Morte, remorso e perdão... A casa, de André Vianco

| 28 setembro 2014 | |


Ainda estou sob efeito de forte emoção ao escrever esta resenha. O único contato que tive com o autor André Vianco, foi quando meu namorado me presenteou com Os sete, obra que fala sobre vampiros portugueses no Brasil, com pitadas de humor numa narrativa deliciosa, que me faz recomendar a obra a qualquer pessoa que me peça indicação de livros. Esses dias comprei A casa, por esperar encontrar mais uma obra de 'terror', com a narrativa tão familiar que me conquistou... Bem, terror não é a palavra pra definir esse livro, mas sobrenatural certamente o é... 

A casa é um misto de emoções conflitantes, entremeadas em capítulos curtos, impregnada nas vidas de quatro pessoas que nunca se viram antes: Rosana, mulher amargurada pela morte do marido, ao qual viu pela última vez quando discutiram por causa de uma traição. Dias depois ele morria, e Rosana carrega - além de 3 filhas - um remorso que a faz procurar ajuda médica e remédios, que nunca trazem calma para seu espírito, a atormentam ainda mais, e ela chega ao ponto de cogitar acabar de vez com seu sofrimento, da maneira mais desesperada possível...

Leon, uma garota que vive com outra, e que se vê abandonada, pois sua namorada não aguenta mais o vício em drogas dela. Leon mergulhou no mundo dos entorpecentes para inibir sua culpa, de ter sido expulsa de casa pelo pai ao se revelar lésbica. Pai esse que faleceu tempos depois e em seu funeral, Leon não apareceu, deixando sua mãe sozinha num momento tão triste...

Ismael é um homem bem sucedido, tem uma rede de boates, uma namorada leal e é um workaholic assumido. Vive se estressando com o excesso de trabalho e numa discussão com um de seus funcionários, relembra de seu pai, morto quanto ele tinha dezoito anos, num trágico acidente de carro... O problema é que a última conversa de pai e filho foi um desastre completo, em que ele acabou dizendo verdades muito duras ao pai, e lamenta terrivelmente não ter tido a chance de consertar isso... 

E por último, temos Hélio. Um bêbado atormentado pelo fantasma de sua filha Mariana, uma garotinha que desde o nascimento, foi odiada pelo pai, por ter nascido com um grave problema no coração, impossibilitando-a de ser uma atleta, e que acabou tirando a própria vida aos 12 anos, por nunca ter tido o amor do pai. sua esposa Vilma não suporta mais o marido, e acaba saindo de casa, depois de anos de casamento frustrado. 

O que esses personagens tem em comum? Eles perderam pessoas importantes sem ter tido a chance de pedir desculpas, e não há como remediar o passado. O tormento e remorso os persegue, e cada um busca refúgio da maneira que pode para aplacar essa dor. Rosana vive à base de depressivos, Leon se droga, Ismael se joga no trabalho e Hélio na bebida. Mas um bilhete simples e misterioso, que chega às suas mãos em situações estranhas, acaba por mudar isso... Um bilhete contendo apenas um endereço, sem nomes nem motivos. E uma frase que os atrai para uma casa amarela com aparência de abandonada: "O alívio para o coração atormentado está aqui." 

No decorrer do livro, os personagens acabam indo à casa, e lá se deparam com uma velhinha que os convida para um chá, e tendo quatro cadeiras e quatro portas a frente, cada um deles ocupa seu lugar e logo que tomam o chá, entram por uma porta. E lá, eles tem a chance de reparar os seus erros...

Não posso adentrar mais na história sem contar o desfecho incrível que o livro traz consigo. O que posso dizer é que a escrita de Vianco nos faz mergulhar no drama dos protagonistas como se fôssemos parte de algum deles. A leitura flui muito rápido, são 228 páginas mas o leitor não percebe o virar de folhas... Uma das coisas que mais me surpreendeu é que eu esperava uma história com criaturas sobrenaturais no estilo de Os sete, e me deparo com um drama tocante, que arrebata quem o lê de forma emocionante. O livro não traz clichês de literatura espírita, embora tenha em sua essência algo relacionado à temática... É leve, ao mesmo tempo, dolorido... E a sensação de surpresa ao final da leitura não deixa de criar um nó em nossa garganta, e lágrimas aos olhos... Tive que parar a leitura em alguns momentos para enxugar as lágrimas.

A casa é um livro que toca, faz pensar e nos deixa uma importante lição: que nós sempre devemos demonstrar o que sentimos de melhor pelas pessoas queridas, porque não há chances de redenção na vida real... Uma história imperdível, principalmente para os corações que buscam alívio... 

7 Comentários:

Maiara Vieira Says:
29 setembro, 2014

Oi Linda, tudo bem?
Adorei sua resenha! Fiquei muito curiosa para conhecer mais sobre o livro e a história. Sou apaixonada por livros de terror. Adoro ler Agatha Christie...Haha, acho ela uma diva, quando se trata de um bom suspense.
Li dois livros ótimos de terror esse ano: "Os Três" e "Se Arrependimento Matasse", então te recomendo ambos os livros.
Espero em breve ter a oportunidade de conhecer e ler esse livro!

Beijão ;*
http://www.livrosesonhos.com/

Caroline Porto Says:
29 setembro, 2014

André Vianco.. sempre me surpreendo com suas obras. Também só conheço Os Sete, embora já tenha visto nas livrarias outros livros, um mais interessante do que o outro. Fiquei extremamente curiosa depois de ler sua resenha.. vou tentar encontrar pela internet, apesar de não gostar muito de e-books, pelo menos eles são mais baratos e pelo que você escreveu deve valer muito a pena. Adorei!

Mutações Faíscantes da Porto

Kris Oliveira Says:
29 setembro, 2014

Eu sempre ouço falar do André Vianco muito bem no circulo de leitores nacionais,
Mas ainda não tive a oportunidade de ler nada dele.
Porém já acrescentei aqui no meu bloquinho as suas duas indicações.
Bjoos Val.

Vanessa Says:
29 setembro, 2014

Nossa, fiquei impressionada com sua resenha. O sebo que costumo frequentar tem uma parte especial para ele e sempre passei por ela me perguntando se valia arriscar. Acho que sua resenha me convenceu.

Anna Canedo Says:
30 setembro, 2014

Oi Val ,então a premissa do livro me agradou bastante , a questão de quatro diferentes pessoas unidas pelo sentimento de arrependimento , a questão dos vicios ,enfim , gosto desse tipo de leitura . No entanto ,você falou de uma pitada sobrenatural , e isso me deixou um pouco receosa ,não sei se essa junção é bacana hahahah . Masto curiosa pra saber mais sobre esse livro.

Beijos , Anna

http://amigadaleitora.blogspot.com.br/

Livia Maria Says:
30 setembro, 2014

Nossa parabéns amei a resenha , já ouvi falar demais desse livro e com sua resenha fiquei ainda mais com vontade de ler ..

Girlene Viey Says:
30 setembro, 2014

A historia e muuuito tensa mais e simplesmente demais.
Adorei historia e muuuuito emociante quando o livros tem capitulos curtos e mais facil de colocar limites como eu faço quando leio livro

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...