Noturna e outros poemas...

| 08 agosto 2015 | |
Finalizei a breve [porém profunda] leitura de Noturna e outros poemas, do autor parceiro Cláudio Duffrayer e me sinto absorta nas passagens densas e sombrias carregadas de elementos mórbidos e melancólicos. Publicado pela Editora Multifoco, o livro conta com apenas 57 páginas, tendo vinte e dois contos inseridos nelas...





Os textos que mais gostei foram Cobra-coral, A esfinge, Veneno, A rapina e Mortalha. Em cada um deles, percebe-se um detalhe funesto, desesperançoso e ao mesmo tempo ardente e voraz... O protagonista dos poemas se entrega ao júbilo de dor e sensualidade, com figuras imaginárias permeando a narrativa...

"Provoca-me teu sibilar que sobrepuja os passos quando as sombras insinuam um levante e te desnudo aos poucos, disposto a tudo, menos a lutar."

Cláudio Duffrayer utiliza um vocabulário repleto de sentimentalismo e mistério, conduzindo o leitor a uma narrativa entorpecente e poética, que passa longe do que podemos chamar de 'lugar-comum'. Não há sintetismo nem artificialidade em sua obra, que usa e abusa do elemento místico/enigmático para prender a atenção do leitor. Repleto de simbolismos e metáforas, Noturna e outros poemas foi uma leitura que há muito eu não fazia, e lembrei de autores como Alphonsus de Guimaraens e Cruz e Sousa em seus escritos...

"reina o mais absoluto silêncio; onde minha voz não consegue se erguer, devorada pelo escuro, onde não há dor ou júbilo, onde não há sofrimento, onde não há dimensões."

Angústia e lirismo permeiam suas páginas. Cláudio entremeia numa colcha de retalhos todo um universo sombrio e permite que o leitor se delicie com sua narrativa fluída e assustadoramente romântica. Sem cair no clichê, é uma boa alternativa para quem procura leituras de fácil compreensão, apesar de seu vocabulário por vezes rebuscado... 

"Não ouso dizer "Basta!", não agora, quando me foram negadas todas as coisas, quando um dilúvio não poderia me purificar; sucumbo uma vez mais, sucumbo uma última vez, pois é por demais escura a noite à minha frente, e ainda mais escura é a noite que trago comigo."

Noturna e outros poemas foi cedido em parceria com o autor. É seu primeiro livro publicado.

Post relacionado:
Parceria - Cláudio Duffrayer

12 Comentários:

D e s s a Says:
09 agosto, 2015

Adorei saber sobre o que o livro trata. Não conhecia a obra e fiquei curiosa para ler!
beijos
www.apenasumvicio.com

Ana Caroline Says:
10 agosto, 2015

Olá, Maria. Não sou muito fã de poemas, então dessa vez passo a dica.
Beijo,
http://www.pactoliterario.com/

Anderson Alves Says:
10 agosto, 2015

Nunca li um livro de poemas,mas acho até legal,vou procurar por estes dias.
Adorei o blog.
http://www.garotoaocubo.blogspot.com

Francine Porfirio Says:
11 agosto, 2015

Wow, pelos quotes que selecionou, percebi claramente suas opiniões, flor. Adorei conhecer a obra por aqui. Nada tinha ouvido sobre ela, mas realmente me atraiu. Não sou uma leitora assídua de poemas, o que é uma lástima e me torna uma crítica pouco confiável no gênero, mas confesso ser uma leitora sensível que aprecia uma boa narrativa – mesmo em versos.

Beijos!
http://www.myqueenside.blogspot.com

Vitória Zavattieri Says:
11 agosto, 2015

Oii,
Adorei a premissa da obra, gosto muito de poemas e vou atrás de saber mais sobre.
Vivi
Corujas de Biblioteca

Livros & Tal... Says:
12 agosto, 2015

Olá!

Não sou muito adepta de poemas, mas gosto de liros de pequenos contos. Não vou dizer que o livro me atraiu, mas sim que, se vir a ter a oportunidade, vou querer conhecer a obra para tirar minhas próprias conclusões. XD

Beijo!
Ana.

Evelise Ciriraco Says:
12 agosto, 2015

Oi!
Gosto de leituras mais leves e geralmente passo longe de livros de terror, então acho pouco provável que eu leia Noturna, mesmo assim, imagino que seja um ótimo livro para quem gosta do estilo!
Bjs
sobrelivrosesonhos.blogspot.com.br

Juliana Piquerotti Says:
13 agosto, 2015

Olá!
Gosto muito de ler poemas, pois eles são incríveis e cheios de emoção. Com certeza eu leria, mas não no momento pois estou com uma lista imensa.

http://loucurasaovento.blogspot.com.br/

Giovana Soares Says:
13 agosto, 2015

Oii, tudo bem?
Eu ainda não conhecia o livro e gostei bastante da premissa, pois adoro poemas, espero ter a oportunidade de o conferir em breve.

Radija Praia Says:
13 agosto, 2015

Olá, Maria Valéria!

Não conhecia o livro, mas adorei conhecer! Anotando na lista.

Beijos

@rhadijapraia
http://amoremprosaecia.blogspot.com.br/


Gustavo Silveira Says:
18 agosto, 2015

Oieee, tudo bem? Não conhecia este livro, e apesar de não estar na onda de contos ultimamente acho que leria o livro, gosto de livros pequenos e a sua resenha me deixou bastante curioso rs, vou procurar saber mais sobre o livro, Abraços e sucesso para o autor.

Leitores Compulsivos BLOG.

Angélica Lima Says:
19 agosto, 2015

Oi Val, tudo bem?
Gosto de poemas, mas confesso que não leio livros de poemas, pois a forma que sempre chega algum atém mim que faz todo o sentido me impede de ler os livros...
Bjs

A. Libri

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...