Jack London e alguns contos...

| 12 janeiro 2015 | |
Olá, meus queridos leitores. Estou há uns dias sem postar nada por aqui, mas meu ritmo de leituras nesse início de ano está bem lento, estive adoentada por uns dias e com alguns problemas pessoais que me deixaram desanimada até para sair da cama, que dirá para me concentrar em alguma leitura... Mas, aproveitando que hoje seria o aniversário de um dos meus autores preferidos - Jack London - trago para vocês a resenha de seu último livro lido, inclusive nesse começo de janeiro...

Trata-se do livro História de um Soldado. Na verdade, o título é um dos cinco contos que compõem a obra. Fala sobre uma história de guerra, em que o protagonista desde moço sabia montar com habilidade. Ele está em terreno inimigo e qualquer movimento desnecessário pode lhe custar a vida... Ele passa por vários momentos de tensão sendo espreitado pelo inimigo... Ao se deparar com um grupo de cavaleiros, encontra uma casa onde pode se esconder... 

O segundo conto é sobre vagabundo que se encontra dormindo na grama, com o sol a pino acima de si, e é encontrado por uma linda garotinha, que coloca sobre si uma sombrinha, a fim de lhe dar sombra. O conto é o meu preferido do livro. É um contraste da vida errante e de ex-preso do vagabundo com a pureza e delicadeza de uma menina inocente, que desconhece o mal dos homens e do mundo... Traz um importante questionamento para o homem e uma esperança de mudar, e aproveitar o que a vida tem de bom a nos oferecer... O conto trata de um duelo de índole e de redenção...

O próximo conto se intitula Os três manetas. São três homens andarilhos, que numa fria noite se encontram a beira de um rio, e dividindo o álcool que traziam consigo, compartilham suas [des]venturas que os levaram à vida atual e o que os levou a chegar aquele ponto de perder um membro. Homens bem-sucedidos de outrora, que hoje vivem desgastados e ressequidos pelas agruras do tempo... 

Um nariz para o Rei é um conto sobre esperteza. Se passa na Coréia e fala sobre um político que roubou tanto do governo que foi condenado a morte e estava preso aguardando sua sentença, caso não pudesse repor o dinheiro que havia desviado. Ele utiliza-se de astúcia para conseguir se soltar, recuperar o dinheiro e dar a volta por cima...

Fechando o livro, que tem apenas 127 páginas, temos o conto A volta do pai pródigo. Josiah Childs havia se casado com uma megera, e dessa união nasceu uma criança, mas ele jamais chegou a conhecer o filho, pois abandonara o convívio do lar indo trabalhar e prospetar longe da esposa. Apesar de sempre enviar dinheiro para ela e seu filho. Eis que um dia, Josiah resolve tornar à casa, e conhece seu filho, desejando naquele momento, poder levá-o consigo... A história trata do medo de um pai ser rejeitado por sua prole, o arrependimento de ter ido embora e o medo de reencontrar a sua esposa, a quem amou um dia. 

Jack London traz pequenas lições em seus contos, escritos de forma magistral. A leitura se dá de forma rápida e breve, mas não menos agradável por sua leveza... Recomendo para todas as idades... É uma excelente pedida para os que não conhecem a obra do autor...



Jack London nasceu em 1876 e viveu apenas quatro décadas. Apesar da vida curta, escreveu e viveu muitas aventuras no decorrer da [breve] existência. Foi entregador de jornais, policial, percorreu o Canadá e Estados Unidos viajando, caçou focas no mar da Sibéria, viajou para o México e a Coréia, e é um dos maiores nomes da literatura americana. Em todos os seus livros que tive o prazer de ler, notei a mensagem de liberdade vivida por ele. Influenciou outros autores, tal como Jack Kerouac.

London foi rejeitado pelo pai e entregue para adoção. Quando sua mãe adotiva casou-se, o marido resolveu assumir a criança como seu filho, dando-lhe seu sobrenome. Faleceu em 1916, de forma precoce, mas deixou um grande legado em suas obras imortalizadas na literatura... Já falei sobre alguns de seus livros aqui no blog, podem dar uma conferida nos links abaixo...



Espero que tenham gostado do post. Até a próxima, queridos. Tentarei não demorar tanto pra voltar aqui, me desejem sorte nesses dias... Beijos...

5 Comentários:

Amanda Vieira Says:
12 janeiro, 2015

Adoro "A praga Escarlate" dele, é uma puta história!!!

Luciano Vellasco Says:
12 janeiro, 2015

Nossa, não conhecia esse autor. Vou dar uma sondada nele. Gosto de livros que nós trazem uma boa lição de vida.
Bela resenha :)

Academia Literária DF

POESIA NA ALMA. Says:
13 janeiro, 2015

Gosto do teu blog pelo fato de ser atípico, você sempre traz algo diferente dos outros, estão todos resenhando os mesmos livros. Confesso que é cansativo. Raridades. Jack London, é a primeira blogueira, que não é do meio acadêmico literário que vejo falar dele. Parabéns! Sempre uma grata surpresa vir aqui e grata lembrança.

Mariana Oliveira Says:
13 janeiro, 2015

Essas histórias são boas, acho que pessoas de "cabeça fechada" deveriam ler e tentar aprender alguma coisa.
Queria ter mais tempo e disposição para ler mais, não conhecia este autor, mas adoraria ler este livro um dia.
Beijos.
Pretty Things

Kris Oliveira Says:
14 janeiro, 2015

Não conhecia o autor, fiquei bem interessada.
Vou ver se encontro algo dele pra ler.
Tu sempre com teus achados, hein???
Beijos

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...