Pingos na Despedida...


Vejo você indo embora, por detrás da janela...
Os pingos de chuva que caem, escorrem pelo vidro
do lado de fora.
Os pingos de lágrimas que caem, escorrem pelo vidro
do lado de dentro.
Mesclando-se, moldando-se, sem se tocarem. Pois o vidro não os deixa misturar-se.

Assim, somos nós: Mesclamo-nos, moldamo-nos, com o vidro espesso da despedida, nos separando.

Você é igual aos pingos de chuva...
Eu sou igual aos pingos de lágrimas...
O vidro espesso separando...


Ambos...

2 comentários:

  1. Adorei...lindos as poesias e os poemas que tu posta querida

    beijos

    (LL)

    ResponderExcluir
  2. Adoro postagens antigas ♥
    Lindo teu poema
    Conversas de Alcova

    ResponderExcluir

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

Witches Hat
Tecnologia do Blogger.