Resenha do Mês [Fevereiro] - Psicose

| 28 fevereiro 2015 | |


Ao comprar o box com os livros A noite dos mortos-vivos, Os Goonies e Psicose, eu já esperava ter adquirido obras de qualidade, tanto na parte escrita como pela parte estética. Não me arrependi nem um pouco da aquisição pra minha estante e venho com esta resenha provar o quanto a leitura de Psicose, escrito por Robert Bloch e imortalizada no cinema por Alfred Hitchcock foi de me fazer não pregar os olhos durante a leitura... Considero até o melhor livro lido do mês... 

Não posso deixar de elogiar o incrível trabalho editorial da Editora DarkSide Books, com uma diagramação e capa perfeita e folhas amareladas, que não cansaram minha vista em momento algum... Já conhecia o trabalho da editora por meio do meu primeiro título comprado deles: Os Goonies, edição de colecionador. eu desejava ter Psicose também na edição capa dura, mas me contentei com a minha de capa simples mesmo, não deixa de ser linda de se ter na estante...

A história, mais conhecida por quem já viu o filme de 1960, fala sobre Norman Bates, um homem esquisito que mora com sua mãe numa velha casa e administra um motel numa beira de estrada. O movimento do Bates Motel caiu bastante depois que uma nova rodovia foi construída, tirando-o da rota principal dos turistas e viajantes. Ainda assim, esporadicamente alguém se hospeda por alguma noite e entre esses viajantes incautos, surge Marion Crane

Mary recebeu uma grande quantia em dinheiro - quarenta mil dólares - a serem depositados na conta da empresa onde ela trabalhou boa parte de sua vida, e se vendo tentada a melhorar a sua vida e a de sua irmã, bem como em ir atrás de seu noivo, a fim de se casarem logo, ela acaba fugindo com o dinheiro, e durante a fuga troca de carro e segue rumo ao norte, onde iria mudar de vida e de sobrenome, ao casar-se com seu noivo. Mas no meio do caminho, ela se hospeda no Bates Motel e sela seu destino de outra maneira...


Nornan Bates
Norman Bates é um homem atormentado por sua mãe, extremamente super protetora. Ele não tem jeito para lidar com mulheres e ao se deparar com a bela Mary pedindo um quarto ele sente algo diferente dentro de si, e a convida para jantar com ele na grande casa. Ela aceita, mas sua mãe não iria gostar dessa visita repentina e graves consequências acontecem depois desse convite...

"Você odeia as pessoas. Porque, na verdade, você tem medo delas, não é? Sempre teve medo, desde pequeno. Melhor se enroscar numa cadeira debaixo de um abajur e ler um livro. Você fazia isso há trinta anos e continua fazendo agora: se esconder entre páginas de livros."



Logo surge um detetive no encalço de Mary pelo roubo do dinheiro, e sua irmã vai à procura do cunhado a fim de saber o paradeiro de sua irmã. As buscas depois de uma semana que Mary está desaparecida, levam os três ao Bates Motel... Norman tem gostos peculiares, a todo momento, surgem pensamentos confusos e seus monólogos são verdadeiras batalhas de inconsciente... Ele passa a história toda tentando encobrir os rastros dos crimes cometidos por sua 'mãe'... Em sua mente doentia, é ela que comete assassinatos, e ele precisa protegê-la para que não a enviem para um sanatório, pois ele ficaria sozinho, e ele precisa dela junto a si...

Realmente é bem difícil falar nessa obra sem contar partes importantes do enredo, mesmo considerando que muitas pessoas já conhecem toda a história. Mas ainda assim, não quero ser desagradável a ponto de soltar spoiler, e o que posso dizer é que Norman é um psicótico, ele ouve vozes em sua cabeça, e acredita piamente que sua mãe conversa com ele. A leitura de Psicose faz com que você entre na mente de Norman e você sente como se a loucura dele lhe possuísse também... Durante a leitura, eu visualizei toda a película de Hitchcock, que foi bem fiel ao livro... 


Capa minimalista do filme

Recomendo aos leitores de um bom suspense psicológico, aos fãs de psicopatas e do cinema dos anos 60. Aos que não apreciam ou não conhecem, eu recomendo também, afinal, uma leitura desse porte não pode ser dispensada. É entretenimento garantido e horas de tensão ao longo de suas 240 páginas... 
"nós só cometemos um erro atrás do outro até fazer as coisas certas pelas razões erradas. [...] Nós não somos tão lúcidos quanto fingimos ser."




6 Comentários:

Caroline Porto Says:
01 março, 2015

Eu ADOREI essa história na primeira vez que assisti o filme e fico feliz que seja fiel ao livro. Confesso que estava achando tudo muito normal no início, bem tipo "um psicopata que mata as mulheres que se hospedam lá e blablabla", mas MANO.. quando eu vi o final.. eu fiquei em choque literalmente! kkkkkkkkk é muito bom mesmo! E quando ele aparece na escada com a mãe no colo? Eu fiquei "WHAT???????" hahaha mas querendo ou não o livro também é tudo de bom, mas com certeza essa história é uma das minhas preferidas.. sem mais!

Mutações Faíscantes da Porto

Lunna Marcela Says:
01 março, 2015

Wow que coisa incrível deve ser este livro e esta frase que você destacou no final, apenas ela já da para uma longa reflexão sobre verdades, realidades e as máscaras que carregamos cotidianamente... Adorei a sua apresentação da obra e eu acho que tambem visualizaria as cenas do filme quando lesse o livro assim como voce o fez ... rsrs bjss amadinha

POESIA NA ALMA. Says:
01 março, 2015

O livro é realmente incrível, a construção psicológica dos personagens são dignas de prêmios e prende o leitor. Esse é o tipo de leitura que não se pode recusar...
http://poesianaalmaliteraria.blogspot.com.br/

Morgana Brunner Says:
13 janeiro, 2016

MEU DEUSSSSS, tento um ataque de loucura, alguém que também goste deste livro. Eu comprei ele numa promoção e quando chegou entrei em crise e abandonei todas as minhas leituras kkkkkkkkkkkkk amei a tua resenha, sinto dizer que não iria conseguir resenhar este livro, porque eu falaria demais hahaha
Beijinhos
http://segredosliterarios-oficial.blogspot.com.br/

Déborah Says:
13 janeiro, 2016

Valéria, eu nunca assisti nem ao filme.
Sou muito medrosa e tenho certeza que nem leria. Sei a história mais ou menos porque meu noivo já me contou algumas coisas, de fato é uma história incrível, mas não dá pra mim.

Lisossomos

Fernanda Goulart Says:
14 janeiro, 2016

Oie! Eu estou louca para comprar esse box da DarkSide - afinal, eles arrasam em todos os lançamentos. Não sei de onde eu tiraria coragem para ler, mas daria um jeito, hahah. Já vi algumas divulgações da série que saiu sobre a obra. Não sei se tudo lá é fiel, mas aquela série nunca chamou a minha atenção. É tudo estranho demais e acho que não teria paciência para assistir - sem contar que aquele ator não me agrada muito. Porém tenho certeza de que ler a obra é bem diferente. Talvez um dia eu agarre a oportunidade :3

Beijos,
Fernanda F. Goulart,
Império Imaginário.

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...