Especial Halloween - Games

| 05 novembro 2013 | |




Para encerrar os posts sobre o Halloween eu escolhi falar um pouco sobre Games com temática de horror, já que falei sobre livros e filmes. Mas listarei pouca coisa dessa vez [não será um post longo como os anteriores, espero....] Não poderia deixar de falar sobre o meu jogo preferido. Aquele que eu posso dizer com todas as letras que é meu Número Um quando se trata de jogos. 

Harry Mason

Silent Hill [Série]
Um dos jogos mais famosos da Konami, Silent Hill foi criado no final dos anos 90, e quem pertence a geração Playstation 1 conhece essa maravilha de Game. O primeiro jogo é sobre Harry Mason, um cara que está viajando de férias com sua filha,e ao passar próximo a cidade de Silent Hill [Colina Silenciosa] se envolve em um acidente na estrada. Ao acordar, percebe que sua pequena criança está desaparecida. Ele começa a procurar por ela e adentra na aparente calmaria da cidade até se deparar com criaturas bizarras e medonhas. Ele precisa encontrar Cheryl antes que algo muito ruim aconteça com ela... Ao longo do jogo, ele encontra esporadicamente alguns personagens misteriosos e enigmáticos e de acordo com as conversas, mais do enredo é revelado...

O jogo é no mínimo bizarro. Tem uma trilha sonora de arrepiar, e apesar de ser 'quadradão' e estar longe da qualidade gráfica de sua seqüências, eu posso afirmar com todas as letras que é o mais assustador da franquia. O enredo é cheio de surpresas e ao longo da história, os personagens vão se encaixando. Além dele, existem os demais jogos da série: Silent Hill 2, Silent Hill 3, Silent Hill IV: The Room, Silent Hill Origins, Silent Hill Homecoming, Silent Hill Shattered Memories e Silent Hill Downpour. Mas preferi me ater apenas ao primeiro, pois foi o que joguei mais vezes [e zerei também]. O que posso falar no geral, é que os eventos de quase todos os jogos mesclam-se uns com os outros. Aquele recorte de jornal esquecido numa lixeira falando de alguma notícia sobre mortes e afins pode ser a respeito de algum personagem que aparece vivo [ou morto] em algum dos outros jogos. Esses pequenos detalhes da trama dão um toque a mais de veracidade a franquia, e eu bem que gostaria que os criadores lançassem um livro com todas as curiosidades bem amarradinhas, a fim de explicar como um todo a série... 

Maria

Existem dois filmes baseados no jogo, mas eu só vi o primeiro. Apesar de algumas discrepâncias e mudanças 'radicais' em alguns pontos, achei uma adaptação assustadora, e em virtude da quantidade de filmes ruins baseados em games, Silent Hill até que 'saiu no lucro'... Os jogos seguintes saíram para plataforma Playstation 2, com qualidade gráfica bem melhor que o primeiro, com personagens igualmente inusitados e criaturas ainda mais medonhas e horripilantes. Quem não conhece o famoso Pyramid Head do Silent Hill 2 - Restless Dreams? Ou a sensual Maria

O terceiro jogo segue na mesma premissa assustadora e traz uma parente de Harry Mason, do primeiro jogo. Esse eu não tive a oportunidade de jogar ainda, mas vi muitos screenshots, detonados e afins em revistas de videogames e pude perceber que ele dá muito medo. Algumas pessoas que jogaram me disseram que ele assusta tanto quanto o primeiro. 

Heather Mason


Silent Hill IV: The Room é bem diferente dos anteriores, a começar pela mudança de cenário. Henry Townshend se encontra numa cidade vizinha a Silent Hill, e acaba indo parar lá por meio de um buraco na parede do banheiro em seu apartamento. Que motivos o levaram a cidade ninguém sabe ao certo, mas é curioso jogar para descobrir... Eu achei esse jogo mais difícil em termos de jogabilidade [não sou um ás dos games, ok?], o cenário é mais claro e existem fantasmas perseguindo Henry durante o jogo [e posteriormente esses fantasmas invadem seu apartamento]. 
Os demais jogos da franquia logo serão jogados por mim, e eu espero encontrar neles o terror psicológico que os anteriores me passaram... 










Outra série de jogos muito famosa e inesquecível é Resident Evil. É uma franquia que revolucionou o mercado de Games trazendo o até então inexplorado estilo Survival Horror, com zumbis loucos por carne, infectados por causa de um vírus criado por uma grande corporação da indústria de medicamentos, a Umbrella Corporation. A série foi lançada para o console Dreamcast, Game Cube e PC, além da plataforma Playstation. É uma franquia da Capcom, e no Japão é conhecida como BioHazard. São famosos os personagens Jill Valentine e Chris Redfield, membros dos STARS, um grupo especial da polícia de Raccoon City, cidade onde se ambienta o jogo. 

Resident Evil 

Esses dois personagens, junto com os demais membros da equipe STARS recebem um chamado para investigar uma antiga mansão nos arredores de Raccoon City e quando lá chegam, são atacados por cães esquisitos. Eles se refugiam e acabam se separando no interior da misteriosa mansão e é aí que o jogo começa. A história é recheada de intrigas, você não pode confiar em todo mundo, muitas pessoas morrem e se transformam em zumbis apavorantes e você precisa se salvar, além de descobrir o que está acontecendo. 

Leon e Claire

Resident Evil 2 traz como protagonistas Claire Redfield [irmã de Chris] e Leon Kennedy, um policial novato. Resident Evil e traz o par do primeiro jogo, além de um mercenário chamado Carlos Oliveira [brasileiro] que pode ser controlado em alguns trechos do jogo. O vilão mais 'querido' da franquia surge no terceiro game: Nemesis [que faz um grande estrago entre os STARS], mas aparece em alguns trechos de outros jogos da série. É um jogo que requer agilidade e traz enigmas a serem desvendados para você poder passar de fase. As criaturas são bem-feitas, bizarras e muito ágeis, com exceção dos zumbis [Mas não se deixe rodear deles que você leva um game over...] 

Nemesis não curtiu Jill...

Infelizmente no quesito FILMES, diferente de Silent Hill, a franquia de jogos não foi feliz... As adaptações feitas para o cinema são de dar nojo nos fãs da série. [Sério, se você gostou dos filmes, é heresia você se autointitular fã dos jogos]. O primeiro filme ainda agrada um pouco, porque é como se fosse uma história paralela aos acontecimentos do jogo, mas a partir do segundo filme, tudo descamba para o extremo mal-gosto, falta de bom senso do diretor e desespero dos fãs da série, ao verem seu game preferido tão modificado da idéia [GENIAL] original [que poderia ser bem adaptada, mas preferiram dar força a um personagem que sequer existe no jogo]... Sem contar os erros de continuação, efeitos especiais toscos e nada coerentes com a franquia. 
Se quiserem ver filmes mais fiéis a trama, veja as versões em animação. 

Jill Valentine Resident Evil 3
Jill e Chris Redfield


Bom, espero que tenham curtido o post. Eu poderia falar de outros jogos que eu amo e que deveriam estar aqui mas o post ficaria extenso demais, então deixarei para uma próxima oportunidade... Se você ainda não jogou nenhum dos games que citei aqui, não perca mais tempo. Existem versões em emuladores para se jogar no PC, ou se você tiver um Playstation em casa fica ainda mais fácil... São jogos arrepiantes, com enredos interessantes e sombrios, e além do mais, é diversão [com pitadas de terror] garantida na certa.
Até a próxima, queridos leitores... 

Albert Wesker...

2 Comentários:

Mariana Siqueira Says:
06 novembro, 2013

Eu sou super gamer! aushaushuahsuahsuahs então amei sua postagem!
Resident é o máximo .. mas Silent eu não curto não.. na verdade gosto de ver os outros jogarem...
Minha praia é zumbii .. kkkk amo Left 4 Dead! <3

Beijos ;*
Mari Siqueira
http://loveloversblog.blogspot.com

kadu hammett Says:
06 novembro, 2013

Silent Hill :D

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...