Ouro de Tolo


O que ganhei por te amar?
Rejeição, desprezo, indiferença.
Amor que não passa, não morre, que aos poucos me mata.
Amor que machuca, maltrata. Não se desgasta.
Que aparenta verdade, aparenta ardor.
Na verdade, amor que ilude, corrói, destrói.
É puramente Ouro de Tolo...

Nenhum comentário:

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

Witches Hat
Tecnologia do Blogger.