maio, 2016

Eu passo longe de terror, gente. E não conhecia esse autor, mas a escrita dele parece ser bem rica. Se ele escrevesse outro estilo talvez eu até lesse.
sigolendo.com.br

Morgana Brunner Says:
03 maio, 2016

Oiii Maria, tudo bem?
Mais uma vez vejo uma resenha incrível destes teus 12 meses de Poe, e fiquei tão feliz em não me decepcionar, realmente gostei da indicação, achei cheio de mistério e com toda certeza leria.
Beijinhos

Vân Crist Says:
03 maio, 2016

Sou extremamente viciada nos contos de Poe, e Morella é mais um conto incrível onde o autor explora esse sobrenaturalismo,ideia de eternidade de uma forma tão única. Apaixonada por sua resenha ♥

Silvânia Alves Says:
03 maio, 2016

Apesar de sua resenha está ótima eu não leria o livro, não curto o gênero.

www.detudopouco.com.br

Déborah Says:
03 maio, 2016

Valéria, fiquei mega curiosa sobre o desenrolar da história e louca pra saber o que Morella diz em seu leito de morte.
Leria com certeza.

Lisossomos

Leituras Compartilhadas Says:
03 maio, 2016

Poe é simplesmente um fenômeno da literatura. Morella é um conto fantástico. Li há muito tempo e não lembro dos detalhes, mas lembro que gostei muito quando li. Adorei a sua resenha!

Tatiana

Raquel Cavasini Says:
04 maio, 2016

Olá maria, adorei sua resenha, o conto parece ser bem sombrio, do jeito que eu gosto. Poe é mesmo fantástico e aborda temas que muitos autores receiam encarar.

Abraços

Dany Says:
04 maio, 2016

Amo Poe, ele consegue ser tenebroso e profundo ao mesmo tempo, enquanto aborda assuntos polêmicos. Esse conto ainda não li, mas gostei muito da resenha. Lerei em breve.


Thunder Wave

Amores e Livros Says:
09 maio, 2016

A cada resenha que leio fico com mais vontade de ler Poe, mas ao mesmo tempo sou muito medrosa e terror não me atrai nem um pouco. Mesmo os suspenses mais fracos eu tento passar longe...rs
Achei interessante a ideia do conto, principalmente a questão da eternidade apesar da morte física. Quem sabe eu arrisque :)
Beijinhos,
Lica

Jéssica Melo Says:
09 maio, 2016

Olá Maria, ainda não tive a chance de ler nada do autor, mas morro de vontade e pela sua resenha este conto esta sem duvida bem intrigante *--* Vou anotar a dica para lê-lo em breve.

Visite "Meu Mundo, Meu Estilo"

Anna Costa Says:
10 maio, 2016

Oi Val! Esse conto deixa a gente tão cheio de dúvidas, né? Obrigada por participar mais esse mês! <3

Desafio de leitura #12mesesdePoe

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...