Resenha: Rockfeller - Alexandre Apolca

| 19 março 2016 | |


Recebi como cortesia do autor parceiro Alexandre Apolca o livro Rockfeller, e a princípio achei tratar-se de uma história de terror, com toques sobrenaturais ou coisa do tipo, mas acabei me surpreendendo logo no início da narrativa com o que a obra realmente se propõe. 

Beto Rockefeller tem uma banda de rock, junto com alguns amigos. E depois de umas confusões com a polícia, em que ele é preso por engano, tem sua vida mudada quando se muda pra uma cidade do interior de Minas Gerais, e seus amigos resolvem acompanhá-lo. Em São Thomé das Letras, cidadezinha com ares místicos, eles logo começam a trabalhar, arrumam um canto pra viver e logo começam a aparecer aventuras, noites de drogas e bebedeira e diversão com garotas... E Beto se sente fisgado por Anita, e logo descobre que ela namora Gringo, um de seus companheiros de quarto e banda...

Eles engatam um caso sem ninguém desconfiar e a cada dia, ele se vê ainda mais apaixonado pela namorada de seu amigo inglês. Mas então Anita se vê numa situação de vida ou morte, e tendo Gringo voltado para a Inglaterra, pondo fim ao relacionamento com Anita, Beto comete uma loucura a fim de salvar a sua amada. E é ai que sua vida muda pra pior, realmente...

A escrita de Alexandre é alucinante, e pelo fato dos capítulos do livro serem curtos, o leitor não consegue pausar a leitura. Ele mistura alguns elementos cômicos [como a Síndrome de Mão alheia que me rendeu algumas risadas] meio que para 'quebrar' os momentos mais tensos da trama. E não faz isso de forma a desestruturar a narrativa, é na medida certa a fim de prender ainda mais o leitor... 

Há também uma boa construção dos personagens, e mesmo os secundários conseguem cativar quem lê a obra. É possível imaginar-se junto a eles, vivendo suas aventuras e confusões. Existe um elemento 'sobrenatural', pois Beto vez ou outra vê um corvo [uma referência a obra de Edgar Allan Poe] como se a amaldiçoá-lo e por vezes você fica tão perdido quanto o personagem, sem saber se as visões que ele tem são de algum delírio por causa de drogas, esquizofrenia ou fantasmas... 

Ao longo de toda a sua vida, as desgraças o permeiam e quando ele tem um instante de felicidade, logo o corvo aparece e parece tirar tudo o que ele conseguiu [re]conquistar. O absurdo se mescla com a realidade, tornando o personagem bastante verossímil. 

Em suma, se você curte uma leitura regada a referências a literatura, bandas de rock n' roll e com clima de cidade do interior dos anos 80, certamente vai se agradar dessa história. Junte uma porção de misticismo, personagens cativáveis e um romance com drama e teremos Rockfeller... Mas não limito a obra a isso apenas, há muito mais na narrativa de 184 páginas, que compensam bem as horas reservadas a sua leitura... 

1 Comentários:

Danielle Rodrigues Says:
22 março, 2016

Olá Valéria deu para sentir bem a dinâmica do livro, logo que vi o título me chamou atenção. Vou anotar a dica. Bjs

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...