Bob - Um gato fora do normal

| 29 abril 2014 | 8 Comentários |


Acabei de fazer a leitura desse livro e a conclusão a que cheguei é que é uma obra leve e agradável, que cativa pela simplicidade. De autoria de James Bowen, Bob - Um gato fora do normal fala sobre a experiência nas ruas de um gato e seu dono, que após encontrá-lo na soleira da porta de seu apartamento, acolheu e cuidou do bichano, e desde então não mais se separaram. Publicado pela Ed. Novo Conceito, é um lançamento de abril/2014.

James vivia nas ruas, se drogava e depois que Bob entrou em seu caminho sua vida mudou completamente. Bob passou a ser seu filho adotivo, que o acompanhava nas ruas, quando ia tocar seu violão a fim de ganhar os trocados de pagar o aluguel, e depois quando passaram a vender as revistas Big Issue nas esquinas e em frente as estações de metrô. O sucesso de James devia-se ao fato de Bob atrair a atenção dos transeuntes, que se admiravam com a personalidade peculiar do gato, muito senhor de si, que ficava pacientemente o dia inteiro ao lado de James, fazendo com que as pessoas comprassem mais e mais revistas. Claro que esse fato atraiu a atenção de gente invejosa, e James teve que lidar com algumas situações chatas descritas no livro. Mas, como ele andava 'na linha', conseguia resolver esses problemas sem maiores dificuldades. Como ele mesmo diz em alguns trechos, pra cada pessoa que os olhava de forma negativa, dez os viam com bondade. 

Coisas simples, como um jantar apropriado, viram motivo de festa para os dois amigos, visto que antes, eles viviam nas ruas, à margem da sociedade, e quando ganhavam umas libras a mais, nada melhor que festejar com um bom prato e petiscos. 

"- Que tal um belo saco de ração chique, Bob? - sugeri no supermercado. - E alguns pacotes de seus petiscos favoritos, e um pouco de leite especial para gatos? Vamos aproveitar. Foi um dia inesquecível." 

Muitos achavam linda a amizade entre James e seu gato. James fala que por vezes tinha a impressão que Bob transformava o dia das pessoas, dava um brilho especial em suas rotinas, quando cruzavam com ambos nas ruas.

"para cada pessoa que me olhava de um jeito meio bravo, havia dezenas que sorriam e acenavam. Uma senhora carregada de sacolas de compras nos deu um sorriso largo e simpático. - Vocês dois formam uma imagem linda - ela comentou." 

Havia o problema com as drogas. James foi viciado por vários anos e se encontrava em reabilitação quando acolheu Bob. Mas a medida que o tempo passava, ele sentiu a necessidade de parar completamente com seu vício, de se 'limpar' pois havia agora uma vida sob sua responsabilidade. Era um lado escuro de seu passado que ele não queria trazer para a convivência com o gato. E com muito esforço e força de vontade, ele conseguiu superar. E Bob estava lá, em todos os momentos, mostrando para James que ele não estava só...

Com Bob a seu lado, James não se sentia um indigente, uma 'não pessoa'. Ele conseguiu recuperar sua dignidade O livro não traz uma narrativa mirabolante e sim, um registro do dia-a-dia de um homem das ruas com seu animalzinho de estimação. Ele era sua companhia, sua responsabilidade, seu refúgio. Por vezes, me peguei pensando durante a leitura se foi James que salvou Bob ou o contrário... Creio que ambas as conjecturas se encaixam na história... 

Uma das partes mais emocionantes pra mim foi quando James fala sobre um natal ao lado de Bob. Segundo o próprio James, foi o melhor natal que teve em anos. Ao fim do livro, temos várias photos coloridas de James e Bob, dando mais graça a obra. A capa é linda, a diagramação é fantástica, há sombras de gatinhos espalhados por todos os capítulos. A estética do livro é impecável, e a história, como havia dito no início da resenha, cativa por sua simplicidade. Aos fãs de gatos, uma ótima distração entre leituras mais complexas. Aos que não são fãs de bichanos, uma experiência válida e encantadora...



James Bowen é um artista de rua londrino, Ele encontrou Bob em 2007 e desde então, eles são companheiros. Escreveu também Um gato de rua chamado Bob e O mundo pelos olhos de Bob. Confiram minha resenha sobre O mundo pelos olhos de Bob neste link... 

Lendas e 'Causos' do Recife Assombrado

| 28 abril 2014 | 8 Comentários |



Apresento a vocês duas obras pernambucanas: Histórias medonhas d'O Recife Assombrado e Estranhos mistérios d'O Recife Assombrado, ambos de Roberto Beltrão, publicados pelas Edições Bagaço. São dois livros de causos e lendas pernambucanas, de assombrações que permeiam o imaginário do povo da minha terrinha. Existe um blog que vocês podem acessar pra conhecer melhor do que se trata o conteúdo. Mas posso dizer que os contos publicados em ambos os livros são assustadores, e eu, que li em madrugadas frias com chuva caindo lá fora, fiquei impressionada e temerosa... É uma boa oportunidade de vocês conhecerem A perna cabeluda que assombra os passantes recifenses, A galega de Santo Amaro, "Cumade Fulozinha", Virgínia e também conhecer um pouco dos antigos casarões que embelezam a parte velha da capital pernambucana... A paisagem do Recife de outrora, mesclada com o urbanismo moderno dos anos atuais... 


"...Ao caminhar pelos corredores escuros, viu o que não queria: vultos translúcidos apareciam de repente e lhe atravessavam o caminho. Formas difusas percebidas pelo canto do olho, à espreita de uma vítima distraída. Fantasmas saídos de um pesadelo de criança."


Estranhos mistérios possui dezoito contos de terror, entre eles A galega de Santo Amaro, "Cumade Fulozinha", Pegadas de lobisomem e Dinheiro das almas. Para os leigos em causos e lendas urbanas, são personagens da cultura pernambucana que permeiam o imaginário do povo pernambucano, e que são contados de pai para filho, principalmente em rodas iluminadas a luz de velas, nas zonas rurais, em noites de lua em que falta energia elétrica. Tenho 28 anos e boa parte de minha infância era ouvindo esse tipo de relato de meus pais e padrinhos... [bons tempos...], lembro que minha irmã e eu morríamos de medo do lobisomem, de Cumade Fulozinha, das almas desenterrando botijas, entre outros... Mas enfim, voltando das memórias e indo aos livros... *risos*

Esses contos que citei são alguns dos meus preferidos, mas gostei muito também de Afogados em pavor [que se passa no bairro de Afogados, na capital pernambucana], Encontros do Além e Ossadas e Caveiras. Cada conto é único, e alguns trazem elementos do cenário urbano, dos tempos vindouros, preservados por meio dos antigos casarões e construções antigas que embelezam a capital e os interiores do estado. Interiores, porque alguns dos contos se passam na zona da mata, no agreste de Pernambuco, ou em cidades rurais, distantes de Recife. 


"Um dia no engenho

Já tarde da noite

Que estava tão preta

Como carvão...

A gente falava de assombração"

Ascenso Ferreira.

 O livro traz um prefácio, apresentando o leitor ao que está por vir nas páginas seguintes. Confesso que a leitura dessas obras me deu noites de insônia e medo do desconhecido, além de, claro, fazer com que eu voltasse no tempo, aos primeiros anos de minha infância, me deixando nostálgica e ao mesmo tempo com o coração palpitante ao menor barulho no silêncio da madrugada [melhor hora pra ler esses livros...] 

A segunda obra em questão, Histórias medonhas, é dividido em duas partes: Relatos, em que os casos são depoimentos de pessoas que contribuiram com o site do Recife Assombrado, contando suas supostas experiências sobrenaturais, ou que 'ouviram do amigo do padrinho do vizinho', e podemos destacar entre as melhores histórias Casarão de Setúbal, O prédio do Espinheiro, Madrugada no quartel, A mulher do algodão, e talvez o mais famoso caso de assombração de Recife: A perna Cabeluda [que consiste numa perna cabeluda! que não possui corpo e aparece na Av. Conde da Boa Vista, pelas madrugadas, dando chutes em indivíduos solitários que perambulam pelas ruas...]. 

A segunda parte do livro é de Contos, treze ao todo. Destaco sem sombra de dúvidas, Virgínia, em que um rapaz, após perder sua mãe e visitar seu túmulo aos domingos, se depara com uma lápide com uma fotografia de uma bela jovem de nome Virgínia, e aos poucos ele cria uma obsessão pelo retrato a ponto de ir em busca da história da jovem morta, e quando finalmente descobre como se deu sua morte, acha que enfim pode ficar tranquilo em satisfazer sua curiosidade, mas aí Virgínia passa a 'conviver' com ele em seu apartamento... 

Outros contos notáveis são "Monga, a mulher gorila", O pastoril, O amigo de família e Seus serviços não são mais necessários. Ah, não esquecendo de Amor de mula. Uma característica interessante em ambos os livros é que as histórias não procuram nem se baseiam em conhecimentos religiosos ou com foco em estudo no paranormal. Os livros trazem a 'pretensão' de simplesmente deixar registradas muitas histórias contadas 'boca-a-boca', que ao longo dos anos [principalmente com a evolução tecnológica] vão se perdendo. É uma forma de manter viva a tradição das lendas urbanas antigas, que tiveram origem em tempos remotos e sobrevivem nos tempos atuais de forma limitada, quase em extinção. E posso afirmar com convicção que o autor, Roberto Beltrão, cumpre bem esse papel...

As capas, como podem ver nas imagens acima, são lindas e trazem certa carga de mistério e melancolia, um resgate de tradições antigas, de arquitetura 'velha', e por isso mesmo, atrativa, pois tende ao 'decadente', ao antiquado, ao fantasmagórico. Em suma, são duas leituras válidas, que você precisa ter na estante, e ao tirar o pó de suas lombadas, de tempos em tempos, folhear, [re]ler e se 'assombrar'...

Roberto Beltrão


Roberto Beltrão é jornalista, formado pela Universidade Católica de Pernambuco, e possui pós-graduação na Universidade Federal de Pernambuco. Desde 1991, trabalha como editor. Já foi professor universitário, e de 1997 pra cá, pesquisa sobre assombrações e temas do gênero. No ano de 2000, criou com outras pessoas o site O Recife Assombrado.




TAG - Antiguidades literárias

| 26 abril 2014 | 10 Comentários |
Tinha visto essa tag no blog Mais uma página e achei muito interessante a idéia. Então resolvi fazer por aqui também. Consiste em responder 5 perguntas sobre seu Acervo. Então vamos lá:



  • Qual é o livro mais velho em ano de publicação que você possui?
Difícil responder pois tenho vários livros antigos na estante, mas um que eu lembre é A expedição Kon-Tiki - 8.000 Km numa jangada através do Pacífico, que data de 1952. Mas possuo uns livros cartilha [gramática, álgebra, geografia e história] que foram publicados nos anos 1920... Ah, tenho o volume 3 de O homem que ri, de Victor Hugo, data de publicação dos anos 1940, mas não sei o ano exato... 

  •   Qual é o livro mais antigo que você comprou ou o primeiro livro que você adquiriu?
Acho que o Histórias de Tia Nastácia, de Monteiro Lobato. É certamente, um dos títulos mais antigos de meu acervo... 

  • Qual é o livro mais antigo que você lembra ter lido?

Dom Quixote de La Mancha, de Miguel de Cervantes, publicado pela primeira vez em 1605-1615. Minha edição é de 1978. [E estou lendo ainda]

  • Qual é o livro que se passa na época mais antiga que você se lembra?
Bom, li vários que se passam em épocas muito antigas, mas não sei em que ordem cronológica eles estão. São estes: Lisístrata ou A greve do sexo, de Aristófanes; Prometeu Acorrentado, de Ésquilo; As troianas, de Eurípedes; A epopéia de Gilgamesh, de Sin-liqe-unninni; O código de Hamurábi, de Hamurábi e O livro dos mortos do Antigo Egito. Não faço idéia de qual vem primeiro, mas que eu lembre, essas foram as histórias de ambientação mais antiga que já li... Deles, possuo apenas O código de Hamurábi em meu acervo...

  • Qual é o livro que você tem a mais tempo na estante e ainda não leu?
Madame Bovary, de Gustave Flaubert. Está na minha estante desde 2009. Leitura vai, leitura vem e não o peguei da pilha ainda...


Espero que tenham curtido a TAG. Sintam-se a vontade pra fazer e me digam as respostas de vocês. 
Beijinhos... 

Nova Parceria - Amanda Marchi

| 24 abril 2014 | 12 Comentários |
E trago pra vocês uma novidade incrível para o blog. Dia desses recebi uma proposta para preencher um formulário de parceria com a autora Amanda Marchi, e qual não foi minha surpresa quando abri o e-mail e vi que o blog havia sido selecionado para parceiro. Vocês podem conferir a lista de blogs selecionados através do link do blog de Amanda, o Escritos e Estórias

Quando preenchi o formulário, não buscava apenas ganhar mais uma parceria, mas pensei na proposta do livro, vi que realmente tinha interesse pois se trata de uma temática que muito me agrada, e espero que vocês possam gostar da minha opinião sobre o livro assim que eu ler e resenhá-lo. Estou com boas expectativas quanto a história. 

A garota da casa grande é o primeiro romance da autora, publicado pela Ed. Novo Século, selo Novos Talentos. Sintam-se a vontade pra marcar o livro no skoob e caso queiram comprá-lo, é só visitar a FanPage de Amanda e entrar em contato com ela. O livro fala sobre Georgia, que vive numa cidade pequena e que vive cansada do tédio de um lugar que não oferece nenhuma diversão, mas acaba conhecendo Alice, 'sua vizinha da diagonal'. Trata-se de um romance que procura vencer o preconceito de uma cidade do interior e dos próprios personagens envolvidos. 

A autora [fofíssima] Amanda Marchi

Amanda publica alguns de seus contos em seu blog, é de Brasília e tem paixão por tatuagens [super me identifiquei rs]. Atualmente mora no Rio de Janeiro. 
Quero agradecer a Amanda pela oportunidade, e sei que coisas boas virão para ambas as partes dessa parceria. O Torpor Niilista agradece pela confiança.


Bom, espero que tenham apreciado a novidade, tanto quanto eu, leitores queridos.
Até a próxima e aguardem que logo haverá resenha de A garota da casa grande


Tamarisk é sua única chance... A menina que semeava, de Lou Aronica

| 23 abril 2014 | 8 Comentários |
Kit: livro, marcador de página e essência de Tamarisk...


Esse foi um dos últimos livros que recebi da última caixa que Eni me enviou. E confesso que a leitura dele me foi um pouco arrastada porque eu não conseguia me concentrar em ler, porque a todo momento ela me vinha a cabeça... E saber que nunca mais vou receber uma cartinha sua me deixa com o coração apertado... Mas me senti mais leve a medida em que ia lendo A menina que semeava. Lembro que ela tinha gostado do livro...

Bom, a história trata de uma garota chamada Becky que vive entre os pais, separados a um bom tempo e que não vivem numa convivência tolerável ou pacífica. Quando pequena, Becky tinha um apego muito grande pelo pai, que lhe contava histórias sobre um mundo criado por ele, chamado Tamarisk, que serviu como válvula de escape no período em que Becky se tratava de uma leucemia. Mas hoje em dia, ela já é uma adolescente e aquele mundo imaginário de fantasia ficara para trás...

Até que Becky começou a se sentir estranha... O nariz sangrando, dores de cabeça, e em seu íntimo, um medo apavorante de que o pesadelo da doença pudesse retornar... Com medo, acaba escondendo dos pais e amigos, mas não por muito tempo... Nesse ínterim, Chris tenta se reaproximar da filha, mas Polly vivia dificultando essa aproximação do ex-marido com a menina, por ciúme de que o pai fosse mais querido do que ela. 

Paralelamente a situação de Becky, conhecemos a Princesa Miea. Miea é agora a rainha de Tamarisk. Pois então... Tamarisk acaba se tornando real. Becky de alguma forma acaba entrando no mundo de Tamarisk e descobre que o mundo está devastado por uma praga que está consumindo o território e acabando com o ecossistema de lá. Surpresa, Becky acha que está sonhando mas depois percebe que não, que realmente o mundo que seu pai criou pra ela a fim de ajudá-la em seu período de doença era real, e a rainha Miea precisava dela de alguma forma para salvar seu reino. Seu pai vê nesse acontecimento, uma forma de se reaproximar da sua querida filha. Polly se mostra totalmente incrédula e vive ameaçando Chris de proibi-lo de ver a filha, por achar que essa história pode prejudicar Becky. 
Mais a frente, eles descobrem que o câncer de Becky voltou, e se espalhou rapidamente, dando a garota pouco tempo de vida. Chris fica abalado, desesperado, mas a pedido da própria Becky, ele embarca nessa aventura de salvar Tamarisk da praga...

Bem, eu não vou me estender na história porque poderia acabar contando o desfecho. O final não é triste mas também não achei lá muito feliz... A meu ver, Tamarisk seria uma metáfora, interpretei que a fé de Becky nesse reino de fantasias é o que dava a ela esperança de viver. E que seu destino teria que ser aceito por Chris e também, principalmente, por sua mãe Polly. Becky não poderia partir para Tamarisk sem a bênção de sua mãe. Creio que a história seria uma forma de minimizar a dor da perda, suavizando o sofrimento que a doença provoca, tanto nos pais como na própria garota... É uma história bonita, mas confesso que no início fiquei meio perdida nos capítulos intercalados entre 'vida real' e Tamarisk. Demorou pra 'cair a ficha' de que se tratava do mundo da rainha Miea. Todo a narrativa sobre pragas, extermínio de espécies e afins me deixaram um pouco confusa. Mas, mais uma vez entra a metáfora: uma praga que devora pouco a pouco o solo tamariskiano, seria algo como o câncer devorando o corpo de Becky... 

Em suma, é um livro que exige certa concentração pra ser compreendido, traz uma mensagem bonita e de conforto para uma situação ruim como a morte e é também um exercício de fé e esperança em dias melhores... 
Esse livro foi cedido como cortesia pela Ed. Novo Conceito e é um lançamento de 2013. O autor, Lou Aronica, é estadunidense, escritor e editor, principalmente de ficção científica e fantasia. Escreve obras de ficção e não-ficção. 

Evento da Ed. Arqueiro na Livraria Saraiva

| 22 abril 2014 | 10 Comentários |
Olá, pessoas! Dia 13 de abril teve um evento da Ed. Arqueiro na livraria Saraiva do Shopping RioMar e eu acabei indo, pra encontrar umas amigas e no intuito de saber mais acerca dos romances de época que a editora está lançando. Foi uma tarde muito agradável, com brincadeiras, bate-papo e recomendações de livros bacanas. Ainda tiveram premiações e eu acabei ganhando uma ecobag maravilhosa, num dos muitos sorteios realizados no decorrer da reunião. 


Carissa e eu

O bom foi que eu conheci umas pessoas bacanas, e que nos próximos encontros estarão marcando presença junto comigo. A palestrante foi Carissa, do blog CarissaVieira. Ela discutiu alguns livros de Julia Quinn, Lisa Kleypas e Madeline Hunter. Ainda não li nenhum deles mas agora que já sei a respeito, vou comprar os que me interessaram assim que puder. Sair da zona de conforto é bom de vez em quando, já que não sou habituada com esse tipo de leitura...

pessoal reunido pra photo...
Algumas pessoas ganharam bottons, outras ganharam livros, mas todos saíram levando alguma coisa. Não ficou ninguém de fora. Claro que eu gostaria de ter ganho um dos livros, mas a ecobag foi bem melhor, porque livro eu posso comprar e as bolsas não... 


Encontrei Carol, do blog parceiro Livros e Nerdices e minha amiga Luana. Além de rever a própria Carissa, com quem já tinha papeado um pouco num evento anterior. No final do evento, foram distribuídos diversos marcadores da Editora Arqueiro, como podem conferir na imagem abaixo. 
Em suma, o evento pra mim foi um sucesso. Espero que hajam muitos outros pela frente e pretendo participar de todos que eu puder... A turnê Romances de Época aconteceu em várias cidades do país e tivemos sorte dela passar aqui em Pernambuco...

meus brindes... 

Por hoje é só, espero que tenham curtido o post. 
Beijos a todos...

Novo Sorteio - Kit de Marcadores

| 21 abril 2014 | 11 Comentários |
Bem, a ganhadora do sorteio do Kit de Marcadores não entrou em contato e eu refiz o sorteio. A ordem ficou assim:

  • Italo Costa - 1
  • Kris Monneska - 2
  • Julia G. - 3
  • Cassidy Valcorte - 4
  • Julia G. - 5



Ítalo Costa - 1



Parabéns, Italo Costa. Você tem 48 horas para entrar em contato, me mande um e-mail com seus dados para psychokillerstange@gmail.com caso contrário, eu farei novamente o sorteio, acrescentando na lista a próxima pessoa que comentou. Aos demais, não desanimem, que em breve farei umas promoções legais pelo facebook.

Livros que comprei em Março/2014

| 19 abril 2014 | 4 Comentários |
Olá, pessoas queridas. Trago mais uma vez o post de comprinhas do mês, porque sei que muitos curtem as indicações do que compro e mostro a vocês. Pois bem, a listinha aumentou de forma considerável, quase estourando a meta que eu havia estipulado para compras de livros por mês. Se em fevereiro eu comprei apenas um, em março faltou apenas um pra estourar a meta hehe. A lista:



  • Contos de Crime 14,90 [4 estrelas]
  • O menino do pijama listrado 18,00 [3 estrelas]
  • The Walking Dead - 3 20,00 [5 estrelas]
  • Arquivo x 6 2,00 [5 estrelas]
  • Arquivo x 8 2,00 [4 estrelas]
  • Da Felicidade 5,00 [3 estrelas]
  • O corno de si mesmo e outras historietas 5,00 [3 estrelas]
  • O exorcista 19,95 [5 estrelas]
  • A culpa é das estrelas 18,00 [3 estrelas]




O primeiro livro comprado foi Contos de Crime, uma coletânea de contos com alguns famosos nomes da literatura clássica, como Guy de Maupassant, Edgar Allan Poe, Dostoievski, Machado de Assis e alguns que até então eu nunca tinha lido nada antes, como Guillaume Apollinaire, Jacques Frutelle e Ryunosuke Akutagawa. Recomendo para aqueles fãs do gênero, e para os que querem conhecer a escrita de algum desses autores e não sabe por onde começar. 
Comprei pela Revista Avon The Walking Dead - A queda do Governador Parte 1, A culpa é das estrelas e O menino do pijama listrado. Posso dizer que ACEDE foi apenas um livro ok. TWD foi um dos melhores lidos e O menino do pijama listrado foi uma leitura leve, triste e que mesmo assim, não me arrancou lágrimas. Mas o autor tem uma escrita envolvente...
Comprei pela Estante Virtual duas edições de Arquivo X [aos poucos vou completando minha coleção], e são leituras curtas e excelentes para uma tarde tediosa, dá pra distrair bem com o clima de suspense. Aos saudosos fãs da série de TV, é uma boa forma de 'nostalgiar'... 
Em uma de minhas últimas idas a livraria não resisti e comprei dois títulos da L&PM Editores col. 64 páginas. Aos pouquinhos também vou completando essa coleção. Da Felicidade e O corno de si mesmo. Sêneca eu já tinha lido outro título, mas foi minha primeira experiência com Sade e valeu a pena. Pretendo ler mais obras dele. São livros curtinhos mas que são muito úteis pra se ler numa fila, no intervalo da aula ou mesmo antes de dormir... Indico todos. E por último, mas não menos importante, também comprei na livraria O exorcista, de R$40,00 por R$19,95 na promoção. Não poderia perder essa chance e o trouxe comigo. Considero minha melhor aquisição do mês. 
Já li todos os títulos da lista. 

Bom, espero que tenham gostado. Se já leram algum desses, ou ficaram interessados em algum em específico, comentem aqui. Vou adorar saber a opinião de vocês.
Beijinhos entorpecedores... ^.~

Resenha do Mês [Março] - The Walking Dead - A queda do Governador Parte 1

| 17 abril 2014 | 5 Comentários |


Demorei mas cá estou eu com a Resenha do Mês. E dessa vez, quem me ganhou em Março foi mais um título de The Walking Dead - A queda do Governador Parte 1, publicado pela Ed. Record. Como alguns já viram, [caso não, vejam aqui], eu tinha resenhado o primeiro livro, A Ascensão do Governador, pois achei a narrativa incrível e cheia de surpresas. Depois que li O caminho para Woodbury, não me senti tão extasiada quanto com a leitura do primeiro livro, mas percebi que o segundo foi meio que uma ponte para o que estava por vir nesse que agora resenho. 

Nesta continuação, os eventos em Woodbury não são tão favoráveis para o Governador. Após a morte de alguns personagens e a entrada de Rick e seu grupo, o Governador vem perdendo muito de seu status e muitos passam a enxergá-lo como ele realmente é. O caminho inverso também se dá, alguns que queriam seu fim anteriormente passam a vê-lo como um possível 'salvador' daquelas pessoas. [Gente burra tem em todo lugar, mas enfim...]. Não vou me estender dando nomes a tais personagens, pra que não haja spoiler. Mas o que posso dizer é que Robert Kirkman mantem uma narrativa interessante, cheia de revelações e não poupa ninguém, não tem essa de ser um personagem queridinho e por isso não vai sofrer. Pelo contrário. Algumas coisas que o Governador faz me deixam ainda mais irada com ele. Na série de TV, ele não passa de um vilão bunda-mole e no livro se revela muito mais cruel, complexo e melhor desenvolvido. Sem sombra de dúvidas, é um dos personagens mais bem-feitos da história, embora eu o deteste. 

Essa parte da história foi dividida em duas, então provavelmente o quarto livro da série será o final, e nem precisa dizer que estou bastante ansiosa pra lê-lo, mas ele ainda não saiu aqui no Brasil, e nem tenho idéia de quando será publicado. Nesse meio tempo, vou me deliciando com a HQ, que tem perspectivas diferentes de muita coisa que rola no livro e na série. A mente de Kirkman é de mestre, por fazer tantos personagens, situações de formas diferentes, a fim de agradar o leitor dos livros, das HQ's e telespectadores da série. As histórias vão se completando, e é impossível alguém ler e não querer assistir, e vice-e-versa.

Mas voltando ao livro 3, um dos pontos altos é a forma como o Governador mantem entretidos os cidadãos de Woodbury, numa arena em que pessoas lutam rodeados de zumbis acorrentados. Qualquer deslize pode ser fatal. Mas algumas pessoas não concordam com isso... Enquanto que em O Caminho para Woodbury, a ênfase se dá na relação que ele tem com seus moradores, no terceiro livro a coisa muda um pouco, com a chegada de Rick, Glenn e Michonne. Tentando evitar essa diversão animalesca, eles acabam prisioneiros do Governador e terão que dar um jeito de saírem vivos dessa enrascada... 

Lilly vem me dando cada vez mais raiva. No início eu até tentei simpatizar com ela, mas parece que ela tá pirando pois não consegue mais tomar uma decisão acertada. Parte dela quer se vingar do Governador, mas por outro lado, ela teme deixar a segurança que Woodbury lhe proporciona. Bob continua bêbado pelos cantos. Penny... bem, Penny continua sendo alimentada de forma doentia pelo seu 'pai'. Quem se opuser às decisões do Governador, pode ir parar num lugar da arena, não muito agradável... 

Outro ponto que acho importante ressaltar é a forma descritiva dos zumbis, do medo dos personagens e sua incerteza quanto ao amanhã. Em alguns momentos, eu tive muito nojo do Governador. Ele conseguiu ser mais asqueroso que os próprios zumbis... Para finalizar, deixo o trecho que me enojou completamente e me fez ter certeza que o Governador é um doente [no pior sentido da palavra...]...  CUIDADO QUE ESSE TRECHO PODE SER CONSIDERADO SPOILER. 

"- Está vendo... você virou o balde, e agora sua comida estragou. É isso o que merece. - Ele abaixa a voz, acrescentando aos sussurros: - Mesmo fresca, não entendo como come essa porcaria... mesmo.
Ele desaba na poltrona reclinável, que solta um guincho quando é reclinada. Com as pálpebras pesadas, as articulações doloridas, a genitália inflamada devido ao uso excessivo, o Governador se recosta e pensa na vez que provou, de fato, a comida de Penny."

TAG: Blá Blá Blá...

| 15 abril 2014 | 5 Comentários |
Mais uma tag indicada pelos fofíssimos do blog Incriativos. São apenas 10 perguntinhas a serem respondidas. Vamos lá:


1. Você já leu algum livro que mudou sua maneira de ver o mundo?
A metamorfose, de Franz Kafka. Esse livro me deixou mais desesperançada da vida... 

2. Você gostaria que seus diários (ou suas memórias - para quem nunca escreveu um diário) fossem transcritos em um livro e publicados?
seria interessante...

3. Qual é o seu maior medo no universo literário? 
que os livros deem lugar aos e-books e deixem de ser publicados...

4. Qual livro você leu e gostaria de ler novamente? 
Trainspotting, de Irvine Welsh.

5. Você considera algum livro da sua coleção como um troféu? (Foi difícil de conseguir ou foi uma conquista, um presente de alguém muito querido... etc.). 
A trilogia Millennium, porque foi muito difícil conseguir, e acabei ganhando de uma amiga. Os que Minho me deu de presente, os que ganhei das meninas do Dose Literária, minha edição de Dracula [tenho o maior ciúme nela], os que ganhei de meus pais e irmã... enfim... os que foram presente... 

6. De qual festa ou comemoração que aconteceu nos livros que leu gostaria de ter participado? 
de alguma festa que Kiki de Montparnasse esteve presente, nos anos 20 em Paris...

7. Você já sofreu algum tipo de bullying literário por causa de alguma obra que você gosta? 
sofro bullying por detestar harry podre. Serve??? Ah, não creio que me sacaneiem por algum que eu goste. Não que eu lembre... 

8. Você já participou ou conhece algum grupo de leitura? 
bem, recentemente participei de dois eventos literários, mas nesse último fiquei mais a vontade...

9. Se você tivesse que dividir sua alma em 7 livros, quais seriam? 
Olho de Gato, On the Road, O morro dos ventos uivantes, Morangos Mofados, A insustentável leveza do ser, Perdidos na noite e O apelo da selva...

10. Se você tivesse o poder, qual personagem de qual livro mudaria, ressuscitaria ou faria desaparecer?
Eu ressuscitaria Baleia, a cachorra de Vidas Secas...






Eu indico Minha querida Maura, o blog de Erika Marianno e a linda Kris Monneska.

Resultado do Sorteio do Kit de Marcadores e Evento de domingo...

| 13 abril 2014 | 9 Comentários |
Gente, passando rapidinho aqui pra avisar do Evento da Ed. Arqueiro que haverá mais tarde, na Livraria Saraiva do Shopping RioMar, em Recife. Estarei lá daqui umas horas. Já havia falado sobre esse evento neste post, mas não custa relembrar. Depois farei um post contando como foi. E também quero divulgar o resultado do sorteio do Kit de marcadores que fiz pelo Random.org. Eu tinha dito que os cinco primeiros a comentar neste post estariam concorrendo. Tivemos nessa ordem de comentários, os seguintes participantes:



Italo Costa - 1
Ana Caroline - 2
Kris Monneska - 3
Julia G. - 4 
Cassidy Valcorte - 5

E a vencedora foi: 


Parabéns, Ana Caroline. Você tem 48 horas para entrar em contato, me mande um e-mail com seus dados para psychokillerstange@gmail.com caso contrário, eu farei novamente o sorteio, acrescentando na lista a próxima pessoa que comentou. Aos demais, não desanimem, que em breve farei umas promoções legais pelo facebook. 
Bom domingo a todos... 

Ópio, haxixe e Baudelaire...

| 11 abril 2014 | 4 Comentários |


"Essa fantasmagoria, por mais bela e poética que parecesse, vinha acompanhada de uma angústia profunda e de negra melancolia. Parecia-lhe, a cada noite, que descia indefinidamente em abismos sem luz, para além de qualquer profundidade conhecida, sem esperança de poder sair. Mesmo depois de despertar, persistia uma tristeza, uma desesperança vizinha do aniquilamento." 
Um comedor de ópio. 





Charles-Pierre Baudelaire, ou simplesmente Baudelaire, nasceu na capital francesa no ano de 1821, em 9 de Abril, no número 13 da rua de Hautefeuille. Seu pai [Joseph-François]  era bem mais velho que sua mãe, e com apenas seis anos ele fica órfão dele. A mãe acaba se casando novamente depois de um tempo com um major, chamado Jacques Aupick. 

O jovem poeta acaba de desentendendo com a família e vai morar sozinho, nesse período começa a escrever ensaios poéticos e colabora como anônimo num jornal satírico da época, chamado Corsaire-Satan. Vivendo sozinho, acaba se envolvendo com uma judia que se prostituía no Quartier Latin. Faz algumas viagens para fora da Europa e quando retorna, reclama sua herança, mas acaba por gastá-la de forma indevida. Se envolve com outra prostituta, faz amizade com Balzac, Gautier e outras figuras célebres francesas. Dilapidando sua herança, acaba sendo declarado incapaz pela Justiça, tendo ficado sob tutela de um curador, que iria administrar seu dinheiro. 

Em 1845 é publicado seu primeiro ensaio de crítica, intitulado Saison. Em várias revistas são publicados poemas que viriam a se tornar um compilado chamado As flores do Mal, sua mais conhecida obra. Em 1848 começa a traduzir os contos de Edgar Allan Poe para o francês. Tendo incontáveis dívidas, acaba se mudando com freqüência, a fim de se livrar de seus credores. Se envolve com mais mulheres, publica uma série de dezoito poesias de As flores do mal e em 1858, publica a primeira tradução de Histórias Extraordinárias, de Poe. As flores do mal foi criticado por ser considerado obsceno. Nesse ínterim, seu padrasto falece e ele se reaproxima de sua mãe. Seu contato com tantas prostitutas ao longo da vida lhe rendera uma sífilis, contraída ainda na juventude e que Baudelaire começou a tratar com ópio e éter

Em suas andanças pela Bélgica, surgem Pauvre Belgique e Amoenitates belgicae. Retorna para a França, mas suas finanças o forçam a voltar para a Bélgica. Enquanto isso, a sífilis se agravava. No dia 15 de março de 1866, ele passa mal e cai no chão da igreja de Saint-Loup, vítima de um ataque de paralisia, apresentando sintomas de afasia. Em 2 de julho do mesmo ano sua mãe o remove para Paris, onde o interna numa clínica. Mas é tarde demais, pois não há tratamento que impeça o inevitável... a paralisia progride de forma assustadora e ele perde também a fala, e ele ainda permanecia lúcido quando isso aconteceu... 


No dia 31 de agosto do ano seguinte, Baudelaire falece em plena agonia nos braços de sua mãe, Caroline Archimbaut-Dufays, aos 46 anos. Seus escritos foram em sua maioria, publicados em revistas e jornais. Alguns, inclusive, nunca chegaram a ser publicados. Mas podemos destacar entre suas obras Les Fleurs du Mal, Les Paradis artificiels e Les Epaves, além das traduções da obra de Poe. 

Sua obra é carregada de melancolia e revela muito de sua vida regada a vinho, drogas e mulheres. Baudelaire é o que podemos chamar de poeta boêmio. Seus poemas revolucionaram a literatura francesa. Possuo três de seus livros em minha Estante: As flores do Mal, e mais dois intitulados O poema do Haxixe e Um comedor de ópio. Ambos fazem parte da obra Paraísos Artificiais, que foi publicado postumamente, em 1891, junto com outros ensaios sobre o vinho e o haxixe. Baudelaire acreditava que, além de anestesiar suas dores por conta da doença, o ópio expandia sua percepção mental, estimulava o sonho e só com o uso contínuo é que a droga afetaria sua capacidade de trabalhar. Ele narra de forma poética suas experiências com essas drogas, tudo de forma a deixar o leitor absorto, como envolto em fumaça de ópio. 

 "Ele prefere a solidão e o silêncio, como condição indispensável para seus êxtases e devaneios profundos." 
Um comedor de ópio. 
O que eu aprecio na escrita de Baudelaire é a sua melancolia exacerbada, como se respirasse poesia pelos poros, e a sensação que me dá ao ler um poema seu é de como se eu estivesse inebriada e luxuriosa, entorpecida, lânguida... 

"Profundas alegrias do vinho, quem não vos conheceu? Todo homem que tenha tido que amenizar um arrependimento, evocar uma lembrança, afogar uma tristeza, construir um castelo de vento, todos enfim vos invocaram, deusas misteriosas escondidas nas fibras da videira. Como são grandes os espetáculos do vinho, iluminados pelo sol interior! Como é verdadeira e ardente, esta segunda juventude que o homem nele encontra! Mas quão temíveis também suas volúpias fulgurantes e seus encantos exasperantes..." O poema do Haxixe. 
'Baudelaires' pra chamar de meus...


Deixo com vocês um dos meus poemas preferidos de As flores do mal...

"Soturnos funerais
deslizam tristemente
Em minh'alma sombria.
A sucumbida Esp'rança,
Lamenta-se, chorando;
e a Angústia, cruelmente,
Seu negro pavilhão
sobre os meus ombros lança!"
As flores do Mal 


E vem novidade da V&R Editoras por aí...

| 09 abril 2014 | 8 Comentários |
Em Maio, o Brasil recebe a visita de James Dashner, o autor da série Maze Runner. Segundo a V&R Editoras, Dashner estará em São Paulo, dia 13 de Maio. 



Olha o recadinho que o autor deixou para os fãs:


Além dessa maravilhosa visita, a Editora tem outro presente para seus leitores. Já saiu a capa do livro Insígnia: O Vórtex Negro, e quem quiser ler os dois primeiros capítulos pode ler aqui.



Acompanhem o Twitter da Editora e A FanPage para mais novidades.
Até o próximo post, pessoal... 


P.s: As primeiras cinco pessoas a comentarem neste post irão concorrer a Um Kit de Marcadores. Comentários pertinentes, pessoal. Nada de legal, gostei ou coisa do tipo.

Este Kit pode ser seu...

Correios - [Envios e recebidos] - 11

| 07 abril 2014 | 8 Comentários |
Olá, leitores queridos. E vamos a mais uma Caixa de Correios do mês, dessa vez com o que chegou pra mim no mês de março. Adianto que não foi muita coisa, por isso o post será breve. Vamos lá:


Recebi de Marcos Tavares, administrador do grupo Taverna do Pergaminho [no Facebook], o livro Tesão - Tico Santa Cruz. Acertei 3 enigmas lançados por Marcos no quiz do grupo e ganhei um título a minha escolha, no valor de até R$30,00. Como há tempos namorava esse livro de Tico, resolvi escolhê-lo. E eis que em poucos dias, Marcos me enviou o livro, comprado no Submarino. Já adianto que o livro é lindo, tanto na parte gráfica, como pelo conteúdo escrito. Fiquei ainda mais fã de Tico Santa Cruz depois dessa. Só vou esperar uma chance de chegar perto dele [de novo] e pegar um autógrafo no livro, e não num bloquinho, como foi da outra vez... rs




Recebi também carta do autor parceiro Matheus Ferraz, com alguns [na verdade vários *-*] livretos de seu livro Teorema de Mabel. Além de ler um trechinho do livro, caso você queira comprar, tem o site para comprar no próprio livreto. Em breve, farei sorteios aqui no blog com esses livretos. Distribui alguns na escola onde trabalho, na turma do 9 ano. 


livretos para sorteios



Fiz uma comprinha básica na Estante Virtual, pois vi 2 volumes de Arquivo X por apenas R$2,00 cada + frete, deu 10 pilas ao todo, super barato. Foram os volumes 6 e 8. Mais detalhes no post Livros comprados do mês [que sai em breve].


Compras na Estante Virtual


Comprei os livros O menino do pijama listrado, The Walking Dead: A queda do Governador Parte 1 e A culpa é das estrelas na Revista Avon.. 




E foi isso. Não só recebi, mas também enviei algumas cartinhas esse mês, com os prêmios dos sorteios: 1 kit de marcadores que sorteei pelo Facebook, o livro do Top Comentarista e os brindes do segundo lugar do Top Comentarista, além do prêmio da ganhadora do Concurso Cultural de Fevereiro do Dose Literária. 

Espero que na próxima Caixa de Correios eu tenha mais coisas pra mostrar a vocês. 
Beijinhos entorpecedores... 


P.s: Esqueci de comentar os mimos que recebi no evento da Ed. Seguinte que ocorreu na Livraria Saraiva do RioMar, em Recife. Já tinha falado a respeito neste post e acabei nem tirando photo dos livretos e marcadores. Mas enfim, está registrado rsrs

Finalmente uma Estante para meus livros...

| 06 abril 2014 | 14 Comentários |
Bem, meus queridos leitores. Estou aqui para compartilhar uma pequena felicidade com vocês, que aconteceu comigo há dois domingos, e se não postei aqui antes, é porque os acontecimentos dos dias posteriores não me permitiram escrever a respeito... 

Muitas pessoas já sabiam que eu possuo muitos livros, desde a infância eu aumentava meu acervo, mas de forma lenta. Só que da faculdade pra cá, meu Acervo cresceu de forma espantosa... Antigamente eu guardava meus livros numa estante simples que havia no meu quarto na casa dos meus pais, e outros na minha escrivaninha. Quando me mudei pra casa da minha irmã usava a estante dela, que era bem pequena, e os livros só aumentando... 


Antes

Pois bem, vim morar na casa do meu namorado, e claro que não poderia deixar meus queridos pra trás. Até deixei, mas foi por pouco tempo. E resolvi colocá-los no quarto, mas infelizmente não tinha estante pra organizá-los, então tive que improvisar arrumando em fileiras, dentro de caixas e empilhados até comprar uma estante. Seria comprada em breve, mas uma série de problemas financeiros me impediu disso... Eu estava preocupada em mantê-los assim por mais tempo, porque a medida que eles ficavam em cima uns dos outros, o peso da pilha de cima ia forçando os de baixo, e eu perderia alguns exemplares. Por isso, vivia arrumando, realojando, tentando aliviar e aumentando a quantidade de pilhas... 
E então, minhas preces foram atendidas. Minha sogra acabou me dando uma estante e eu pude organizar meus livros, fiquei extasiada, mesmo com o cansaço que eu estava por ter feito a faxina naquele domingo, resolvi encarar a arrumação dela. Foram 3 horas limpando, colocando cada um em seu devido lugar. E o resultado foi este:


Depois

Vocês podem imaginar minha felicidade desde esse dia. Depois coloquei meus enfeites e bibelôs, deixei-a com minha cara. Quando quero ler algum livro que antes eu não poderia porque estava muito abaixo na pilha, agora é só ir até a estante e pegá-lo sem dificuldade alguma... Os livros que emprestei não estão nessa photo, claro. Posteriormente peguei mais alguns na casa da minha mãe [e ainda ficaram outros lá], e comprei mais... Bem, a quantidade é de quase seiscentos... sem contar as revistas e os mangás/gibis [nas partes fechadas]... Só quem tem livros aos montes e não possui estante sabe a agonia que eu passei. O melhor de tudo é que não perdi nenhum livro por causa do peso ou de folhas coladas. Apenas uma capa de um gibi da Turma da Mônica se encontrava mofado, mas fora isso, nenhum prejuízo. Ainda bem... Agradeço demais a minha sogra pelo presente.

Bem, por hoje é só. Se você não tem estante conta aqui nos coments a respeito. E se você também sentiu dificuldade de ter uma, conta pra mim, vou adorar saber a odisseia de vocês. 

Não esqueça de participar do TOP Comentarista do Mês

Selo Liebster Award

| 05 abril 2014 | 9 Comentários |
O blog Incriativos me indicou um selinho diferente e ele consiste em falar 11 coisas aleatórias sobre mim, responder a 11 perguntas de quem me indicou e criar outras 11 perguntas indicando 11 blogs pra responder. E já tem um bom tempo que eles me indicaram, e como já recebi esse selinho de outras vezes, responderei mais coisas aleatórias sobre mim mas não indicarei ninguém, quem quiser responder, sinta-se à vontade, mas me avisem pelos comentários pra que eu possa conhecer as respostas de vocês, ok?
Então vamos lá. 





11 coisas aleatórias sobre minha pessoa.

  • Detesto lidar com pessoas ingratas.
  • Amo abóboras de Halloween, tenho algumas espalhadas pela estante.
  • Tenho um ursinho de pelúcia chamado Teddy, que ganhei da minha mãe aos 12 anos. [Hoje tô com 28...]
  • Aprendi a ler com cinco anos de idade, lendo gibis da turma da Mônica
  • Durmo com Tapa-olhos, porque detesto claridade na minha cara enquanto durmo.
  • Coleciono Bottons e morro de ódio quando perco algum.
  • Minha primeira tattoo foi em homenagem a um suicida.
  • Não gosto de doar os livros da minha estante. Prefiro comprar um título igual e doar pra alguém do que dar o meu, que vai estar todo grifado, com minhas impressões de leitura nele.
  • Gosto tanto de ler que já ganhei livros de pessoas que não me conhecem, mas que tiveram prazer em me doar, visto eu amar livros.
  • Amo bolsas, eco-bags, tenho várias.
  • Sou viciada em sabonetes líquidos.


11 Perguntas feitas pelo Blog Incriativos.


1- Usa post-it, marca-texto, algo do tipo?
Marca-texto e marcador de livros. Nunca usei post-it. Não tenho o hábito... 

2- Compra mais em livraria ou Sebos?
Sebos, com certeza. 

3- Por qual motivo tens blog?
Porque gosto de escrever, porque preciso depositar meus pensamentos e opiniões em algum lugar, e porque gosto de indicar livros bons às pessoas. 

4- Gosta de ler que estilo?
Amo um suspense, drama, policial, terror, romance, infantil, juvenil, clássicos...

5- Namora? se sim, Seu(sua) namorado(a) gosta de ler?
Sim. Minho não gosta de ler como eu, mas curte mangás, quadrinhos e alguns livros, além de coisas da área dele [Biologia e Informática]

6- Gosta de papelaria? O que mais compra lá?
Sim. Sempre compro envelopes, bloquinhos, adesivos, borrachas enfeitadas, lapiseiras, canetas, cadernetas e afins... 

7- Tens vontade de escrever um livro? 
Sim.

8- O que acha dos clássicos, e dos Y.A.?
Amo clássicos. YA eu ando lendo de uns tempos pra cá, e até que estou gostando, mas não superam os clássicos na minha preferência...

9- Sabe quantos livros tem?
Uns 570, 580, por aí...

10- Curte algum escritor desconhecido?
Não diria desconhecido, mas que não vejo muitas pessoas falando sobre ele, Pedro Juan Gutiérrez.

11- Qual seu autor, ou autora, favorito(a)?
Difícil demais escolher um só. Mas o que me vem em primeira mão na mente é Caio F. Abreu



Prontinho, espero que tenham curtido as respostas. Alguém se identificou com alguma delas?
Beijos... 

O difícil passo de seguir adiante depois de perder alguém querido... Por Toda a Eternidade, de Kristin Hannah

| 03 abril 2014 | 6 Comentários |
E vamos nós a mais um livro com carga de tristeza, mas que foi encantador de ler... Tully Hart teve uma infância e adolescência difíceis. A fim de compensar a tristeza que foi sua vida, ela se apegou a sua amiga Kate, mas infelizmente o destino tomou Kate de forma cruel, deixando Tully devastada, bem como a família de Kate, incluindo uma adolescente de 16 anos, Marah.

Perder a mãe para um câncer foi um acontecimento doloroso para Marah. Ter que lidar com a perda da pessoa que ela mais amava, e num período em que mais precisamos da mãe, fase de transição de um indivíduo, fez com que Marah ficasse mais arredia, e sobrou para o pai ter que suportar a mágoa da filha, como se ele fosse o responsável pelo ocorrido. A coisa piora porque Marah tem em sua madrinha Tully, uma extensão da mãe, e quando diversos fatores levam o seu pai a afastar sua família de Tully, Marah o abandona para morar com seu 'namorado', namorado esse que mostra o lado podre disfarçado de poesia e a ingênua [pra não dizer burra] da Marah, acredita... 

Sinceramente, eu detestei Marah. Apesar de todas as dificuldades que ela passou, não achei justa a forma como ela trata o pai, como ela quer se 'libertar' da família, e de como ela reage com a dor de perder Kate. Tully é uma personagem que, mesmo com a melhor das intenções, não consegue 'dar uma dentro', e volta e meia faz coisas erradas julgando ser o melhor, quando na verdade só atrapalha. Ainda há os gêmeos, irmãos mais novos de Marah e a psicóloga dela, bem como a figura de seu pai, e os flashbacks com Kate, seus pais e Dorothy, mãe de Tully. 

Achei a história bem construída, e mesmo não simpatizando com a 'aborrescente', posso dizer que a leitura me foi proveitosa, dá pra se tirar uma lição de que devemos aproveitar cada minuto ao lado das pessoas que amamos, nunca jogar para o alto uma família que te apoia em tudo pra viver um relacionamento com alguém que só destrói e faz mal. Foi pesado conhecer a amizade de Kate e Tully e a forma como Tully foi tratada pela própria mãe, mas no desfecho do livro, percebemos que as atitudes de Dorothy são um reflexo do que ela mesma passou quando ainda não era mãe. Mas percebemos que ela luta para se redimir, e seu esforço pode valer a pena... Dorothy, mãe de Tully, é uma ex-viciada que apanhava do companheiro e decidiu fugir e se tratar. Apesar de no início eu não ter gostado de como ela era e agia, percebi ao longo do livro o que a levou a agir daquela forma com Tully...

Esta, por sua vez, maluquinha e mesmo assim, boa amiga, acabou não suportando mais uma rejeição: da família de Kate, que ela considerava sua. O afastamento [por culpa de Marah] e a dor de ter perdido sua melhor amiga faz com que ela sofra um acidente e fique em coma. Eis a redenção de Dorothy. Eis a mudança no marido de Kate. Eis a chance de todos se unirem novamente. E temos Marah [finalmente] enxergando a realidade dos fatos... O coma faz com que Tully reencontre a amiga morta, e durante seu tempo em cima de uma cama de hospital, ela passa a conhecê-la melhor, através de suas visões...  E conhecemos muito de Kate através do coma de Tully... 

Em suma, minha segunda experiência com a autora, Kristin Hannah, não me foi satisfatória como a anterior, em que a história realmente mexeu com meus nervos, mas longe de ser ruim, Por toda a eternidade funciona mais como uma lição, de como enxergar a morte, a perda, por várias perspectivas. Cada pessoa tem um jeito diferente de lidar com a perda de alguém querido. Posso dizer que não me encontrei em nenhum dos personagens, talvez por isso minha estranheza com Dorothy, com Tully e minha antipatia por Marah [que não deixa de ser uma garota de atitude detestável], mas ao menos ela acorda com o tempo, antes de ser muito tarde...

Publicado pela Ed. Novo Conceito, Por toda a eternidade nos mostra que onde existe amor, há a possibilidade de redenção, seja lá qual tenha sido o seu erro...

Kristin Hannah escreveu também Jardim de Inverno, já resenhado aqui no blog por esta que vos fala. Nasceu na Califórnia, é ex-advogada e mãe, mora atualmente no Havaí, com a família. 






Por Toda a eternidade
Kristin Hannah 
Selo: Novo Conceito
400 páginas.
Lançamento: 2014
Preço sugerido: R$ 34,90
Ficção, Drama

Top comentarista de Abril - Especial Nacional

| 02 abril 2014 | 7 Comentários |

Olá, meus leitores queridos. Vamos a mais um post aqui no blog. Desculpem a ausência, mas como vocês podem ver no post anterior, não estou bem com o que houve com minha amiga, mas mesmo abalada preciso seguir em frente...

Quero presentear a todos vocês que comentam sempre aqui com o Top Comentarista de Abril.
As regras de sempre:

- Deixar um comentário aqui com e-mail.
- Residir em território nacional
- Seguir o G+ do blog
- Me seguir no twitter
- Seguir o blog pelo GFC 
- Seguir a FanPage
- Um comentário [pertinente] por post.

E vamos ao prêmio.
Serão 2 livros para um ganhador. 

prêmios do TC de Abril...
Noite em Claro, de Martha Medeiros e O Ateneu, de Raul Pompéia + livreto de Teorema de Mabel + marcadores de títulos nacionais. A escolha do livro Noite em claro é porque agora em abril faz um ano que fiz resenha dele. 

A idéia desse mês é prestigiar nossa literatura. Nada melhor que duas obras nacionais. Então, dúvidas? Perguntem que eu respondo sem problemas...
Em caso de empate no número de comentários, farei um sorteio pelo random.org por ordem de comentário neste post.
Só vão valer os participantes que validarem sua participação nessa postagem . 
Serão válidos os posts de 01/04 até 30/04. 
Vou anunciar o vencedor após 3 dias do término do mês... 

Boa sorte a todos e comentem bastante!!! 



P.S: Aguardem resenha ainda essa semana, ok?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...