Resenha - A mais pura verdade, de Dan Gemeinhart

| 20 março 2015 | |



Uns dias atrás a Editora Novo Conceito me enviou um livreto contendo os primeiros capítulos do livro A mais pura verdade, de Dan Gemeinhart. A leitura se mostrou deliciosa logo de cara e quando finalizei o livreto, fiquei na maior expectativa de saber o desfecho da história... Pois bem, a editora me enviou um exemplar e no mesmo dia devorei o restante da história. Confesso que em vários momentos, as lágrimas vieram aos olhos...

A mais pura verdade é sobre Mark, que apesar da pouca idade já tem consciência que vai perder o páreo para um câncer grave... Então ele resolve sair de casa levando uma mochila com poucos mantimentos e seu cãozinho Beau a tiracolo, pra tentar escalar o Monte Rainier, numa espécie de 'última aventura'. Ele tinha feito essa promessa ao seu avô, que escalava montanhas e de certa forma ele quer cumprir sua promessa... 
Mark sai registrando numa pequena câmera as coisas que lhe acontecem pelo caminho. Raciona a comida, procura manter Beau sempre alimentado e sente saudades de casa... Ao longo do caminho, passa por vários momentos de perigo, de tristeza e principalmente de solidão... Mas ainda assim, ele deixa o medo de lado seguindo rumo ao seu objetivo... A tempestade vai piorando e o rádio comunica que as pessoas não saiam de casa, nem escalem a montanha, dando intervalos para falar do desaparecimento de Mark. Ele tem medo que as pessoas o reconheçam e o levem pra casa, interrompendo seu sonho... Sua amiga Jess sabe, mas ele pediu segredo e enquanto ele ruma ao seu intento, a garota fica em casa e na casa de Mark num dilema de contar onde seu amigo está indo, ou deixar que ele realize sua vontade sem interferência... 

O garotinho Mark tem muita perseverança e apesar de parecer loucura abandonar tudo e se arriscar ele tem em mente que vai morrer de qualquer forma, então ao menos uma vez em sua curta vida, ele gostaria de sentir um pouco a liberdade de fazer suas próprias escolhas, mesmo que a um preço alto... Outro ponto admirável na história é o cachorro, que sempre cuida de seu dono, e nunca o abandona. Até quando quase morre ele ainda permanece junto a Mark. Tive que me segurar pra não chorar numa das cenas mais tensas do livro envolvendo Beau...

Ao longo de sua aventura, Mark se dá conta que nunca esteve sozinho, e apesar da revolta com a vida e com o tempo que pra ele está se esgotando, ele percebe o quanto foi amado e protegido por sua família, amigos e até foi bem tratado pelos desconhecidos que surgiram em sua jornada. E ele conta com sua amiga Jess para que sua história seja conhecida por todos... Quanto ao desfecho me foi satisfatório, não é alegre, não espere um milagre divino mas foi perfeitamente coerente, e por que não dizer, 'feliz'? Tive minhas expectativas superadas com a leitura e creio que a obra possa agradar a leitores de qualquer idade. Se você procura uma história envolvente e emocionante, eis A mais pura verdade...


6 Comentários:

Lilian Farias Says:
20 março, 2015

Olá, Val!
Estou com o livro aqui para resenha, não li o livreto, pois sabia que iria ficar ansiosa.
Esse livro parece ser um desabafo dos fortes, daqueles que quando terminamos a leitura, nos sentimos vazias para arrumar a casa novamente...
http://www.poesianaalma.com.br/

Renata. Says:
20 março, 2015

Aiaiaiai esse livro! Eu recebi ele e estou com medo de ler, especialmente agora que li sua resenha x: Esses livros com temas sick-lit sempre me deixam com medo na verdade, depois que li A Culpa é das Estrelas nunca mais me arrisquei, me deixa tão triste... mas ao mesmo tempo o livro me parece uma superação, não só da doença, mas de algo mais... Agora estou entre com quase certeza que vou acabar lendo e chorando... especialmente pelo Beau ahahahah

Renata,
psychoreader.wordpress.com

thaila oliveira Says:
20 março, 2015

oie, primeiro de tudo olha a NC arrasando com esse lançamento
sobre a história, promete ser um dos destaques do mês nas minhas leituras! história boa, que promete prender do começo ao fim! Mark e Beau são uma duplinha especial
Quando der, de uma passada no blog, adorarei sua visitinha!
http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

Caroline Porto Says:
21 março, 2015

TODA HISTÓRIA QUE VEJO DE CÂNCER, O PERSONAGEM MORRE T-T É muito triste e não consigo conter as lágrimas.. logo, quase chorei lendo sua resenha :\ mas é uma história legal, ainda mais porque tem um cachorro e eu adoro quando tem bichinhos no meio rs beijos

Mutações Faíscantes da Porto

Lunna Marcela Says:
21 março, 2015

Lí algumas coisas sobre este livro e achei ele , o personagem de muita coragem e força apesar de sua luta com a doença .. parabens pela resenha ..bjs

http://florroxapoemasepoesias.blogspot.com.br/

K Riquelme Says:
22 março, 2015

Eu tenho eles em mãos para a leitura do livreto/prévia por isso ainda não posso dizer o que acho, mas pela sinopse e todo contexto apresentado nas divulgações acho que seria um livro emocionante para a minha estante, vou comprar assim que possível para apreciá-lo, sei que não terá o feliz no final.
Mas pelo visto a aventura terá valido a pena para ele.
http://k-secretmagic.blogspot.com.br/
Xoxo

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...