Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...





"Deixai toda esperança, ó vós que entrais!" Inferno. A divina Comédia [Dante Alighieri]

Páginas

0

O que sobrou de mim...


Meus pensamentos se perdem. Imersas no vazio, minhas memórias.
Memórias que latejam, corroem, provocam mal-estar. Mas, o que provoca mais dor: a memória vivida, ou saber que aquilo tudo não volta mais?
Olho para meus dedos dos pés, descalços, enquanto o relógio bate as horas, que conto minuto a minuto, na vã esperança que passem mais rápido. Mas o relógio anda tão devagar... Que eternidade sem você. Por que o relógio não pára de uma vez e me faz esquecer? Apenas esquecer...

E o que sobrou de mim em você? Saudade, amargura, rancor? Nem ao menos um lampejo de memória?
E o que sobrou de ambas? Sonhos sem final feliz, dias que não surgiram, conversas que não aconteceram, cartas não trocadas, fotos não tiradas, sorrisos desfeitos, palavras esfaceladas, tristeza amargurada...

O que sobrou de você em mim...
Saudade! Muita saudade. Tardia, triste, saturada...

0 Comentários:

Postar um comentário

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...