Resenha do Mês [Março] - The Walking Dead - A queda do Governador Parte 1

| 17 abril 2014 | |


Demorei mas cá estou eu com a Resenha do Mês. E dessa vez, quem me ganhou em Março foi mais um título de The Walking Dead - A queda do Governador Parte 1, publicado pela Ed. Record. Como alguns já viram, [caso não, vejam aqui], eu tinha resenhado o primeiro livro, A Ascensão do Governador, pois achei a narrativa incrível e cheia de surpresas. Depois que li O caminho para Woodbury, não me senti tão extasiada quanto com a leitura do primeiro livro, mas percebi que o segundo foi meio que uma ponte para o que estava por vir nesse que agora resenho. 

Nesta continuação, os eventos em Woodbury não são tão favoráveis para o Governador. Após a morte de alguns personagens e a entrada de Rick e seu grupo, o Governador vem perdendo muito de seu status e muitos passam a enxergá-lo como ele realmente é. O caminho inverso também se dá, alguns que queriam seu fim anteriormente passam a vê-lo como um possível 'salvador' daquelas pessoas. [Gente burra tem em todo lugar, mas enfim...]. Não vou me estender dando nomes a tais personagens, pra que não haja spoiler. Mas o que posso dizer é que Robert Kirkman mantem uma narrativa interessante, cheia de revelações e não poupa ninguém, não tem essa de ser um personagem queridinho e por isso não vai sofrer. Pelo contrário. Algumas coisas que o Governador faz me deixam ainda mais irada com ele. Na série de TV, ele não passa de um vilão bunda-mole e no livro se revela muito mais cruel, complexo e melhor desenvolvido. Sem sombra de dúvidas, é um dos personagens mais bem-feitos da história, embora eu o deteste. 

Essa parte da história foi dividida em duas, então provavelmente o quarto livro da série será o final, e nem precisa dizer que estou bastante ansiosa pra lê-lo, mas ele ainda não saiu aqui no Brasil, e nem tenho idéia de quando será publicado. Nesse meio tempo, vou me deliciando com a HQ, que tem perspectivas diferentes de muita coisa que rola no livro e na série. A mente de Kirkman é de mestre, por fazer tantos personagens, situações de formas diferentes, a fim de agradar o leitor dos livros, das HQ's e telespectadores da série. As histórias vão se completando, e é impossível alguém ler e não querer assistir, e vice-e-versa.

Mas voltando ao livro 3, um dos pontos altos é a forma como o Governador mantem entretidos os cidadãos de Woodbury, numa arena em que pessoas lutam rodeados de zumbis acorrentados. Qualquer deslize pode ser fatal. Mas algumas pessoas não concordam com isso... Enquanto que em O Caminho para Woodbury, a ênfase se dá na relação que ele tem com seus moradores, no terceiro livro a coisa muda um pouco, com a chegada de Rick, Glenn e Michonne. Tentando evitar essa diversão animalesca, eles acabam prisioneiros do Governador e terão que dar um jeito de saírem vivos dessa enrascada... 

Lilly vem me dando cada vez mais raiva. No início eu até tentei simpatizar com ela, mas parece que ela tá pirando pois não consegue mais tomar uma decisão acertada. Parte dela quer se vingar do Governador, mas por outro lado, ela teme deixar a segurança que Woodbury lhe proporciona. Bob continua bêbado pelos cantos. Penny... bem, Penny continua sendo alimentada de forma doentia pelo seu 'pai'. Quem se opuser às decisões do Governador, pode ir parar num lugar da arena, não muito agradável... 

Outro ponto que acho importante ressaltar é a forma descritiva dos zumbis, do medo dos personagens e sua incerteza quanto ao amanhã. Em alguns momentos, eu tive muito nojo do Governador. Ele conseguiu ser mais asqueroso que os próprios zumbis... Para finalizar, deixo o trecho que me enojou completamente e me fez ter certeza que o Governador é um doente [no pior sentido da palavra...]...  CUIDADO QUE ESSE TRECHO PODE SER CONSIDERADO SPOILER. 

"- Está vendo... você virou o balde, e agora sua comida estragou. É isso o que merece. - Ele abaixa a voz, acrescentando aos sussurros: - Mesmo fresca, não entendo como come essa porcaria... mesmo.
Ele desaba na poltrona reclinável, que solta um guincho quando é reclinada. Com as pálpebras pesadas, as articulações doloridas, a genitália inflamada devido ao uso excessivo, o Governador se recosta e pensa na vez que provou, de fato, a comida de Penny."

5 Comentários:

Marcela Marques Says:
17 abril, 2014

Oi!
Não é meu tipo de leitura favorito mas acredito que seja uma pedida muito interessante.
Adoreia resenha.

Beijos,
Marcela.
ocantinholiterario.blogspot.com
P.S: Desculpa demorar para visitar o blog, minhas provas terminaram ontem então estou meio atrasada! Mas espero que isso não volte a acontecer ♥

Cassidy Valcorte Says:
17 abril, 2014

Oie :D
Nunca curti zumbis, mas esta história parece ser mais instigante que a série :)

Beijos Val, excelente resenha!

Maria Valéria Says:
20 abril, 2014

eu nem qual prefiro, gosto de todas as perspectivas da história. Vale muito a pena ler, Cah =]

Maria Valéria Says:
20 abril, 2014

obrigada, flor. Volte sempre ^^
sem problemas quanto a demora. Vou visitar o seu tb
bjinhos =D

Kris Oliveira Says:
23 abril, 2014

Eu parei de assistir a Série na terceira temporada, justamente a do governador, achei muito ruim, mas quero voltar porque vi alguns trechos da 4° que me instigaram a isso. Fora que fico com raiva quando começa a temporada de TWD e começa a chover fã poser de tudo quanto é lado, aff. Acho que sou meio Hipster nesse caso. Rsrsrsr
Já li alguns HQ'S, mas guardo sempre a expectativa de livros serem melhores, assim que tiver a oportunidade vou adquiri-los.

Beijos,
Conversas de Alcova

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...