Sinto minha carne apodrecendo
Os vermes me comendo
O ar que fugiu de meus pulmões...

tudo se resume à escuridão e cheiro de terra úmida.
Onde estou?

A morte me alcançou.
Onde estão todos que choraram por mim?
Agora fico aqui, nesse buraco escuro, sozinha, abandonada.
Aqueles que lamentaram minha morte, não vem mais me visitar
Onde caem agora as lágrimas que regaram meu túmulo?

Quem realmente se importou por eu ter partido?
...

Nenhum comentário:

De Bukowski a Dostoievski. Ana Cristina César a Lilian Farias. Deleite-se com a poesia de Florbela Espanca e o erotismo de Anaïs Nin...
Aforismos, devaneios, quotes dispersos e impressões literárias...um baú de antiguidades e pós-modernismo. O obscuro, complexo, distópico, inverso... O horror, o amor, a loucura e o veneno de uma alma em busca de liberdade...

Seja bem-indo-e-vindo[a]!

Witches Hat
Tecnologia do Blogger.