O horror em Red Hook, de H. P. Lovecraft

| 30 outubro 2015 | |

É difícil não citar um grande nome do horror quando estamos em clima de Halloween. H. P. Lovecraft, nascido em Providence, Estados Unidos, escreveu uma vasta obra mas apenas após sua morte é que teve seu nome reconhecido como um dos grandes mestres da literatura de horror norte-americana. Nas montanhas da loucura e O caso de Charles Dexter Ward são seus livros mais famosos, mas hoje venho falar de uma pequena edição da L&PM Editores: O horror em Red Hook.

Com apenas 64 páginas, o livro nos traz três contos fantásticos que vão deixar o leitor de cabelo em pé: O horror em Red Hook, que dá nome ao livro, Ele e A tumba, um de seus escritos mais conhecidos. A leitura de Lovecraft nos desperta pavor e fascínio simultâneos. Acho meio improvável ler algum de seus contos e não se imaginar dentro da história, ou em alguns casos, sentir como se elementos da mesma de repente rodeassem você...

No conto O horror em Red Hook, um caso de magia leva um homem à loucura. Trata-se de um detetive chamado Thomas Malone, que ao investigar um caso de desaparecimentos de crianças na região de Red Hook, se depara com rituais de magia negra e encontra a insanidade...

"nada poderá apagar a memória daquelas criptas às escuras, aquelas galerias titânicas com figuras infernais malformadas e que caminhavam em silêncio com suas passadas gigantescas e segurando seres comidos pela metade, cujas porções ainda vivas gritavam por misericórdia ou riam de loucura. Cheiros de incenso e decomposição juntavam-se numa combinação enjoativa, e a atmosfera escura agitava-se com os corpanzis obscurecidos e semivisíveis de seres poderosos e disformes com olhos."

Em Ele, o narrador se vê envolto na atmosfera sombria da cidade de Nova York, e busca resgatar da memória o quão poética e bela a cidade foi no passado, até que um encontro com um desconhecido misterioso o leva numa viagem cheia de visões tenebrosas e absurdas... Ele acaba adentrando em dimensões perdidas e que trazem à espreita olhos brilhantes e desafiadores de alguma criatura que parece não pertencer a este mundo...
"naqueles dias melancólicos minha busca pela beleza antiga e pelo mistério era tudo o que eu tinha para manter minha alma viva, e considerei um raro favor do Destino encontrar uma pessoa cujas buscas afins pareciam ter chegado tão mais longe do que as minhas."
No conto que encerra o livro, a Tumba, um jovem passeando pelos bosques de uma antiga propriedade descobre uma cripta e começa a sentir uma vontade obsessiva de adentrá-la, e já passada a infância, ele continua almejando essa 'aventura'... A tumba pertencia a família Hyndes, que morreu num incêndio ocorrido na mansão, muitos anos antes. Logo, o rapaz se vê envolto na atmosfera sombria e ao entrar na tumba, vive uma experiência fantasmagórica...

"Histórias resmungadas de ritos estranhos e festas pagãs de anos passados na mansão antiga me proporcionavam um interesse renovado e potente sobre a tumba, diante de cuja porta eu sentava por horas seguidas cada dia. Uma vez enfiei uma vela para dentro da entrada quase fechada, mas não consegui ver nada a não ser um lance de degraus de pedra esmaecida que levavam para baixo. O cheiro do lugar repugnou-me, mas, apesar disso, enfeitiçou-me. Eu sentia que já o conhecera antes, num passado remoto além de todas as lembranças, além até do tempo que ocupo o corpo que possuo agora."


A narrativa lúgubre de Lovecraft é hipnotizante, um perfeito convite à loucura... Eis uma Ode ao tormento [no melhor sentido do termo], e ao desconhecido...





4 Comentários:

Helana Ohara Says:
30 outubro, 2015

Oie.
Nossa fiquei assustada lendo sua resenha. Apesar do livro ter apenas 64 páginas, foram bem exploradas.
O último conto, me deixou bem intrigada, acho que compraria o livro só por ele.

Beijinhos, Helana ♥
In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

Milena Lais Says:
31 outubro, 2015

Olá Maria!
Adoro livros de terror então com certeza esse me pareceu muito interessante.
Nunca tinha ouvido falar do autor.
Acho um pouco chato que só após a morte muitos bons autores são realmente reconhecidos...
Beijos.

Déborah Says:
02 novembro, 2015

Infelizmente, não tive o prazer de ler nada do H. P. Lovecraft, mas só leio elogios sobre ele.
Gostei muito das ideias dos três contos, mas o que me chamou mais atenção foi Horror em Red Hook e olha que nem gosto do estilo, mas aguçou minha curiosidade.

Lisossomos

Nina Tavares Says:
30 novembro, 2015

Oi!
Parece ser um bom livro, mas tenho que admitir que não é meu estilo favorito. Mas quem sabe não me aventure na leitura e mude de opinião, pela sua resenha esse parece ser um bom livro para isso.

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...