Lendas e 'Causos' do Recife Assombrado

| 28 abril 2014 | |



Apresento a vocês duas obras pernambucanas: Histórias medonhas d'O Recife Assombrado e Estranhos mistérios d'O Recife Assombrado, ambos de Roberto Beltrão, publicados pelas Edições Bagaço. São dois livros de causos e lendas pernambucanas, de assombrações que permeiam o imaginário do povo da minha terrinha. Existe um blog que vocês podem acessar pra conhecer melhor do que se trata o conteúdo. Mas posso dizer que os contos publicados em ambos os livros são assustadores, e eu, que li em madrugadas frias com chuva caindo lá fora, fiquei impressionada e temerosa... É uma boa oportunidade de vocês conhecerem A perna cabeluda que assombra os passantes recifenses, A galega de Santo Amaro, "Cumade Fulozinha", Virgínia e também conhecer um pouco dos antigos casarões que embelezam a parte velha da capital pernambucana... A paisagem do Recife de outrora, mesclada com o urbanismo moderno dos anos atuais... 


"...Ao caminhar pelos corredores escuros, viu o que não queria: vultos translúcidos apareciam de repente e lhe atravessavam o caminho. Formas difusas percebidas pelo canto do olho, à espreita de uma vítima distraída. Fantasmas saídos de um pesadelo de criança."


Estranhos mistérios possui dezoito contos de terror, entre eles A galega de Santo Amaro, "Cumade Fulozinha", Pegadas de lobisomem e Dinheiro das almas. Para os leigos em causos e lendas urbanas, são personagens da cultura pernambucana que permeiam o imaginário do povo pernambucano, e que são contados de pai para filho, principalmente em rodas iluminadas a luz de velas, nas zonas rurais, em noites de lua em que falta energia elétrica. Tenho 28 anos e boa parte de minha infância era ouvindo esse tipo de relato de meus pais e padrinhos... [bons tempos...], lembro que minha irmã e eu morríamos de medo do lobisomem, de Cumade Fulozinha, das almas desenterrando botijas, entre outros... Mas enfim, voltando das memórias e indo aos livros... *risos*

Esses contos que citei são alguns dos meus preferidos, mas gostei muito também de Afogados em pavor [que se passa no bairro de Afogados, na capital pernambucana], Encontros do Além e Ossadas e Caveiras. Cada conto é único, e alguns trazem elementos do cenário urbano, dos tempos vindouros, preservados por meio dos antigos casarões e construções antigas que embelezam a capital e os interiores do estado. Interiores, porque alguns dos contos se passam na zona da mata, no agreste de Pernambuco, ou em cidades rurais, distantes de Recife. 


"Um dia no engenho

Já tarde da noite

Que estava tão preta

Como carvão...

A gente falava de assombração"

Ascenso Ferreira.

 O livro traz um prefácio, apresentando o leitor ao que está por vir nas páginas seguintes. Confesso que a leitura dessas obras me deu noites de insônia e medo do desconhecido, além de, claro, fazer com que eu voltasse no tempo, aos primeiros anos de minha infância, me deixando nostálgica e ao mesmo tempo com o coração palpitante ao menor barulho no silêncio da madrugada [melhor hora pra ler esses livros...] 

A segunda obra em questão, Histórias medonhas, é dividido em duas partes: Relatos, em que os casos são depoimentos de pessoas que contribuiram com o site do Recife Assombrado, contando suas supostas experiências sobrenaturais, ou que 'ouviram do amigo do padrinho do vizinho', e podemos destacar entre as melhores histórias Casarão de Setúbal, O prédio do Espinheiro, Madrugada no quartel, A mulher do algodão, e talvez o mais famoso caso de assombração de Recife: A perna Cabeluda [que consiste numa perna cabeluda! que não possui corpo e aparece na Av. Conde da Boa Vista, pelas madrugadas, dando chutes em indivíduos solitários que perambulam pelas ruas...]. 

A segunda parte do livro é de Contos, treze ao todo. Destaco sem sombra de dúvidas, Virgínia, em que um rapaz, após perder sua mãe e visitar seu túmulo aos domingos, se depara com uma lápide com uma fotografia de uma bela jovem de nome Virgínia, e aos poucos ele cria uma obsessão pelo retrato a ponto de ir em busca da história da jovem morta, e quando finalmente descobre como se deu sua morte, acha que enfim pode ficar tranquilo em satisfazer sua curiosidade, mas aí Virgínia passa a 'conviver' com ele em seu apartamento... 

Outros contos notáveis são "Monga, a mulher gorila", O pastoril, O amigo de família e Seus serviços não são mais necessários. Ah, não esquecendo de Amor de mula. Uma característica interessante em ambos os livros é que as histórias não procuram nem se baseiam em conhecimentos religiosos ou com foco em estudo no paranormal. Os livros trazem a 'pretensão' de simplesmente deixar registradas muitas histórias contadas 'boca-a-boca', que ao longo dos anos [principalmente com a evolução tecnológica] vão se perdendo. É uma forma de manter viva a tradição das lendas urbanas antigas, que tiveram origem em tempos remotos e sobrevivem nos tempos atuais de forma limitada, quase em extinção. E posso afirmar com convicção que o autor, Roberto Beltrão, cumpre bem esse papel...

As capas, como podem ver nas imagens acima, são lindas e trazem certa carga de mistério e melancolia, um resgate de tradições antigas, de arquitetura 'velha', e por isso mesmo, atrativa, pois tende ao 'decadente', ao antiquado, ao fantasmagórico. Em suma, são duas leituras válidas, que você precisa ter na estante, e ao tirar o pó de suas lombadas, de tempos em tempos, folhear, [re]ler e se 'assombrar'...

Roberto Beltrão


Roberto Beltrão é jornalista, formado pela Universidade Católica de Pernambuco, e possui pós-graduação na Universidade Federal de Pernambuco. Desde 1991, trabalha como editor. Já foi professor universitário, e de 1997 pra cá, pesquisa sobre assombrações e temas do gênero. No ano de 2000, criou com outras pessoas o site O Recife Assombrado.




8 Comentários:

Erika De Castro Says:
28 abril, 2014

Que bacana! Gosto de histórias de terror, mas sabendo que são aqui do Brasil, o medo é dobrado rs.
bjuus


http://noitesdeleituras.blogspot.com.br

Luz, câmera... moda! Says:
28 abril, 2014

Gostei!

Cassidy Valcorte Says:
28 abril, 2014

Eu fui pro lançamento do site do Recife Assombrado, foi incrível a aura de mistério e malassombro do evento! Realmente sensacional, Val! E sua resenha como sempre maravilhosa, ótima dica de leitura pra mim =D

Beijão moça!
Cah

Carol Teles Says:
28 abril, 2014

Você é corajosa.
Nunca leria um libro de horror de madrugada e com chuva do lado de fora. Tenho pavor!
Só leria no meio do mercado e em pleno meio dia, que é para dar tempo de esquecer até de noite. rsrsrs
Até o nome dos livros assustam!
Continuo dizendo que você é corajosa. kkkkkkkkkk

bjus
terradecarol.blogspot.com

Maria Valéria Says:
28 abril, 2014

queria muito ter ido, mas o evento que vai ter do novo livro, não vou perder.

Maria Valéria Says:
28 abril, 2014

ahahaha coragem nada, sou afoita, isso sim :P
bjs, flor.

Kris Oliveira Says:
28 abril, 2014

Eita, Val que me fizesse voltar pra minha infância e modesta parte se tem uma coisa que pernambucano sabe bem é botar medo nos outros com histórias. Nosso folclore é tão rico nessas histórias ♥
A perna cabeluda é uma das minhas favoritas e a cumadre fulozinha sempre ouvi falar em casa, meu avô vive dizendo que ela já perdeu ele por aí, rsrsrs
Já li alguns livros de autores pernambucanos que tinha na biblioteca da escola, mas nunca tive a sorte de cruzar com nenhum desses, que pena!

Beijos Val ♥

Conversas de Alcova

Jessica Henriques Says:
28 abril, 2014

Dinheiro das almas em... caramba deve ser show!
Onde encontrar Val pra comprar? Tem algum site?

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...