O erotismo entorpecente de Anaïs Nïn

| 21 fevereiro 2014 | |

Hoje, 21 de Fevereiro, seria o aniversário da escritora francesa Anaïs Nïn. Nada melhor que comemorar essa data falando sobre minhas impressões sobre a obra Delta de Vênus, meu primeiro contato com a autora. Eu já tinha falado a respeito de Anaïs aqui no blog, quem quiser saber mais dela pode conferir o post

Delta de Vênus - Histórias eróticas é um livro de contos recheados de luxúria, descrições estonteantes e puro despudor. Considerada a percursora da escrita literária erótica entre as mulheres, Anaïs escrevia histórias sobre sexo sob o ponto de vista da mulher, num desafio aberto à sua época, em que apenas os homens escreviam sobre um tema tão tabu para o universo feminino. Anaïs começou a escrever contos eróticos para um colecionador de textos eróticos. A princípio eram encomendas feitas a Henry Miller [seu amigo e amante], mas quem acabou escrevendo foi Nïn. O colecionador era exigente, não queria histórias cheias de filosofia e análises, ele queria descrições sobre sexo, nada mais que sexo... 

Edição da L&PM Editores
Henry Miller sugeriu que Anaïs escrevesse no lugar dele, e ela acabou aceitando, escrevendo histórias que havia escutado de outras pessoas, colocando as aventuras sexuais das pessoas no papel. Algumas situações ela inventava, estudou o kama sutra a fim de melhorar seus contos e o colecionador apreciou o que ela escreveu. Ele deixava claro que não queria poesia nos textos. A cada contato por telefone, ele falava isso. Então Anaïs satisfez a vontade de seu 'cliente'. 
Delta de Vênus traz 15 contos lindíssimos. Entre eles estão A fugitiva, Artistas e modelos, Elena, Pierre e Marcel [meus preferidos].

"Minha umidade surge facilmente, os dedos dele são muito quente e hábeis. Às vezes estou tão excitada que sinto o orgasmo ao simples toque do dedo dele. Ele se excita ao me ver latejando e palpitando." 

Em Pierre, por exemplo, o rapaz que dá nome ao conto vaga pelo porto e encontra o cadáver de uma mulher. O corpo o excita e ele faz sexo com ela. Pode parecer bizarro, mas Anaïs consegue fazer o leitor sentir desejo descrevendo uma cena de necrofilia. rs Orgias, devassidão, modelos se despindo para seus artistas, triângulos amorosos, mulheres descobrindo o prazer no corpo de outras, personagens se tocando e se descobrindo em várias posições e práticas sexuais, em ambientes carregados de vermelho e elegância se fazem presentes na obra de Nïn. Ler seus contos é uma experiência de puro delírio e torpor... 


Para quem nunca leu Anaïs Nïn, recomendo que não perca mais tempo. Aos que chamam '50 tons' e derivados de literatura erótica, por favor... Vocês precisam urgentemente saber o que é erotismo bem escrito de verdade... hehe...

Então é isso, não posso me prolongar revelando detalhes dos contos a fim de não perder a graça... Leiam e tirem suas conclusões, deixem os pensamentos e arrepios de seus corpos falarem por si... 

Beijos entorpecedores... ^.~

6 Comentários:

Italo S Says:
22 fevereiro, 2014

Olá, Val, como vai?
Eu já queria conhecer a autora, depois do teu post, apenas me deixou mais doido pra querer lê-la *--*
"Para quem nunca leu Anaïs Nïn, recomendo que não perca mais tempo. Aos que chamam '50 tons' e derivados de literatura erótica, por favor... Vocês precisam urgentemente saber o que é erotismo bem escrito de verdade... hehe..." ADOREI HAHAHA
Abraços, e beijo <3

http://incriativos.blogspot.com.br/

Tamara Costa Says:
22 fevereiro, 2014

Val querida essa resenha TEM que ir para o dose :P Eu estou lendo um dos diários dela e acho que escreverei sobre. Nada melhor que uma resenha sobre um de seus romances e outra sobre seus diários. Que tal?
Já viste o filme Delta de vênus? É incrível!

Rafa Filth Michalski Says:
22 fevereiro, 2014

Eis que decido visitar seu cantinho soturno de expressões de seus pensamentos e gostei da atmosfera local. Me senti em casa rs
Bom já vi alguns livros de Anaïs Nïn na Biblioteca, até folheei despreocupadamente alguns, o tamanho dele inspira leitura rápida mas o gênero erótico por si só não me chama muita atenção. Mas sua resenha me fez ver uma nuance atraente da autora, a sua compartibilidade com Clive Barker, que tem a mesma capacidade para descrições sexuais rs Vou procurar ler algo dela. Abraços
Biblioteca Do Terror

Amanda Bistafa Says:
22 fevereiro, 2014

Olá!
Confesso que nunca li nada nesse estilo, e tb não conhecia autora, mas pelo jeito ela é muito boa nesse gênero!
Bjs!
http://marcasindeleveis.blogspot.com.br/

Maria Valéria Says:
14 agosto, 2014

espero que um dia você possa ler. Ela é incrível :D

Maria Valéria Says:
14 agosto, 2014

vi esse filme, sim. É delicioso <3 hahaa

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...