Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...





"Deixai toda esperança, ó vós que entrais!" Inferno. A divina Comédia [Dante Alighieri]

Páginas

9

Um best-seller dos anos 70: O espelho do diabo, de Jan Alexander.

Bem, acabei flopando na Maratona dos Sem-Bienal e dos três títulos que escolhi, faltou concluir um deles. Mas o livro O espelho do diabo, de Jan Alexander, publicado nos anos 1970 pela Editora Monterrey se mostrou uma leitura instigante e agradável, que prendeu meu fôlego até o último momento... Posso afirmar que foi uma leitura prazerosa e fora do convencional do que as editoras lançam nos últimos tempos. Talvez a atmosfera mágica do período em que o livro foi lançado possa ter influenciado nessa questão...

Mas enfim, vamos às minhas impressões... Irene e Emily são irmãs e apesar de nunca ter deixado transparecer, Emily é apaixonada pelo seu cunhado, Eliot Lewis. Eliot é um homem casado com Irene, rica, mas seu orgulho o impede de usar o dinheiro da esposa para viver de maneira confortável, preferindo viver com seus recursos limitados em um apartamento pequeno, em Nova York. Mas um dia, a sorte do casal muda de forma espantosa, após ele receber um telegrama informando-o que ele é herdeiro de uma mansão no Sul da França, e que ela precisa de reparos, tendo sua tia deixado uma reserva de dinheiro para reformar toda a propriedade. O casal resolve se mudar, após a relutância de Irene, e começar uma nova vida no local.

Emily se sente feliz pela irmã e cunhado, mas com uma ponta de inveja por não poder ir junto, pois ela tenta anular a todo custo os sentimentos que nutre por Eliot. Ele é escritor e acha que o ar francês vai fazer com que sua inspiração produza seu livro. Irene é linda mas possui uma personalidade fútil, ao contrário de Emily, que seria a irmã inteligente mas não tão atraente quanto a irmã...

Enfim eles se mudam para a França e ao chegarem ao local, percebem um clima sinistro na mansão, que realmente está em pedaços. Surge uma figura misteriosa que deixa Irene assustada, mas seu marido não percebe nada de anormal. A mansão estava desabitada há quase meio século, e do nada surge um gato preto rondando no local. Após entrarem em contato com as pessoas do vilarejo, que parecem evitar o mansão, contratam um arquiteto para dar início à reforma... E é ai que os problemas começam a tomar forma... 

A reforma não anda, ocorre uma tragédia na vida do arquiteto e posteriormente ele não pode mais concluir a construção. Surge o misterioso Philipe Gastion, que se oferece para tomar conta da obra, bastante solícito, mas que traz em si uma aura enigmática e sombria que deixa Irene apavorada. Ela antipatiza de cara com aquele homem, e julga tê-lo visto antes, mas Eliot não dá bola aos seus devaneios... A entrada dessa figura em suas vidas vai modificar completamente suas personalidades e ações... Lembrando também que a figura do gato se faz presente em vários momentos do livro, aumentando a carga mística na história...

Emily precisa fazer alguma coisa para impedir que o Mal se aposse de sua irmã e cunhado, e com a ajuda de um vigário local, ela luta contra Gastion, que é a fonte desse mal. Ele seduz a sua irmã, manipula Eliot tornando-o praticamente um zumbi obsessivo pelo seu livro. Ele tem um controle total sobre o casal da mansão, e Emily é a única que pode impedi-lo de concluir seus cruéis desígnios. 

Acho importante frisar uma característica que me incomodou um pouco ao longo da leitura: o fato da personalidade de Irene, antes uma esposa 'recatada' - ter se tornado segundo o autor, uma mulher lasciva e 'messalina', que causa estranheza no marido, quando ela [ainda] o procura para o sexo. De forma gradual, Irene vai se entregando ao charme diabólico de Gastion e seu comportamento é mostrado como sendo negativo, pelo simples fato de ter sua sexualidade aflorada. Mas acredito que para o contexto do livro - uma trama em que forças diabólicas pretendem corromper a pureza humana e apenas com a fé o Mal pode ser impedido - o enredo cumpre muito bem o seu papel, sem se tornar demasiado religioso ou beirando a doutrinação cristã... 

Em suma, O espelho do diabo é uma leitura para aqueles que gostam de um bom suspense mesclado com aspectos sobrenaturais, que envolvam o oculto, sexo, pactos com entidades diabólicas e coisas do tipo. O que certamente me agradou na obra foi a maneira detalhista de como esses fatores ocorreram. Faço ainda uma ressalva quanto ao final: um pouco apressado, apesar de satisfatório. O autor poderia ter deixado o elemento clichê que compõe o 'gran finale' longe da obra, mas ainda assim, vale a pena ser lido. 

9 Comentários:

Gabriel Ribeiro

Oii, nunca tinha ouvido falar do livro e ele parece ser daqueles que eu ia gostar e levar pra todo lugar hehe.

Abraços!
http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

Kris Oliveira - Conversas de Alcova

Oi Val, não conhecia o livro, mas pela sua resenha ele é a cara do terror das décadas de 70 a 90.
Onde rolava muito essa cristianização das coisas e o mal e a luxúria era sempre atribuído ao diabo.
Achei interessante, e leria sim, com toda certeza.
Beijos

Evelise Ciriraco

Oi!
Eu não conhecia o livro, mas como não sou fã de terror não fiquei curiosa sobre a história. Mesmo assim gostei da sua iniciativa de ler um livro que foge dos bestsellers atuais, eu tenho que começar a fazer isso rs
Beijos
sobrelivrosesonhos.blogspot.com.br

Gabrielly Marques

Oi Val!! Apesar de ter adorado sua resenha e alguns tópicos que ressaltou, não fiquei interessada na leitura não... Gosto de suspense e gosto de sobrenatural, mas as outras características do livro não me empolgaram. Achei a premissa meio confusa... Mas enfim, quem sabe um dia eu dê uma chance.
Beijos!

Francine Porfirio

Gostei do enredo! Acho que por ser dos anos 70, o comportamento sexualizado de Irene é visto até como indecoroso (impróprio e pecaminoso, sendo fruto do mal). Isso me incomodaria como incomodou a você, mas o enredo como um todo acabou me atraindo. Fez-me lembrar de um dos animes que mais amo: Ghost Hunter.

Beijos!
http://www.myqueenside.blogspot.com

Bárbara Prado

Oi
Apesar de ter gostado da sua resenha, não costumo ler esse gênero de livro
Beijos

Déborah

Valéria, não sou fã de suspense, mas devo dizer que esse sobrenatural envolto na história me deixou muito curiosa.
Por que só a Emily pode salvar a irmã?
Já fiquei cheia de questionamentos só com a sua resenha.

Lisossomos

Manu Lima

Olá Valéria,
Não tô muito no clima para sobrenatural ultimamente, ainda mais que sou muito medrosa! Mas para quem curte, pode ser uma dica muito boa de leitura.

Beijos,
Miss Sorrisos Blog
Twitter|Wattpad|Instagram


Brubs.

Oi Valeria,
bom sobre o genero eu gosto e muito. Já conhecia o livros e já vi bastante criticas negativas e positivas, só não sei se quero ler, a premissa me chamou atenção, mas sei lá, só tento o livros nas mãos para saber.
http://odiariodoleitor.blogspot.com.br/

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...