Dia do Professor - De como me tornei...

| 17 outubro 2013 | |


Sei que o dia 15 já passou, e eu falei no post anterior sobre o mesmo assunto, mas queria deixar mais uma impressão a respeito aqui no blog... Escrevi esse texto justamente no dia dos professores e resolvi compartilhar com vocês, leitores do Torpor Niilista... Então, vamos lá...

E quem diria que aquela brincadeira de pegar o quadro azul e brincar de ensinar a irmã mais nova e o/as amigo/as vizinho/as, com meu tio expulsando a gente do quarto dele por causa da 'bagunça', e mainha falando 'só tenho medo dessa menina ser professora quando crescer' pudessem refletir a Maria Valéria de 20 anos depois. Falando assim, percebo o quanto faz tempo tudo isso, mas pensando bem, parece que foi ontem... e como sinto saudades dessa época... época em que as crianças se preocupavam apenas em ser crianças, e tinham interesse em aprender o que os livros tinham a mostrar. Hoje em dia, o quadro [não o azul do início do texto, embora este também tenha mudado de cor] se modificou de forma monstruosa e me deixa triste pela falta de melhores perspectivas. Só que, mesmo com tanta falta de esperança em olhar para frente, e enxergar aquele dia de 20 anos atrás, lá no futuro, eu sigo querendo reverter o quadro [outra vez eu falando em quadros...]... É um desafio que eu encaro quase todos os dias, quando olho pra um monte de rostinhos de 10,11,13 anos, em que eu tento enxergar as crianças de 20 anos atrás, que queriam mudar e aprender, evoluir... Prefiro acreditar que elas não se perderam ao longo dos anos, mas que estão, em essência, nas crianças de hoje... E pensando nelas, pensando no futuro do meu país, do meu sobrinho [já que não ando com pretensões de ter filhos], é que eu encaro a rotina difícil, cheia de obstáculos e [des]estímulos, de não-reconhecimento que eu e meus colegas de profissão sofremos [daí o motivo de minha mãe ter dito 'só tenho medo dessa menina ser professora quando crescer', pois ela não queria ver a filha se esforçar tanto pra não ter seu valor merecido]...

Sei que é meio piegas falar nisso nessa data, 'feliz dia do professor a todos que me ensinaram alguma coisa' mas eu queria agradecer, desde a minha mãe, que foi minha primeira professora, já quando pegava em minha mão pequenina e me ajudava com as primeiras letras, até aquela que me recebeu junto de mais tantas crianças, numa sala de aula, pra me ajudar com a matemática de palitinhos, em finais dos anos 80... Àqueles que contribuíram para a minha formação, que me fizeram evoluir, questionar, ter ânimo pra passar o que eu aprendia para outras pessoas... aos meus professores do PrevUPE, que tiveram uma tarefa árdua de me fazer [re]lembrar o que há um bom tempo eu havia esquecido, e que por eles, eu consegui passar no vestibular pra um curso de licenciatura. A todos os meus professores da faculdade, que me apoiaram em sala, e fora dela, que se mostraram mais que professores, mas também amigos. À turma HIST-2009, às turmas que vieram depois, aos que conheci antes, aos meus colegas do trabalho, a todos os desconhecidos do mundo afora que enfrentam as piores dificuldades para chegar em sala de aula a fim de passar seu conhecimento a tantas cabecinhas confusas, distintas [e algumas 'problemáticas']. A NÓS, um feliz dia do professor. E o presente que vocês, alunos, poderiam nos dar, seria: OUSEM SABER

e com muito orgulho, tenho dito.

5 Comentários:

Italo S Says:
17 outubro, 2013

Dia dos Professores, uma data tão especial.
Ser professor, é, em minha opinião, uma das melhores sensações!
Professor é quem vai transmitir conhecimento, ajudar alunos com suas dificuldades, mostrar, muitas vezes, que "aquela matéria chata" pode não ser tão chata hihi
E, como é bom ver o progresso de nossos alunos ;)

http://incriativos.blogspot.com.br/

Samantha (Samgirl) Says:
17 outubro, 2013

Você é professora que legal ;D
Realmente as pessoas não dão o valor merecido as professores, e quando digo isso me refiro aos que realmente são e gostam de ensinar, pois infelizmente(pelo menos no meu tempo), tinha alguns que nem sei porque haviam escolhido essa profissão...
Eu espero que algum dia profissões como essa, que são tão importantes, alcancem o real reconhecimento que merecem.
Byeee
Samantha Artes & Books

David Costa Says:
17 outubro, 2013

Feliz dia dos professores atrasado ^^
Infelizmente no nosso pais, eles são muitos desprezados, mas um dia, ainda ser tornaram tão idolatrados como outras carreiras.

David - Leitor Compulsivo

Ane Says:
18 outubro, 2013

Oláaaa! Adorei seu post, pois também sou professora...
A frase da tua mãe foi muito perfeita...Meu pai é professor e me disse exatamente isso, mas ele não se deu conta que ele é a minha maior inspiração...
Mas sinceramente, mesmo com todos os problemas que passamos, não tem nada mais belo ver um aluno evoluindo, não só na nossa disciplina, mas na vida *.*

Um super beijo
http://estoulendoo.blogspot.com.br/

Aline Gonçalves Says:
23 outubro, 2013

Os professores merecem mais respeito no país.
São eles que educam e nos ensinam a ser uma pessoa melhor.
Beijos - Parabéns atrasado.
http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...