Solidão mútua.


Renda-se. Eu o fiz...

O suave perfume embalou meus sentidos, despertou sensações e memórias há muito reprimidas. Apenas mais uma vez, agarre-se na recordação do sorriso. O que restará no fim de tudo... as lembranças. Um segredo. Uma solidão mútua...

Nenhum comentário:

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

Witches Hat
Tecnologia do Blogger.