A poesia está de luto... Manoel de Barros...

| 14 novembro 2014 | |

"Dentro de mim eu me eremito."
 Tratado geral das grandezas do ínfimo.


E quando pensamos que esse ano de 2014 não podia mais nos pregar peças, em virtude de ter levado tantos nomes importantes do meio literário, ele nos surpreende na reta final com o falecimento de mais um grande poeta brasileiro, o incrível e encantador Manoel de Barros...




Manoel estava com 97 anos e tinha sido internado em finais de outubro, vindo a falecer ontem, dia 13 de novembro de 2014 por falência múltipla de órgãos... É decerto, uma grande perda para os admiradores de seus maravilhosos versos... Ele era natural do Mato Grosso, nasceu em Cuiabá, a 19 de dezembro de 1916... além de poeta, era fazendeiro e advogado...

Já há um bom tempo eu deveria ter postado algo sobre ele aqui no blog, pois é um dos meus poetas preferidos... Infelizmente não possuo nada de sua obra em meu acervo, mas sempre lia emprestado de um amigo ou da biblioteca; livros como Compêndio para o uso dos pássaros, Tratado Geral das grandezas do ínfimo, Ensaios fotográficos, O guardador de águas, Gramática expositiva do chão, Poemas rupestres, Matéria de poesia, Retrato do arista quando coisa, entre outros, são livros que merecem ser apreciados, seja num dia chuvoso ou numa tarde ensolarada na varanda. A poesia de Manoel de Barros é transcendente, lírica, não é para entendimento, e sim para absorção... 

Mas o nosso querido Manoel partiu... depois de ter perdido os filhos anos atrás, sua vida foi definhando, e ontem a última chama se extinguiu... Vai, Manoel, encontrar teus filhos, que se foram antes do pai...

Ilustração de Luyse Costa


"Ando muito completo de vazios.
Meu órgão de morrer me predomina.
Estou sem eternidades.
Não posso mais saber quando amanheço ontem.
Está rengo de mim o amanhecer.
Ouço o tamanho oblíquo de uma folha.
Atrás do ocaso fervem os insetos.
Enfiei o que pude dentro de um grilo o meu
destino.
Essas coisas me mudam para cisco.
A minha independência tem algemas."

3 Comentários:

Mariana Oliveira Says:
14 novembro, 2014

Ah! Que desagradável, mas a vida é assim mesmo. Eu não o conhecia, na verdade nem leio poesia, (por isso não conheço). Mas imagino que deve ser ruim quando alguém que você admira parte. Ao menos suas poesias estarão sempre guardadas com alguém especial, alguém que realmente gostava dele e será eterno assim. <3
Beijos | Pretty Things!

Kris Oliveira Says:
14 novembro, 2014

Esse ano, o céu está convocando muitos artistas.
Acho que os saraus por lá estão mais animados,
É triste, mas é o rumo da vida.
Beijos, ♫ Conversas de Alcova ♫

Caroline Porto Says:
14 novembro, 2014

Muito triste mesmo.. adorava as poesias doces e tão bonitas dele :\ Mas pelo menos ficou toda a sua obra que ainda poderemos relembrar sempre com muito carinho.. bjs

Mutações Faíscantes da Porto

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...