Histórias de amor, de Rubem Fonseca

| 08 junho 2014 | |


Eis que vi por um acaso do destino, uma promoção da FNAC pelo twitter, em que vários títulos se encontravam disponíveis por apenas R$0,90 centavos + frete grátis. Não pensei duas vezes em procurar entre tantos livros algum que me despertasse interesse. Quando me deparei com Histórias de amor, do escritor Rubem Fonseca, comprei na hora. Esse autor faz parte do Desafio literário que estou participando, então, nada melhor que conhecê-lo comprando um de seus títulos... 

O livro é formado por sete contos: Betsy, Cidade de Deus, Família, O anjo da guarda, Viagem de núpcias, O amor de Jesus no coração e Carpe Diem. Ao contrário do que o título sugere, não são histórias de amor entre casais que vão terminar felizes. Parece clichê, mas o conteúdo foge muito do lugar-comum e acaba surpreendendo de forma positiva [ao menos pra mim], por se tratar de amores não convencionais, que escapam da mesmice água-com-açúcar de livros que poderiam ter esse título... Betsy, o mais curto deles, teve que ser relido pra que eu captasse do que realmente se trata. Triste e genial. Fala de morte, último suspiro ao lado de quem se ama, e se revela uma surpresa. Cidade de Deus me deixou com uma sensação de repulsa... é amor, só que perverso. Família me deixou enojada com a crueza de seus acontecimentos... Em suma, são contos fechados, cada qual trazendo uma tragédia ou situação inusitada, mas cheia de sensações familiares ao nosso cotidiano.

A escrita de Rubem Fonseca é crua, sem preâmbulos, sucinta. Traz cenários violentos, personagens amargurados, deturpados em suas próprias emoções. São palavras graciosas perdidas entre parágrafos de cenas grotescas, num conjunto de elementos como traição, morte, trapaça, poesia, sexo e desespero. Mas existe o amor em cada uma das histórias, embora, como diz o prefácio, haja também a vida, sua inimiga...

A capa é bonita, apesar de simples, e numa sentada o li por inteiro... Experiência válida que me fez querer conhecer outras obras do autor. Alguém aqui já leu Histórias de amor ou algum outro livro de Rubem Fonseca? Me contem aqui pelos comentários. 
Espero que tenham curtido o post.

Beijos a todos... 

"Toda vez que eu acabo de falar com você no telefone vou correndo para o espelho para ver se não estou com a cara de Meryl Streep. Da última vez senti um gosto doce na boca, meu cabelo quis ser louro, então prometi parar de perguntar 180 vezes se você me ama, se você não vai me abandonar, se essa coisa boa não vai acabar. Eu prometo, está bem?" 

8 Comentários:

Carol Teles Says:
08 junho, 2014

Essa coisa de escrita crua é algo que me identifico muito na literatura.
Nunca li Rubem Fonseca. Na verdade, acho massa seu gosto de leitura. Só te vejo ler coisas decentes. Muito bem!!

bjus
terradecarol.blogspot.com

Amiga da Leitora Thais Says:
08 junho, 2014

Como eu não vejo umas promoção dessas???

xoxo
http://amigadaleitora.blogspot.com.br/

Fernanda Bizerra Says:
09 junho, 2014

Nossa muito legal sua resenha.
Não li nada do escritor, mas quem sabe um dia eu abra a porta para ele.

Beijos Fê :*
http://fernandabizerra.blogspot.com.br

T. Costa Says:
10 junho, 2014

Gosto muito do Rubem. Como eu te disse antes, li esse mas não foi um dos que me marcou mais. No entanto também reforço a indicação.

Italo S Says:
10 junho, 2014

Oi, Val, como está?
Já li Rubem na faculdade -alguns contos; e li um livro dele.
Acho bem... realista, assim, ele não tem 'fugas', ele é bem direto,
Acho massa, sim :)

http://incriativos.blogspot.com.br/

Maria Valéria Says:
11 junho, 2014

muito obrigada, flor :)
bjs

Maria Valéria Says:
11 junho, 2014

quero ler outros livros dele, gostei da primeira impressão :D

Maria Valéria Says:
11 junho, 2014

pois é, uma leitura bem crua ^^
bjs, lindão <3

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...