Especial Fim de Semana - Dia das Mães Parte III - Mães guerreiras da literatura...

| 10 maio 2015 | |
Então, encerrando a homenagem para o Dia das Mães cá estou fazendo mais um post sobre mães e literatura... Resolvi fazer um top 3 com mães guerreiras da literatura, ou seja, personagens que são mães e marcantes em livros que já li e adorei... Vamos conhecer a pequena lista?


Leonor, de Éramos Seis [Maria José Dupré]

Eu sou apaixonada pela história desse livro, já o li umas 3 vezes durante minha adolescência e teve também uma novela do SBT contando a história de Leonor e seu marido Júlio, com seus quatro filhos: Carlos, Isabel, Júlio e Alfredo. Uma história contada do ponto de vista da mãe, em que ela foca o tempo inteiro em se sacrificar pelo bem-estar de sua família. É uma obra que merece ser lida, apreciada e que vai marcar o coração de quem ler... A personagem Leonor é decerto, uma das mães mais guerreiras da literatura, por todas as dificuldades passadas e pelo seu desfecho triste, que nos deixa com um nó na garganta...




A segunda colocada nesse top 3 é a personagem que dá nome ao livro de Judith Rossner, Emmeline. Uma garotinha, que aos 13 anos precisa deixar sua família para ir trabalhar numa fábrica de tecelagem e acaba seduzida pelo dono da fábrica, engravidando dele e tendo que abandonar seu filho/a pequeno/a para voltar ao seio da família, sem que eles nunca descobrissem que ela engravidou... A questão é que a história é ambientada no século IXI, então imaginem a situação da pobre Emmeline, e que na segunda parte do livro vai sofrer um golpe ainda mais aterrador do destino... Apesar da pouca idade, ela foi guerreira em passar por tantos sofrimentos até a sua morte, já bem velhinha... A [re]leitura dele também será feita para que eu poste uma resenha aqui no blog... Aguardem... 



A terceira mãe guerreira que escolhi para findar este post é Anya, do livro Jardim de Inverno, de Kristin Hannah. Sem dúvida, uma das histórias mais arrebatadoras que já tive o prazer de ler e que conta a história de uma mulher que não é apegada às suas filhas, Meredith e Nina. Após a morte do pai, elas precisam cumprir a promessa que fizeram pra ele de fazer a mãe contar até o final uma história que ela contava para as filhas quando elas eram crianças. No desenrolar da trama, percebe-se que esse 'conto  de fadas' é o passado da mãe durante a segunda guerra mundial, e elas precisam descobrir o que houve com Anya para ela ter se tornado tão fria com ambas... Anya foi vítima de uma guerra que levou a parte mais importante de sua vida... leiam para descobrir... Já resenhei o livro aqui, acredito que vão gostar da história...



Em suma, espero que tenham curtido o post, a homenagem singela que fiz para esse dia e aproveito para encerrar o post desejando um Feliz dia das Mães para todas essas mulheres que são guerreiras por si só, pra minha mãe, minha irmã, minha sogra, minhas amigas mamães, às mamães blogueiras, aquelas que não podem ter filhos mas adotaram e são tão mães quanto qualquer outra. A todas aquelas que perderam seus filhos, àquelas que partiram, às vovós que são mãe em dobro e tudo o mais... Vocês deveriam estar neste post, pois são guerreiras, e reais...

Um feliz dia Das Mães a todas vocês... 

1 Comentários:

Kris Oliveira - Conversas de Alcova Says:
11 maio, 2015

Val, eu não tive o prazer de ler nenhum dos livros que vc citou.
Mas sou louca há tempos pra ler éramos 6.
Beijos gatona e dê feliz dia das mães a sua mãe e a sua irmã.
E eu dou a você também que é uma tia super mãe. Beijoo
Conversas de Alcova ❤

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...