Primeira leitura de 2015 - Clube da Luta

| 05 janeiro 2015 | |


"Tyler me arranja um emprego de garçom, depois o mesmo Tyler está colocando uma arma em minha boca e dizendo que o primeiro passo para a vida eterna é que você tem que morrer.Porém, por muito tempo, Tyler e eu fomos melhores amigos. As pessoas sempre me perguntam se conheço Tyler Durden."


E o livro Clube da Luta começa assim. Ganhei esse livro num amigo secreto com meus alunos do 9º ano e digo com todas as letras que foi um dos melhores livros que poderia ganhar. Iniciei a leitura dele em poucos dias e só não terminei a mais tempo por causa do corre-corre das festas de fim de ano, mas concluí a leitura dele agora no início de 2015. É meu primeiro contato com o autor, Chuck Palahniuk e posso dizer que já estou apaixonada pela forma como ele escreve.

Eu tive contato com Clube da Luta quando vi o filme dirigido por David Fincher, com Edward Norton e Brad Pitt no elenco. Lembro que na época eu fiquei abismada com o roteiro e só descobri que era baseado num livro por causa de um post no Dose Literária. E desde então, ele estava em minha wish-list.

A história é sobre um cara que sofre de insônia e conhece um homem chamado Tyler Durden. O narrador da história é um homem descontente com a própria vida, seu trabalho monótono tendo um chefe que pega no seu pé e que frequenta reuniões de grupos de doentes terminais e afins. Num desses encontros, ele conhece Marla, mulher misteriosa que logo vai se envolver com Tyler, seu novo amigo fabricante de sabão. E juntos, eles fundam um Clube da Luta, que atua nas noites de fim de semana, com homens de várias idades e diferentes ocupações e classes sociais, e que durante o dia voltam para sua mesmice de vida... Existem algumas regras no clube que não devem ser quebradas, a primeira delas é não falar sobre o clube da Luta, mas a cada dia surgem novos adeptos que ouviram falar sobre o clube e seu funcionamento...

Logo a quantidade de membros aumenta sendo necessário abrir filiais em diversas partes do país. E Tyler vive administrando isso. Quando o narrador dorme, Tyler vai fazer o 'serviço pesado' e quando o narrador desperta, sente-se extremamente cansado e vai ter que consertar alguma 'confusão' que Tyler arrumou enquanto ele dormia... Marla acaba entrando na vida dos dois amigos, pois se envolve com Tyler, mas o narrador também gosta dela..

Para ser sincera, não é uma narrativa de fácil compreensão se você não ler atentamente e ficar ligado nas entrelinhas. Tive que voltar alguns trechos para compreender alguns acontecimentos. Mas fui percebendo ao longo da leitura a crítica feita à sociedade, que oprime seus cidadãos a consumirem de maneira desenfreada o que lhes é oferecido. Que não saiam do 'lugar-comum' a fim de não se distinguirem do 'rebanho' e serem tachados de anormais e 'fora dos eixos'. Os membros do clube são garçons, policiais, médicos, vendedores durante o dia mas encontram no clube uma forma de libertar-se das amarras sociais. a pancadaria é apenas um pano de fundo para extravasar a tensão do cotidiano. Os olhos roxos no dia seguinte são apenas uma pequena consequência para se recordar que à noite, eles são livres para serem o que quiserem...

"A propaganda faz essas pessoas irem atrás de carros e roupas de que elas não precisam. Gerações tem trabalhado em empregos que odeiam para poder comprar coisas de que realmente não precisam."

Após um tempo, apenas as lutas não são o suficiente para animar os frequentadores do clube e então Tyler começa novos 'projetos' de destruição e 'vandalismo'. Os membros tem metas a cumprir, e o fazem... Não dá pra me estender muito sem correr o risco de soltar spoiler mas recomendo a leitura e após esta, vejam o filme... Ambos são maravilhosos...

Ah, não poderia deixar de comentar sobre a questão da 'autodestruição' que o livro nos apresenta. Burlar as leis, quebrar as regras sociais e chegar ao 'fundo do poço' para assim 'se encontrar', amadurecer, crescer... O livro é transgressor, bem escrito, com uma carga de acidez a cada página mas que não deixa de ser envolvente e divertido... O final deixa o leitor embasbacado... E você pensa: 'como não percebi tal fato antes, no decorrer da leitura?' Foi um tapa em minha cara...


"Às vezes você faz algo e se ferra. E às vezes as coisas que não faz é que ferram você."





“AVISO: Se você está lendo isso, então isto é para você. Cada segundo perdido lendo este texto inútil é outro segundo a menos da sua vida. Você não tem outras coisas para fazer? A sua vida é tão vazia que você honestamente não consegue pensar numa maneira melhor de vive-la? Ou você fica tão impressionado com a autoridade daqueles que a exercem sobre você? Você lê tudo o que deveria ler? Você pensa tudo o que deveria pensar? Compra tudo o que lhe dizem pra comprar? Saia do seu apartamento. Encontre alguém do sexo oposto. Pare de comprar tanto e se masturbar tanto. Peça demissão. Comece a brigar. Prove que está vivo. Se você não fizer valer pelo seu lado humano você se tornará apenas mais um numero. Você foi avisado.” - Tyler

12 Comentários:

POESIA NA ALMA. Says:
07 janeiro, 2015

Já havia visto o livro clube da luta. Ouvi muitos elogios acerca do livro, apesar de não ter lido. De qualquer forma, ganhar livros é sempre bom. Sua resenha veio para aumentar minha curiosidade... Gosto dessa coisa do oprimido e opressor.

Kris Oliveira Says:
09 janeiro, 2015

Eu já assisti o filme, sou louca pra ler o livro, espero faze-lo em breve.
Esse ano tô zicada pra leitura a preguiça tá matando li nada ainda, hauhauha
Bjos Val, como sempre resenha perfeita!

Morgana Brunner Says:
08 julho, 2016

Oiii Maria, como vai?
Confesso que eu não tenho muito interesse em realizar a leitura desse livro, só vejo críticas positivas, mas anotarei a dica. Parabéns por expor a opinião assim.
Beijinhos

Coleções Literárias Says:
08 julho, 2016

Olá.
Eu ainda não li o livro e nem vi o filme, mas a cada resenha que leio fico ainda mais curiosa. Que presentaço heim... Imagino sua felicidade ao terminar o livro e perceber que leu um livro mara.
Acho que o lance de chegar ao fundo do poço para se encontrar é tipico do gênero do livro.
Amei

Raquel Cavasini Says:
10 julho, 2016

Olá Maria, tenho esse livro faz um tempo, mas ainda não li. Já conferi a narrativa de Chuck Palahniuk em 'No Sufoco' e achei bem característica. Ele gosta bastante de falar palavrões e só pensa em sexo, kkkkk

Abraços

Fabrica dos Convites Says:
10 julho, 2016

Sei que muitos gostam não só do livro, como também do filme, mas ambos não me empolgam a uma leitura.
Bjs, Rose.

Pensamento Literario Says:
10 julho, 2016

OI!!

Gostei muito da resenha, e ainda não tive a oportunidade de assistir ao filme e muito menos ler o livro.A critica do autor a sociedade é algo que desperta o interesse, e mesmo a escrita sendo em alguns momentos complexas isso não me desanima a tentar experimentar esse mundo diferente. Beijos e obrigada pela dica.

Marijleite Says:
11 julho, 2016

"Às vezes você faz algo e se ferra. E às vezes as coisas que não faz é que ferram você." Só li verdades!
Enfim, ótima resenha, e esse é um livro que está na minha lista de desejados por motivos de: título e nome do autor são interessantes, pois é, algumas vezes escolho livros apenas por isso, rsrs.

Roberta Gouvêa Says:
11 julho, 2016

Oi, Val. Tudo bem?
Esse livro é um desejado meu faz tempo, pois sempre escuto falarem bem dele (e do filme!) e li várias resenhas positivas. O que mais me chama a atenção é o mistério que dizem que tem, adoro mistério e, também, o final que dizem que é surpreendente. Além disso, saber que traz uma crítica à sociedade já me conquista ainda mais!
Beijos <3

Déborah Says:
11 julho, 2016

Valéria, já ouvi falar muito do filme e do livro.
Caramba, sempre dizem que o final deixa qualquer um boquiaberto.
Não parece ser muito meu estilo, mas tenho muita curiosidade de ler.

Lisossomos

Tahis Says:
12 julho, 2016

Oi Maria!
Tenho curiosidade com esse livro e sua resenha aumentou o meu interesse, eu pensava que era um livro voltado para o mundo das lutas, mas me enganei e muito. A luta faz parte da vida deles mas é um scape certo? Acho que todos nós precisamos de um clube onde podemos extravasar rs' gostei do aviso do Tyler e me identifiquei, as vezes me sinto sendo só mais um número. Irei colocar na lista das próximas comprinhas rs' adorei a resenha!

Beijos!
http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br//

Bruna Souza Says:
17 julho, 2016

oi, tudo bem?
essa história é incrível mesmo. Eu não li, mas vi o filme e é um dos meu favoritos. E é por isso que tenho desanimo de ler, pois nao teria essa surpresa com o final, que já sei, rs
beijos
http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...