Pssica

| 28 fevereiro 2016 | |

Pssica, escrito por Edyr Augusto e publicado pela Boitempo Editorial é um daqueles livros que eu nunca teria chance de ler se não fosse por indicação de um grande amigo. E não por não ter - a primeira vista - encontrado algo de instigante em sua proposta - mas sim por não ver uma divulgação ampla sobre a obra... Mas eis que tive a chance de ler e o que pude sentir além de um soco no estômago, foi uma sensação de impotência pela incapacidade de conhecer de perto e/ou fazer algo que soasse como significativo a respeito da situação abordada. 

Romance contemporâneo paraense, Pssica é uma história dramática, de narrativa visceral e possui um ritmo alucinante, que fala sobre rapto e prostituição de garotas na região norte do país... Uma adolescente que acabou expulsa de casa, condenada a humilhação pública em seu meio por um vídeo que vazou na internet em que ela faz sexo com seu namorado. O próprio havia distribuído o vídeo para que todos pudessem ver, e ao saber disso, seu pai a envia para morar com uma tia, em outra cidade, pois se sente envergonhado pela exposição sexual da filha, Janalice.




Lá chegando, logo Janalice conhece uma realidade bem cruel. É abusada pelo namorado da tia e não aguentando essa situação, acaba procurando a rua. Menor, encontra uma garota problemática que mora nas redondezas mas não parece ser 'boa companhia', pois vive metida com drogas e pessoas perigosas... E eis que num dia comum, Janalice se vê empurrada para dentro de uma van e sua vida muda completamente a partir daí. Se achava que estava vivendo num inferno, certamente era numa camada menos profunda de lá... 

Nesse ínterim, após descobrir seu desaparecimento, os pais se desesperam e conhecendo um amigo aposentado, que era policial, acaba tendo ajuda dele para encontrar sua filha. As pistas levam Amadeu a ambientes urbanos carregados de violência, verdadeiras 'terra-sem-lei' onde quem impera é quem detém o capital... Políticos influentes que compram liberdade, silenciam testemunhas, entre outras bárbaries - e que apesar de soarem absurdas numa história ficcional, se fazem presentes na nossa dura realidade...

Em paralelo ao horror vivido por Janalice, conhecemos um angolano que perdeu sua mulher de forma cruel para um grupo de bandidos,e  contando com a ajuda de um colega, parte numa busca desenfreada de vingança e mortes brutais. Manoel Tourinhos cruza sua vida com a de Pitico, autor da morte de Rosinha, e logo Janalice também se vê envolta com estes personagens. O autor consegue contar Pssica em três ângulos diferentes que logo se moldam de maneira incrível como num quebra-cabeças... 

Um garoto assume o controle de roubos de carga nos rios do Pará. Eis o elo que faltava para completar a tríade descrita por Edyr Augusto. E posso afirmar que ele o faz com extrema habilidade, juntando algo de poético ao seu texto. Se você é do tipo de leitor que não suporta violência, passe longe desse livro. O estômago embrulha com as mortes, com os estupros e violência perpetrada contra as personagens mulheres. Os finais são abruptos, e você não se dá conta de quem faz o papel de bandido ou de vítima, ou ambas as coisas... Eu ouso dizer que é possível até se sentir empático pelo mais cruel dos personagens, dadas as condições que os tornaram algozes ao longo da narrativa..

A leitura causa desconforto, daqueles que um leitor curioso não hesita em sentir... A escrita de Edyr explora a urbanidade problemática que se vive nessas regiões - beirando a selvageria. Desvela cenas de um cotidiano não muito distante do nosso, com seus paredões de brega e eletrônica, com suas boates cheias de cocaína, seguranças aptos para matar e pedófilos ricos que não sentem escrúpulos em comprar mulheres como se fossem mercadorias e após usá-las, se desfazer delas como se não fossem mais que um pedaço de carne apodrecida... É um processo de desumanização do indivíduo mulher, do jovem que se torna bandido, uma ausência de justiça que beira o caos...

Em suma, Pssica é uma leitura curta, alucinante e sobre-humana. Para poucos... 

14 Comentários:

Beatriz Andrade Says:
29 fevereiro, 2016

Nossa que livro tenso. Apesar de ter sentido uma certa curiosidade com o final dessa história eu acho que não conseguiria ler, justamente pelo desconforto. Eu não gosto de livros que mostrem tantas crueldades, estupro é uma das coisas que eu evito na leitura (a principal), mas acho que não seria apenas o estupro e os horrores vividos por ela que me incomodariam, os demais dramas contidos no livro me parecem ser muito pesados. Como eu disse, fiquei curiosa pra saber onde tudo isso vai dar, mas não é um livro que eu leria.

Morgana Brunner Says:
29 fevereiro, 2016

Oiii, tudo bem?
Menina, eu realmente não sabia da existência deste livro e fiquei bastante curiosa e com vontade de ler essa obra, vindo de uma indicação tua, deve ser bom o livro haha
beijão

Stefani Almeida Says:
29 fevereiro, 2016

Ola tudo bem?

Não conhecia o livro, mas fiquei agoniando lendo sua resenha imagina lendo. Ele parece ser bem tenso, não gosto de livros dessa temática, é crueldade de mais para com o ser humano. Não leria o livro mas é um aboa indicação.


Bjos

http://rillismo.blogspot.com.br/

Gabriel Ribeiro Says:
29 fevereiro, 2016

Oii,
Eita, pesado hein? O livro parece ser muito bom, mas eu acho por conta desse desconforto não seria uma leitura muito agradável. Acho que eu ainda não estou tão preparado para encarar a realidade.

Abraços!
http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

Lurdes Zwierzykowski Says:
29 fevereiro, 2016

Oi!

Livro bem pesado esse, acho que não o leria no momento. O pior é saber que todo o horror presente nas páginas realmente existe na vida real. Acredito que ele seja de grande qualidade e bom para nos fazer enxergar uma realidade muitas vezes ignorada.

Joanice Oliveira Says:
29 fevereiro, 2016

Olá linda,

Um livro forte e cheio de verdades que acontecem bem aqui no estado vizinho do meu.
Histórias fictícias, mas que são verdadeiras em essência. Carregadas de pedidos de socorro para a sociedade que se faz de cega.

Beijos,
http://poesiaqueencantavida.blogspot.com.br/

Profissão: Leitora Says:
29 fevereiro, 2016

Eu conheço a editora, mas não costumo acompanhar o catálogo dela, talvez por isso não conhecesse esse livro. Parece loucura, mas adoro livros que me tiram do lugar comum, do sossego, que causam algum tipo de desconforto. Eles me instigam a continuar lendo. Adorei conhecer esse escritor, e calhou com um projeto que tenho pra conhecer escritores do norte e nordeste.

;D
Profissão: Leitora

Gabi - Psychoteca Says:
01 março, 2016

Ah, eu faço parte do grupo de leitores que não hesita diante de livros que causam desconforto. E eu estou me perguntando como não conhecia esse livro ainda.
Com certeza vou procurar por ele.
Excelente resenha, como sempre!
Um beijo!

Camila Coelho Says:
02 março, 2016

Primeiro, antes de comentar sobre o livro, eu quero te dar os parabéns pela sua resenha que está prefeita, bem estruturada e com uma escrita impecável. Amei de verdade.
Quanto ao livro o achei com um enredo bem forte e tenso, mas os temas abordados são importantes e sabemos que isso acontece e muito por aí de verdade.
Eu não conhecia ainda o autor e nem suas obras, mas por tudo que disse aqui é um livro para se sair da zona de conforto e eu quero muito ler.
Bj
Camila Bernardini Coelho

Catharina M. Says:
02 março, 2016

Oiiie
não conhecia o livro mas o enredo chamou minha atenção, parece ser uma leitura bem envolvente mesmo, bela resenha e dica

Beijos
http://realityofbooks.blogspot.com.br/

Déborah Says:
02 março, 2016

Valéria, que enredo incrível e forte.
Fiquei extasiada e morrendo de vontade de ler apesar do desconforto que causa.
Anotarei aqui.

Lisossomos

Literaleitura Says:
03 março, 2016

Olá, gostei bastante da sua resenha, embora o livro pareça bastante tenso e perturbador, gosto desse tipo de leitura, não é "mais do mesmo", e coloca o leitor para refletir sobre uma série de coisas do cotidiano...será que se os pais não tivesse expulsado a garota de casa ela passaria por todo esse sofrimento? Suas escolhas influenciariam nesse destino tão cruel?
Minha conclusão: Preciso ler essa obra!

Beijokas da Quel ¬¬
Literaleitura

Suzzy Chiu Says:
03 março, 2016

Hello!

Não conhecia o livro Pssica e achei pesado demais a história.
Eu nao sei se leria, já li o da Bruna Surfistinha e a realidade das ruas é mtoooo tensa.
Nao sei de onde tiraram que se prostituir seria vida facil, só se for facil pra quem aponta o dedo e fica condenando os outros, pq quem está nessa vida só tem medo e humilhação.
Otima resenha, mas nao é pra mim a leitura.
Beijos.

Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

Livros & Tal Says:
05 março, 2016

Olá Maria!!!
Muito boa a sua resenha, mas como vc disse, é uma leitura para poucos. Apesar de ser uma temática muito interessante e atual, esse definitivamente não é o tipo de livro pra mim :/

beijos
Mayara
Livros & Tal

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...