Os fragmentos de Fátima Quintas em Alfenins e Alfinetes

| 15 dezembro 2017 | 0 Comentários |
"As mãos, tão minhas, falam mais do que eu mesma."


Comprada na Bienal do Livro em outubro, Alfenins e Alfinetes é minha experiência de estreia com a autora, professora universitária e pesquisadora/coordenadora do Instituto de Tropicologia da Fundação Gilberto Freyre. Conheci Fátima Quintas por meio de uma amiga e posteriormente um amigo me mostrou uma crônica de jornal assinada por ela... Foi o estopim para que eu me adentrasse em seus escritos... 
Alfenins traz um título curioso e na verdade trata-se de um compilado de fragmentos da autora, discorrendo sobre temas diários de nosso cotidiano, com uma linguagem poética e sensível de se enxergar as coisas. Ela fala sobre o amor, a saudade, sobre o Recife [sua terra natal] e sobre o perdão. Vai do ócio à nudez com maestria. Do poder à pureza, com toques de racional. 

"Estou vazia. À espera dos exageros."

As frases soltas que compõem este livro nos dão uma pequena e significativa mostra do poder de escrita que Fátima possui. Impossível não se enxergar nos pequenos textos, nos devaneios bucólicos dela e não se permitir ir além das reentrâncias de seus versos. Os fragmentos de Fátima Quintas são como poesias cantadas, que fazem eco ao nosso interior e nos levam a viajar em pensamentos líricos...

Em suma, Alfenins e Alfinetes é uma excelente pedida para aqueles que desejam se familiarizar com sua escrita, e certamente irá agradar aos já familiarizados com seus textos... 

"Neste final de ano, não riscarei o menor detalhe da agenda antiga. Vou perseguir os mesmos tópicos, somando pedaços espalhados por aí afora, adicionando amigos ao meu bem-querer, insistindo nas buscas em que fracassei."

╬† ...Retrospectiva 2017... ╬†

| 13 dezembro 2017 | 9 Comentários |
E cheguei a mais um ciclo concluído. 32 anos. Sou uma autêntica balzaquiana e confesso estar aproveitando ao máximo essa minha fase... Fazendo a retrospectiva de tudo que vivenciei esse ano, sinto que dei alguns passos à frente em minha evolução pessoal... Mas ainda tenho muitos degraus a galgar e montanhas para serem escaladas... 

No campo pessoal, profissional e literário tive várias conquistas e vivi momentos que através de um post como esse se perpetuam na posteridade... ou até enquanto durar o bom e velho google, com todas as nossas contas conectadas a ele... 

Logo no início do ano me reuni ao meu grupo de amigos da faculdade e fomos passar um final de semana em Igarassu e Itamaracá. Visitei igrejas antigas, tomei banho de mar, me diverti, me emocionei e fortaleci ainda mais os laços com essas pessoas maravilhosas que se fazem sempre presentes em minha vida. Sou grata ao cosmos por ter conhecido vocês...

Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em

Alguns dias depois meus amigos Lili e Renê vieram me visitar, e juntos com Magali fizemos um pequeno 'tour' por Olinda, Recife Antigo e as praias do litoral sul. Me deparei com a praia de Suape e quis me eternizar em areia ali... um pequeno paraíso pra chamar de meu no mundo...

Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


Bem no fim das férias eu conheci uma pessoa que se tornou especial em minha vida. Um amigo que sempre me apoia em minhas decisões, ouve meus planos sem rir deles, por mais que possam parecer bobos e tem o mesmo amor pela literatura e pela História que eu tenho. Ireno é uma pessoa iluminada que eu sempre farei questão de ter na vida...



Depois de muitos anos resolvi brincar um pouco no carnaval. E ainda arrastei uns amigos queridos comigo. De última hora comprei uns acessórios, montei a fantasia e lá estava eu, pulando entre as katraias de Paudalho. E - pasmem! - me diverti. Bya e Lou, melhores companhias.

Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


No campo profissional, além de continuar na escola que trabalho desde 2013, ainda consegui um contrato pela prefeitura e comecei a dar aulas para o EJA - Educação para Jovens e Adultos. Três noites de minhas semanas são dedicadas a três turmas em duas escolas. Com o decorrer dos meses, aprendi a conviver com pessoas distintas de mim, com religiões, ideais, realidades, sonhos e perspectivas diferentes, e tem sido um aprendizado poder estar com esses alunos, que acabam me ensinando muito sobre a vida... é uma troca de conhecimento e afeto que dinheiro nenhum no mundo pode comprar...

Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


Fui a uma festa de aniversário de uma de minhas alunas do Fundamental. Não sou muito dada a festas e eventos sociais, mas senti que precisava despertar em mim uma vontade de me cuidar, valorizar a minha imagem e tentei caprichar pra me sentir bem comigo mesma. Confesso que fiquei espantada com meu visual, não pensei que elegância combinasse comigo... hahahah

Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


E eu serei titia novamente. Minha irmã vai dar um irmão caçula para Miguel. Estamos esperando o pequeno grande Nicholas para o começo de janeiro. 

Fiz algumas visitas a exposições de arte e museus. Na Caixa Cultural de Recife visitei uma mostra de Lula Cardoso Ayres, Colorismo de Potero, Pelos ares [de Lu Marini], Ukiyoe - a magia da gravura japonesa, O recife de Antigamente e Colagens, de Henri Matisse. Fui pela primeira vez ao Museu da Abolição, ao Castelo Brennand, à Oficina Brennand e ao Forte das Cinco Pontas. 
Minha parceria com a Editora Companhia das Letras foi renovada e com muito prazer prossegui 2017 com leituras maravilhosas no decorrer dos meses, e que vocês podem encontrar resenhas falando sobre tais leituras aqui neste link...

Então... aos 31 comecei a fazer terapia... senti a necessidade e depois da ajuda de algumas pessoas pra lidar com momentos desgastantes e difíceis, vi a possibilidade tomar forma real quando me vi em frente ao consultório, sozinha, com a coragem que não sabia que tinha, e resolvi encarar meus problemas de frente. Tem sido importante pra mim e recomendo a todo mundo que faça também. Apesar de ainda ter muito a ser desenvolvido mais a frente, senti uma melhora significativa em meu cotidiano e na maneira de enxergar as coisas...

Meu marido passou uns dias em Garanhuns, à trabalho, e num final de semana me arrastou com ele pra conhecer essa bela cidade do nosso agreste pernambucano. Visitei monumentos, parques, praças, senti aquele clima frio da região, me deliciei com a comida do lugar e fiz a aventura toda na traseira de uma moto. Sim, meu marido e eu cruzamos um  longo percurso por quase 4 horas encima de uma moto. [sou dessas u.u]




Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


Depois de um hiato de dois anos, resolvi riscar meu corpo novamente. E a tattoo da vez foi um tabuleiro Ouija nas costas. Doloridas seis horas de sessão e eis minha mais nova arte corporal...

Organizei com meus companheiros de trabalho o Arraiá CEPI, Semana do folclore, Semana da árvore, Halloween, gincanas do estudante e o Dia de los Muertos. Esse ano foi bem produtivo na Arte do Fundamental...

Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


Ano ímpar é ano de Bienal do livro aqui em Pernambuco. Além da excursão com os alunos do 8º e 9º anos, ainda visitei o Centro de Convenções no último dia do evento e sai lotada de livros...

Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


Fiz uma visita à cidade de Vicência com alguns amigos da faculdade, tomei licor e cachaça de alambique num engenho local, além de percorrer a estrada e o centro da cidade antes de voltar pra casa... Incrível como um domingo pode se tornar tão interessante com boas companhias e uma cidade vizinha pra se conhecer... 

Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


Houve também a viagem anual ao parque de diversões Mirabilândia e me diverti bastante. Como criança, mesmo no auge dos trinta e um anos... hehehe

Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


No feriado Finados acabei indo passar uns dias em Pitimbú, na Paraíba. Conheci a famosa Praia Azul, e ela também se tornou um dos meus locais preferidos do mundo... 

Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em


Por último e não menos importante, visitei no último sábado o parque aquático da cidade de Moreno, aqui mesmo em meu estado. Nunca tinha ido por lá antes, e pegar a estrada é coisa que alegra um sagitariano como uma caixa de papelão empolga um gato. Foi um dia maravilhoso na companhia de meus alunos e companheiros de trabalho...

Bem, tentei me ater aos acontecimentos mais relevantes de minha trajetória neste ano e aproveitando ser também meu aniversário, quero agradecer por todos aqueles que permaneceram comigo mesmo quando eu estive na pior, sou grata por ter conhecido tanta gente legal e afetuosa, por me permitir amar com mais intensidade o respirar, a noite, o sol, o cheiro do mar e o barulho de chuva no telhado. Que eu consiga manter as conquistas que alcancei, as amizades que formei e saiba aproveitar os risos que as coisas simples e espontâneas me tiram do rosto... 

Entre mortos e feridos, diante do chaos mundial, até que meu pequeno universo saiu imune às desgraças mais aterradoras... Aproveito pra me despedir de 2017 com mais algumas pequenas e singelas realizações, tenho até o dia 31 do mês para isso... 


Uma publicação compartilhada por Maria Valéria - TorporNiilista (@psychokillerstrange) em

Hipátia de Alexandria

| 10 dezembro 2017 | 12 Comentários |
Nascida em Alexandria por volta de 370 d.C., Hipátia foi uma matemática e filósofa, além de oradora, filha de um matemático e é considerada uma das mulheres mais importantes na História Antiga, uma das últimas intelectuais a trabalhar na famosa Biblioteca de Alexandria e que teve um fim trágico, devido a inveja e ganância de homens de sua época. 



Maria Dzielska fez uma interessante pesquisa acerca da vida de Hipátia, desde suas influências entre pessoas importantes da cidade até sua morte em 415 d. C. Hipátia ganhou a inimizade de grupos cristãos, embora convivesse em paz com alguns deles, devido a sua formação filosófica classificada como neoplatônica.

"a influência de Hipátia estendia-se a Constantinopla, à Síria e a Cirene. As suas amizades e influências entre funcionários imperiais e figuras da hierarquia da Igreja eram de molde a engendrar inquietações ansiosas entre os seguidores de Cirilo."

Ao longo de pouco mais de cem páginas, com notas explicativas ao final da edição, a autora desvela um panorama sobre a situação de Alexandria naquele período, bem como os ensinamentos passados aos seus discípulos, contextualizando o cenário político-religioso que culminaram em seu assassinato brutal.




Hipátia se dedicou à construção de astrolábios, escreveu comentários a obras clássicas gregas, e provavelmente chegou a conhecer a obra de Ptolomeu. Sua figura era vista como uma ameaça ao governo de Cirilo, bispo de Alexandria, que a enxergava como aliada do governador Orestes e passou a persegui-la, sendo responsável indiretamente por sua morte. 




"Cirilo deve ser considerado em grande medida responsável, ainda que consideremos que o assassinato  foi concebido e executado pelos parabolanos, sem o seu conhecimento. Porque é incontestável que foi ele o principal instigador da campanha difamatória contra Hipátia, fomentando o preconceito e a animosidade contra a filósofa, espalhando o medo perante as consequências das suas alegadas práticas de magia negra, tendo por fim encantar o prefeito, os fiéis da comunidade cristã e, por fim, toda a cidade."

Hipátia tinha uma forte ligação com seu pai, Teón, e em seu lar lhe foram passados ensinamentos e questionamentos acerca do desconhecido. Ela desenvolveu estudos sobre Álgebra, agia como 'conselheira' para estudiosos que a procuravam em busca de solução de problemas matemáticos e tinha conhecimentos na área de Astronomia.

É interessante salientar que a leitura dessa pesquisa realizada por Dzielska faz com que o leitor conheça mais a fundo sobre a vida dessa mulher que deixou sua marca registrada na História. A título de curiosidade ou para fins acadêmicos, é uma boa fonte de informações e descrições daquele período conturbado pelas disputas de poder e hegemonia religiosa, o atrito entre cristãos, judeus e pagãos e serve como objeto de reflexão sobre como a figura feminina  há muito já é vítima de uma sociedade misógina e patriarcal, apesar de Hipátia ter sido por muito tempo um indivíduo respeitado em seu meio, devido às suas contribuições em suas áreas de atuação. 

Existe um filme intitulado Agora que fala sobre a vida da matemática, com Rachel Weisz no papel de Hipátia.

Criaturas da Noite, de Neil Gaiman

| 05 dezembro 2017 | 3 Comentários |
Criaturas da noite é mais um belo trabalho de Neil Gaiman no universo dos quadrinhos que presenteia o leitor com duas histórias curtas que trazem gatos e corujas como animais enigmáticos e ares de sobrenatural.


A primeira história se chama O preço. Um homem apaixonado por gatos e que cuida dos bichanos que aparecem em sua porta, se depara com um Gato preto que logo se mostra dócil, mas que nos dias seguintes aparece todo machucado. Sem saber de onde o gato veio, o dono resolve colocá-lo no porão a fim de lhe tratar os ferimentos. Nesse ínterim, algumas coisas começam a 'desandar' em  sua vida,seja na familia ou em projetos profissionais. Quando ele tira o gato do porão e ele fica solto novamente no terreno da casa, mais uma vez ele aparece nas manhãs seguintes com feridas horrendas, e logo o protagonista descobre a ligação entre seus infortúnios e aquele animal de olhos esverdeados e pêlo negro...


A segunda história intitula-se A filha das corujas. Uma bebê recém-nascida é abandonada num velho convento depois de uma reunião das pessoas do vilarejo sobre o que deveriam fazer com ela, pois a criança foi considerada amaldiçoada. Os anos passam e a menina - ao contrário do que pensavam os moradores da aldeia -  conseguiu sobreviver e se torna uma bela adolescente, embora não tenha contato com seres humanos. É nesse ponto que a maldade humana vai a níveis absurdos e alguns caçadores resolvem se aproveitar da inocência da garota a fim de satisfazer seus desejos asquerosos... Algo inusitado acontece e a natureza da garota se mostra perceptível...


Além do roteiro bem trabalhado, encontramos traços belíssimos que fazem de Criaturas da noite uma excelente leitura com ares sombrios, característicos da obra de Neil Gaiman. Por trás de A filha das corujas, nos deparamos com uma inteligente crítica à hipocrisia religiosa, à moralidade e que culmina num desfecho poético e aterrorizante. O preço é uma ode à altivez e imponência felina, já admirada pelos antigos egípcios em tempos remotos. 

Criaturas da noite é uma excelente pedida para os apaixonados por gatos, corujas, seres fantásticos da noite e fábulas líricas. Apaixonante! 

[Série] nArcos

| 03 dezembro 2017 | 4 Comentários |

Voltando com a coluna Séries aqui no blog, resolvi trazer minhas impressões acerca de nArcos, que trata da história de um dos traficantes mais famosos da Colômbia, Pablo Escobar, e o surgimento do Cartel de Medellin

Original da Netflix, nArcos estreou em 2015 e conta atualmente com 3 temporadas. Mas irei me ater aos acontecimentos da primeira, que foi até onde eu assisti [por enquanto]... Wagner Moura dá vida ao personagem Pablo e os dez episódios iniciais contam toda sua trajetória na criação do Cartel, a perseguição de agentes da DEA para sua captura e o envolvimento com parceiros do crime, além de seus inimigos. 



Conhecemos a vida pessoal de Pablo, a constituição de sua família, o prestígio que tinha entre a população colombiana e sua derrocada depois de acontecimentos trágicos e brutais. Em paralelo, existe uma operação por parte dos Estados Unidos aliados ao governo colombiano para tentar capturar o narcotraficante. Violência, mortes, brutalidade, negociações, corrupção rolam soltas no decorrer da série. Passamos a entender o funcionamento de tais organizações, desde o preparo da droga até ela chegar ao nariz de seus consumidores... Trata-se de uma verdadeira teia que enreda desde crianças da periferia de Medellin a membros importantes da alta cúpula do governo e polícia.

A esperança de viver dias melhores faz com que pessoas inocentes se sacrifiquem em prol da causa de Escobar. Alianças são formadas, parcerias são violentamente quebradas e a lavagem de dinheiro corre solta, além de sequestros e atentados terroristas. 

Além do já conhecido Wagner  Moura, contamos com nomes como Pedro Pascal, que interpreta o agente da DEA Javier Peña e Alberto Ammann, como Pacho Herrera, inimigo de Escobar e líder do Cartel de Calí. Dirigida pelo cineasta brasileiro José  Padilha, nArcos é uma série americana, de co-produção colombiana e chegou a ser indicada aos prêmios Globo de Ouro 2016 nas categorias Melhor ator em série dramática e Melhor série de Televisão - Drama. 

nArcos é indicada para aqueles que gostam de uma boa trama policial, repleta de intrigas, violência e drama. Traz um enredo que promete verdadeiros momentos de tensão e um desfecho alucinante... 

Recomendo!


╬† Literatura no Mundo ╬†

╬† Autores ╬†

agatha christie Alan Dean Foster Alan Moore Álvares de Azevedo Ana Cristina César Anaïs Nin Anna Akhmatova Anne Rice Anne Sexton Antônio Xerxenesky Arthur Rimbaud Bob Dylan Bram Stoker Cacaso Caio f. Abreu Cecília Meireles Charles Baudelaire charles bukowski Charles Dickens chuck palahniuk Clarice Lispector clive barker Cruz e Sousa dalton trevisan David Seltzer Dik Browne Don Winslow edgar allan poe Eduardo Galeano Emily Brontë Ernest Hemingway Eurípedes F. Scott Fitzgerald Ferreira Gullar Florbela Espanca Franz Kafka Garth Ennis George R. R. Martin Gilberto Freyre Guido Crepax H. G. Wells H. P. Lovecraft Haruki Murakami Henry James Herman Hesse Herman Melville Hilda Hilst honoré de balzac Horacio Quiroga Hunter S. Thompson Ignácio de Loyola Brandão isaac asimov Ivan Turgueniev J. R. R. Tolkien Jack Kerouac Jack London Jay Anson João Ubaldo Ribeiro Joe Sacco Jon Krakauer Jorge Luis Borges José Mauro de Vasconcelos Julio Verne Konstantinos Kaváfis L. Frank Baum Laura Esquivel Leon Tolstói Lord Byron Luciana Hidalgo Luiz Ruffato Lygia Fagundes Telles manoel de barros Marcelo Rubens Paiva Mario Benedetti Mark Twain Marquês de Sade Martha Medeiros Mary Shelley Michel Laub Miguel de Cervantes Milo Manara Moacyr Scliar Neil Gaiman Nelson Rodrigues Nicolai Gógol Oscar Wilde Pablo Neruda Patti Smith Paulo Leminski Pedro Juán Gutierrez Rachel de Queiroz Rainer Maria Rilke Ray Bradbury Robert Bloch Robert Kirkman robert louis stevenson Roberto Beltrão Rubem Alves Sándor Márai Sófocles Stephen King Stieg Larsson Susan E. Hinton Sylvia Plath Torquato Neto Victor Hugo Virginia Woolf William S. Burroughs Ziraldo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...