Semana Especial - Claudio Duffrayer

| 15 fevereiro 2016 | |
Bem, trago para você a Semana Especial Cláudio Duffrayer, autor parceiro aqui do blog... Já li e resenhei sua obra Noturna e outros poemas, e em breve farei um sorteio de um exemplar aqui para vocês... Mas por enquanto, quero mostrar a vocês o trabalho do autor, postado aqui em primeira mão... Espero que gostem.. ;)




Os suplicantes 

Caio de joelhos, o manto rasgado não pelos recém-nascidos que agora me cercam,já tendo consumido aquela que o tecera e guardara, mas pelo silêncio que precede o canto.

Caio de joelhos,sem mais forças para percorrer as paredes labirínticas que só por vezes permitem vislumbrar-se, mas cuja intensidade não pode ser ignorada; são paredes de fogo,um fogo branco, um fogo frio.

As paredes eles atravessam,imunes às chamas como sua genitora,e como ela famintos pelo que as mantêm;com as chamas suas peles se confundem,não alvas,mas marmóreas e venosas, contrastando com seus abdômens de ônix, negros como o que eu trouxe comigo por tanto tempo.

As paredes eles atravessam,dançarinos macabros, dançarinos graciosos cujos muitos membros mal tocam o solo; eles não trazem em seus ventres a marca vermelha, mas órgãos que não enrijecem,pois seu desejo não é carnal. 
Sua dança é um pedido,sua dança é uma oração,sua dança é uma súplica. 

De mim eles se aproximam,fitando-me com seus olhos compostos,fitando-me com seus olhos amendoados;de mim eles se aproximam, fitando-me com seus inúmeros e mesmerizantes omatídeos;eles veem o verde,eles veem o azul,eles veem o fel e o absinto,mas não veem o vermelho.
Eles não veem o vermelho.

A mim eles tocam sem violar-me com suas presas,pois não as herdaram de sua genitora,nem me aninham em seus seios pois são seios púberes,não fartos;eles beijam-me com cautela,beijam-me com reverência e me penetram com suas trombas,o Dom que lhes foi concedido pela Esfinge.

Mas suas trombas não podem alcançar meu âmago,nem nunca poderiam;foi-se a cólera e o vermelho há muito calou-se;não há agora sequer um punhado de cinzas,não há ardor;há o vazio e nada mais.

É quando ouço o canto.
É quando as chamas tornam a arder,não mais frias.
As chamas tornam a arder,não mais alvas mas rubras.
As chamas tornam a arder.
Dentro de mim. 
E dançam enquanto pulsa uma vez mais o vermelho...
...arauto do escuro.

Finalmente percebo que é minha a voz que se levanta,é meu o canto,não da alada retalhadora.

Os Suplicantes tem suas preces atendidas,mas sua fome não saciada,e convulsos são reduzidos a cinzas;das cinzas eles não retornam,esse Dom lhes foi negado;das cinzas eles não renascem, pois nunca foram íntimos do escuro.

Levanto-me, sigo meu caminho seja ele qual for; o vermelho pulsa e o vazio se cala.

Levanto-me,sigo meu caminho,mesmo com a essência do fogo dentro de mim,o fogo negro que eu tanto temera,e agora abraço como parte de mim.

Sigo meu caminho.
Não há retorno.


Sobre o autor:


Cláudio Duffrayer é fluminense, aluno de Curso de Letras da UFRJ e dedica-se a Literatura, com ênfase na escrita da Poesia. Seu livro “Noturna” é composto principalmente de poemas que utilizam o recurso da prosa poética e seu arco temático abrange por vezes aspectos soturnos – ou noturnos - da natureza humana, seja em sua abordagem dos sofrimentos da alma, seja por uma visada crítica da melancolia da solidão do mundo contemporâneo. Avesso as redes sociais, sua produção poética deste autor é lenta, porém densa e o eu lírico que exprime os enunciados contidos no poema, muitas vezes reflete uma voz de nossa sociedade, aquela faceta que nem todos tem coragem de mostrar.


Espero que tenham gostado... Essa semana tem mais post sobre Claudio... Beijos ;)

18 Comentários:

Bia Caroline Says:
16 fevereiro, 2016

Hello :)

Bem bacana esse texto do seu parceiro. Embora eu não goste (quase) nada de poesias/poemas, achei este muito interessante! Ansiosa para conhecer mais do autor aqui no seu blog!

Beijinhos e que a Força esteja com você!
Cantinho Cult
Galera Geek

Raquel Cavasini Says:
16 fevereiro, 2016

Olá, gostou de poesias e achei esse texto super bacana.

Beijokas da Quel ¬¬
Literaleitura

Camila Coelho Says:
17 fevereiro, 2016

Eu não tenho paciência para esse tipo de leitura para falar a verdade, gosto de coisas mais dinâmicas, mas o texto está lindo.
Desejo sucesso ao autor. E que a parceria entre vocês tragam bons frutos.
Bj
Camila Bernardini Coelho

Milla Alkimim Says:
17 fevereiro, 2016

Oi Maria Valéria!
Achei bem legal o texto, embora não seja o tipo de leitura que costumo fazer.
Sucesso ao blog e ao autor!
Bjos

http://paraisodasideas.blogspot.com.br/

Tamires de Carvalho Santos Says:
17 fevereiro, 2016

Gostei muito do texto, carregado de sentimento! O autor é meu colega de curso, mas faço Letras a distância pela UFF.

Bjs,

http://tamiresdecarvalho.com/

Fabrica dos Convites Says:
17 fevereiro, 2016

Com textos assim, pode fazer quantas postagens quiser!
parabéns e sucesso ao Cláudio.
Bjs, Rose

Gabriel Ribeiro Says:
17 fevereiro, 2016

Oiee,
Não gosto muito de texto, poemas, essas coisas, mas acho que daria uma chance para esse. Sucesso com a parceria!!

Abraços!
http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

Carla Says:
17 fevereiro, 2016

Oie!
Confesso que não gosto muito de poesias, já tentei ler algumas, mas sempre deixo de lado. Mas não posso negar que o autor tem talento na escrita, e o texto apresentado chama bastante a atenção. E parabéns pela parceria!
Bjks!
http://www.historias-semfim.com/

Morgana Brunner Says:
17 fevereiro, 2016

Oiii florrr
Parabéns pela parceria com este autor, tenho muito amor por poesias e gostaria muito de ter a oportunidade de ler algum livro da autoria dele.
Beijão

Luana Hortencia Says:
18 fevereiro, 2016

Olá. tudo bem?

Adorei seu post, mas tenho que confessar que não gosto muito de poesias, porém essa me chamou a atenção. Parabéns pela parceria com o autor!

http://garotareading.blogspot.com.br/

Gabi - Psychoteca Says:
19 fevereiro, 2016

Ei, também preciso me aventurar mais por essas áreas. Não costumo ler poemas e poesias. Já tentei algumas vezes, mas sem sucesso.
Bacana fazer uma semana especial para o autor, vou acompanhar e participar do sorteio HEHEHE
bjs

Déborah Says:
19 fevereiro, 2016

Valéria, não conhecia o autor e seus poemas, mas gostei dessa pegada meio dark e olha que poema/poesia não é meu forte.

Lisossomos

Catharina M. Says:
19 fevereiro, 2016

Oiiie
não conhecia o autor mas parece ser uma obra muito bonita, é sempre legal ler uns poemas as vezes, bela post

Beijos
http://realityofbooks.blogspot.com.br/

Lucas Fagundes Says:
19 fevereiro, 2016

Oi, tudo bom?
Confesso pra você que não sou muito fã, mas até que curti esse texto, meio sombrio. Desejo muita sorte e sucesso ao autor!

Abraços,
http://claqueteliteraria.blogspot.com.br/

Luana Lima Says:
20 fevereiro, 2016

Oi Val,
Acho que poesia não é de gosto muito popular, eu como a maioria, não gosto. Mas não é preciso gostar de uma coisa para reconhecer sua importância e o talento do escritor.
Pelas poucas linhas que li, acho que talento é o que o autor tem de sobra.
Desejo muito sucesso a ele e que você continue divulgando a nossa literatura nacional que merece muita consideração.
bjs
Luana Lima
http://blogmundodetinta.blogspot.com

Ana Caroline Says:
21 fevereiro, 2016

Olá, Maria. Adorei o texto, porém eu não leria o livro do autor, já que não sou muito fã de livros de poesia e afins. Mas desejo muito sucesso ao autor. ;)

Danni Silvaa Says:
25 fevereiro, 2016

oi
adoro livros de poesia,estou escrevendo um no momento
amei o texto parece ser fascinante...com certeza vou ler
bjs

Conexão Mista Says:
25 fevereiro, 2016

Oeee,Maria,o trabalho do Claudio parece bem interessante, vou dar uma passada na resenha de "Noturna e Outros Poemas" mais tarde pra conhecer um pouco mais. Enfim,abraço!

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...