Noite negra, coração bobo...


Noite que traz pensamentos distantes, desperta anseios reprimidos, sonhos proibidos. Noite que engana com sua beleza, e traz em si própria, melancolia, solidão, tristeza.
Eterna companheira da lua e das estrelas...

Meu coração palpita ao vê-las. Coração que de bobo, se deixa afogar no brilho negro e soturno, no frio inquietante, na solidão das ruas cinzas. Se embriaga com o perfume barato da prostituta na esquina... Se embala com a velha canção do bêbado vagabundo que ronda por ali.
Coração bobo, que vê a graça do amor em tudo. Até no suspiro, que refresca a noite negra e vazia...

Nenhum comentário:

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

Witches Hat
Tecnologia do Blogger.