O Livro de Ouro do Recruta Zero

| 17 novembro 2014 | |



Trago para vocês as impressões que tive com a leitura de O livro de Ouro do Recruta Zero, que marcou forte presença em minha infância e até hoje me deixa em clima de nostalgia... Criado por Mort Walker, O Recruta surgiu em 4 de setembro de 1950, com o nome de Beetle Bailey, em 12 jornais da época. No início ele não fez muito sucesso, mas o criador resolveu alistar o personagem no exército e sua fama aumentou. Até hoje, é uma das tiras norte-americanas mais lidas no mundo. De tirinhas, passou também para o formato de Comic books. Li várias quando era pequena, junto com minha irmã. Há até hoje edições em formato livro e pocket-books sendo lançadas. E eis uma delas em minhas mãos...

Lançado pela Ediouro e custando R$16.90, são 128 páginas divididas em capítulos, cada um com os personagens mais marcantes das tirinhas. Zero, que é o protagonista vem logo no início, ilustrando o livro com suas brigas com o Sargento Tainha... 



Outro que ganha destaque nesse volume é o General Dureza, este que não consegue por em ordem seu batalhão no Quartel Swampy e sempre se vê às voltas de muita confusão... Tem esposa mas não tira os olhos da sua secretária Dona Tetê [Miss Buxley].



Outro digno de grandes risadas é o Tenente Escovinha. Ambicioso, almeja o posto máximo no exército, mas é tão insignificante para os demais membros do quartel que nem o cachorro do Sargento Tainha lhe dá créditos... 



E falando no cachorro... Oto, o adorável mascote [odiado por todo o quartel, mas muito querido pelo público leitor] é uma gracinha *risos*. Sempre ganha vantagens sobre os soldados, até na cozinha...


Na cozinha temos um cozinheiro nada higiênico, capaz de nos arrancar altas gargalhadas com suas aparições no quadrinho... Cuca. A personagem feminina de destaque é a secretária do General, dona Tetê, que vive a exibir suas curvas sensuais, deixando todos no quartel 'animados'. Temos um representante dos negros, acrescentado na história depois que Walker recebeu uma crítica de uma revista sobre seu quartel, que não tinha nenhum membro negro, sendo que nos quartéis da realidade, haviam vários, então Walker nos presenteou com o Tenente Mironga, com direito a black power. Outro personagem de destaque é o Capelão e suas filosofias, Quindim, o super namorador, o esperto Cabo Cosmo, conhecido por seus negócios escusos e Dentinho, ingênio e atrapalhado. Não podemos esquecer também de Roque, o revoltado e Platão, agraciando o quartel com sua intelectualidade...

Dona Tetê não é a única presença feminina do quartel, pois temos a senhorita Blips, e que sempre se sente pra baixo por Dona Tetê receber regalias por causa de seus 'dotes' e ela não, e a esposa do General, dona Marta. Mort Walker hoje tem 91 anos e quem tomou conta das tirinhas foi o seu filho, Greg, que segue com os negócios do pai, deixando-o na supervisão das novas criações... 

Em 1962, a tirinha ganhou uma animação para a TV, e posteriormente ganhou dois especiais animados. Mas não emplacou nas telas de cinema até hoje. A aparição do Recruta Zero no Brasil se deu em 1952, com o nome de Recruta 23, numa revista intitulada A Mão Negra. Mas apenas em 1962 se popularizou graças à Ed. Rio Gráfica, onde ganharam os nomes brasileiros que perduram até hoje. Perdendo apenas para O Fantasma, foi a segunda revista mais vendida da editora. A Rio Gráfica hoje é a editora Globo e publicou O recruta Zero até os anos 1990. 

O quadrinho é composto de várias tirinhas com sacadas irônicas e divertidas, basicamente sobre os atrapalhados integrantes do Quartel Swampy. É impossível não rir e para aqueles que gostam de um bom gibi clássico, é uma boa pedida... O Recruta Zero marcou minha vida e qual não foi minha surpresa em ver O livro de Ouro nas bancas. Adquiri sem pensar duas vezes. E retornei aos meus bons velhos anos de criança naquelas páginas...




P.s: Relevem as imagens que postei, porque não tenho câmera e meu celular não é de boa qualidade. Mas nos viramos com o que temos, não é mesmo? u.u' 


6 Comentários:

Amanda Vieira Says:
18 novembro, 2014

Ahhhh eu adoro o Recruta Zero. Eu tenho um almanaque, ou sei lá como chamava, bem antiguinho, do meu pai.
Adoro as tiras do Cuca e sua culinária duvidosa. Huahuahuahuahuah.
Parabéns pela aquisição, se eu tivesse grana saía correndo atrás do meu também.
Beijos.

Caroline Porto Says:
18 novembro, 2014

Eu amo quadrinhos bem mais do que gosto de desenhos animados! Confesso que nunca me interessei pelo Recruta Zero, mas desde muito cedo era fã incondicional da Turma da Mônica e das histórias com super heróis. Os desenhos antigos são os melhores, às vezes assisto no youtube alguns em preto e branco.. mangás então nem se fala! Esses em questão parecem ser para crianças mais crescidas e não tão bobinho como era os da Mônica.. mas curti o seu post, fico feliz que tenha conseguido comprar e espero que se divirta muito lendo, assim como eu quando leio as HQ's lindas da vida que encontro por aí :D super beijo!

Mutações Faíscantes da Porto

Ana Karina Silva Says:
18 novembro, 2014

Guriaaaaa, eu AMO o Recruta Zero. Eu e meu irmão líamos muito quando criança, tínhamos várias revistinhas dele. Os personagens que mais gosto são o Dentinho, o General e o Cuca! Às vezes coloco umas tirinhas nas provas dos meus alunos para eles fazerem a interpretação... hehehehe...
Não conhecia essa publicaçãoo da Ediouro, quero comprar!
Beijo.
Karina
http://daliteratura.wordpress.com

Mariana Oliveira Says:
18 novembro, 2014

Awn, esse tipo de história é tão nostálgico, bem coisa de quando somos crianças. Super divertido. E também tinha muito nas matérias de português no colégio haha. Hoje em dia não vejo mais algo desse tipo, quem sabe um dia.. Esse tempo <\3
Mas sabe que não faz muito tempo? Se duvidar uma tirinha dessas estava numa das minhas aulas na faculdade, tive aula de HQ, mas não me lembro Dx omg haha
Beijos.

www.prettythings.com.br

Kris Oliveira Says:
19 novembro, 2014

OWN *__*
Nostalgia mode on
Eu assistia tanto na infância.
Eu não sabia do livro, mas agora adoraria lê-lo pra estreitar a saudade.
Beijos, Val, ♫ Conversas de Alcova ♫

Julielton Souza Says:
08 dezembro, 2014

Sempre adorei o Recruta Zero, ele assim como outros quadrinhos famosos dos jornais fizeram parte da minha infância, quem me dera poder reviver a aventura que era lê-los na infância. Mesmo lendo hoje não é a mesma coisa, não há aquele brilho de antigamente.

Julielton Souza - Dialética Proposital

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...