2001 - Uma Odisseia no Espaço, um verdadeiro clássico da Ficção Científica

| 09 julho 2015 | |

E vamos a mais uma leitura concluída da Maratona Literária de Inverno, onde o título da vez é o clássico de Ficção Científica escrito por Arthur C. Clarke, e roteirizado para o cinema por Stanley Kubrick, 2001 - Uma odisseia no espaço, publicado pela Editora Aleph. O livro foi escrito ao mesmo tempo em que o filme era realizado, tendo o autor e o diretor contribuído de forma mútua para que a história ganhasse vida, e eis em minhas mãos essa maravilhosa obra... Sem mais delongas, à resenha...

O livro é composto de 6 partes, e logo na primeira delas nos deparamos com homens-macacos, que seriam os ancestrais da civilização hoje conhecida. Antes de uma caçada em que eles matam um leopardo e dizimam a tribo inimiga, eles se deparam com um monólito preto gigante, de origem desconhecida. Não se sabe como aquele estranho objeto surgiu ali, da noite para o dia, ou por quem foi deixado ali. Aos poucos, nota-se o desenvolvimento dos homens-macacos, desde a maneira com que se alimentam e caçam, até a forma como o próprio corpo vai se modificando ao longo das eras... 

"Nunca mais os homens-macacos tiveram de enfrentar a inanição quando seus dentes ficavam danificados ou gastos; [...] E, com a diminuição dos dentes caninos, o formato de seus rostos começou a se alterar; o focinho retrocedeu, o pesado maxilar tornou-se mais delicado, a boca passou a ser capaz de emitir sons mais sutis. A fala ainda estava a um milhão de anos de distância mas os primeiros passos em sua direção haviam sido dados."

Na sequência, nos deparamos mais uma vez com o monólito, mas desta vez o cenário é a Lua, satélite da Terra. Nota-se o futuro distante no qual a história passa a ser narrada, distante milhares de anos dos homens-macacos. O dr. Heywood Floyd viaja até a lua para ver um achado encontrado sob o terreno lunar, que foi batizado de A.M.T. - 1 [Anomalia Magnética de Tycho - Um]. Os pesquisadores e governo pretendem manter segredo do achado, pelo menos até descobrirem do que se trata de fato...

"O objeto diante do qual o homem de traje espacial estava posando era uma placa vertical de material preto, com cerca de três metros de altura e um metro e meio de largura; lembrança a Floyd, de forma um tanto lúgubre, uma lápide gigante. Perfeitamente simétrica e de bordas afiadas, era tão preta que parecia ter engolido toda a luz que caía sobre ela; não exibia nenhum detalhe na superfície. Era impossível dizer se era feita de pedra, metal ou plástico, ou de algum material completamente desconhecido ao homem."

Em outra parte do livro, a nave Discovery, tripulada com 3 homens em estado de hibernação e 2 astronautas à bordo, Frank e Bowman, tem a missão de ir até Saturno, acompanhados de Hal - 9000, um computador algorítimo que com o passar da narrativa, vai adquirindo emoções humanas e sai de controle, após uma falha em seu sistema. Ele acaba sendo desativado por Bowman, depois de quase perder a vida e ter a nave praticamente destruída, e acaba descobrindo o real motivo da viagem de exploração, que seria na verdade investigar outro monólito gigante, igual ao que encontraram na Lua meses antes, e precisa descobrir sua finalidade, mesmo que seja uma viagem sem volta...

 

O livro levantas várias questões filosóficas sobre a evolução do homem, a narrativa é bem detalhada e cheia de minúcias... em vários momentos, eu conseguia mentalizar os trechos descritos sobre a galáxia e os planetas, bem como suas nuvens de poeira cósmica. O que seria o monólito? Especula-se que seja algo construído por uma forma de inteligência de pelo menos 3 milhões antes do surgimento do homem no planeta. Um Deus? Um ser alienígena? Um povo de ciência avançada e muito superior ao homem terráqueo? Uma civilização hostil? 

Outo fator interessante no livro são alguns acontecimentos citados que anos depois viriam a se concretizar, quando na época sequer se especulavam tais fatos... A ciência e a física são constantes ao longo do texto, mas não permitem uma leitura cansativa, ao contrário - abre um leque de curiosidades em quem deseja se inteirar do assunto ou que traz em si n' perguntas a respeito da formação do universo. Clarke explora bem o conceito de inteligência artificial, viagens espaciais, tecnologia avançada e o medo do desconhecido. O que nos espia para além da atmosfera terrestre? Uma pergunta que o livro nos deixa seria "Há alguém lá fora?" 

Aos aficionados por sci-fi o livro é uma ótima pedida, a leitura flui de maneira instigante e é bem desenvolvido. como bônus, há dois contos no fim do livro, A sentinela e Encontro no Alvorecer, que foram fundamentais para a construção desse clássico. Quanto a diagramação, a Editora Aleph não poderia ter feito um trabalho melhor. O livro parece um verdadeiro monólito... 
Bem, espero que tenham curtido a resenha. Logo mais, trarei para vocês mais uma obra da Maratona. Até a próxima... beijos...


8 Comentários:

Vanessa Vieira Says:
09 julho, 2015

Oi Flor! Primeiro gostaria de lhe dar os parabéns pela resenha, ficou muito interessante. Ainda não conhecia este livro, mas achei muito bacana a forma como foi escrito. Fiquei com vontade de ler e assistir ao filme. Falar de temas como este de uma forma leve é algo singular e merece ser apreciado!

Um abraço!
http://www.pensamentosvalemouro.com.br/

Rízia Castro Says:
09 julho, 2015

Oi Linda!
Não faz muito meu estilo de livro, mas gostei de ver sua empolgação na resenha!
Valeu a dica.
Beijinhos
Rizia - Livroterapias

P.S - Adoro Charge ;)

Danielle Peçanha Says:
09 julho, 2015

Não vi o filme, mas fiquei super interessada em livro agora lendo sua resenha. Bjs

Kleiton Gonçalves Says:
10 julho, 2015

Adoro o livro e o romance. Gostei de sua resenha. Se quiser, confere uma minha:

http://kleitongoncalves.blogspot.com.br/2013/11/2001-uma-odisseia-no-espaco-de-arthur-c.html

Abraços!

Dryh Meira Says:
10 julho, 2015

Oiee ^^
Sempre achei que esse livro parecia interessante, mas nunca tive aquela vontade de ler, sabe? Ainda não sei se o leria, não é um gênero que eu curta muito, sou mais os romances e distopias *-* Mas quem sabe um dia... Fico feliz que você tenha gostado :)
MilkMilks
http://shakedepalavras.blogspot.com.br

Francine Porfirio Says:
10 julho, 2015

Wooow, senti-me com sorte! Ganhei esse livro no dia dos namorados e sua resenha só me faz pensar que vou ADOOOOORAR lê-lo! Acredita que nunca assisti ao filme? Em certa medida, acho isso favorável para mim no momento em que me dedicar a essa leitura. Terei mais chances de me surpreender com os personagens e suas circunstâncias.
Ótima resenha, flor!

Beijos!
http://myqueenside.blogspot.com.br/

Victoria Starepravo Says:
10 julho, 2015

Essa história me pareceu bem interessante! Vou adicionar a minha lista de leituras!
Beijinhos, Vic (https://corujasdebiblioteca.wordpress.com/)

Cila - Leitora Voraz Says:
14 julho, 2015

Oi Maria, sua linda, tudo bem
Eu nunca vi esse filme e lendo sua resenha percebi o quanto eu iria gostar de tê-lo visto. Achei o máximo o livro e o filme surgirem juntos. Adoro histórias de ficção, não tenho lido muitas ultimamente, e gostei dos questionamentos dessa, a origem do mundo e do ser humano sempre será um mistério, apesar de todo o conhecimento que já dispomos.
beijinhos.
cila.
http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...