Belas Maldições, por Pratchett e Gaiman

| 18 outubro 2017 | 0 Comentários |
Publicado recentemente pela Bertrand Brasil, Belas Maldições é uma obra escrita a quatro mãos por dois consagrados autores de ficção inglesa de teor Fantástico: o falecido Terry Pratchett, criador da série Discworld e Neil Gaiman, criador da série de quadrinhos Sandman.


As justas e precisas profecias de Agnes Nutter foi o único livro de profecias escrito no ano de 1655 que afirma que o mundo vai acabar num belo dia de sábado. Os exércitos do Bem e do Mal, de acordo com o Plano Divino estão se organizando a fim de levar a profecia à cabo. Porém, o anjo Aziraphale e o demônio Crowley estão tentando protelar o Armagedom pelo simples fato de terem se apegado à vida mundana. O problema é que eles acabaram perdendo de vista a Criança que segundo o Livro do Apocalipse, é o Anticristo...

Aziraphale é um anjo vendedor de livros, seu 'parceiro' Crowley foi a serpente que tentou Eva no Éden. A criança que eles passaram anos observando para que não manifeste seu poder maligno não é o Anticristo devido a uma troca com outro bebê na hora do parto, e o Anticristo anda perdido e as duas entidades precisam se virar para encontrá-lo. Em contrapartida, os cavaleiros do Apocalipse estão rumando pelo mundo cumprindo seus deveres, e a bagunça só aumenta porque há uma garota que perdeu seu livro de profecias e ele acaba caindo nas mãos da dupla Azira/Crowley... 

Misturando o bom e velho humor inglês com personagens hilários temos uma ficção bem construída e que carrega algumas referências à cultura pop. A narrativa se dá ora pelo ponto de vista de um personagem, ora de outro e mais outro, que têm suma importância no devido momento ao longo da história. 

A leitura flui leve para aqueles já familiarizados com as tiradas de humor e sarcasmo da dupla de escritores mas pode soar cansativa para aqueles que nunca se atreveram a encarar suas obras. Contudo, é uma leitura válida que promete horas generosas de risos por suas piadas bizarras. 

Julio Verne em quadrinhos

| 17 outubro 2017 | 0 Comentários |
Recentemente fiz a leitura de um quadrinho encontrado por acaso no sebo que frequento e se tratando de adaptações de obras de Júlio Verne, não poderia deixar de comentar a respeito por aqui... As viagens fantásticas de Júlio Verne em quadrinhos foi publicado pela Editora Vecchi quando nossa moeda nacional ainda era o cruzeiro [adoro essas raridades que um sebo me proporciona]. 

A primeira história adaptada é Viagem ao centro da terra, obra que li na versão original e me frustrei com seu desfecho. Contudo, o desenvolvimento da narrativa se dá de maneira a deixar o leitor absorto por várias horas e o quadrinho faz jus ao livro... Ninguém jamais foi ao centro do planeta e três homens decidem mudar esse fato embarcando numa viagem as profundezas de uma montanha a fim de chegarem ao núcleo da Terra...


O segundo livro adaptado é Viagem à lua, e como não fiz a leitura da obra original ainda, não sei afirmar se em formato quadrinhos ficou além ou aquém, mas de qualquer maneira eu gostei de como a história foi conduzida. Viagem à lua tem a peculiaridade de ter sido escrita há mais de um século sobre uma viagem espacial, sonho ainda distante da humanidade que só realizaria esse feito décadas depois da história narrada por Verne. 

Finalizando o quadrinho, Vinte mil léguas submarinas é o último livro que ganhou adaptação nessa HQ, desenhada por Edmundo Rodrigues. Mais uma vez, três homens audaciosos se encontram prisioneiros do Capitão Nemo, a bordo de seu submarino Náutilus e passam a vivenciar experiências nunca antes experimentadas por eles nas profundezas do oceano, sob a vigia constante dos tripulantes do submarino, e comandado pelo grande capitão dos mares, como Nemo é conhecido... 

Julio Verne foi um escritor francês nascido em 1828, e considerado um dos maiores ficcionistas de seu tempo, tendo deixado para o mundo da literatura universal uma contribuição de mais de cem aventuras ambientadas em diversos lugares, e com personagens que possuem como principal característica o destemor pelo desconhecido. Suas obras possuem humor, certo caráter didático mas que não perdem em medida para o inimaginável das situações. Possui uma escrita fluida e é considerado o pai do gênero ficção científica. Lido por jovens, adultos e idosos, não existe uma limitação de faixa etária para seus leitores. Qualquer indivíduo que aprecie aventuras e Sci-fi certamente vai encontrar em várias das obras de Julio Verne entretenimento garantido e de qualidade...

Vale muito a pena adquirir um exemplar, caso a sorte de um 'garimpo' nos sebos te dê a chance de topar com esse título entre suas pilhas de livros...

╬†... 13 dicas de quadrinhos para se ler numa Sexta-feira 13... ╬†

| 13 outubro 2017 | 14 Comentários |
Que delícia comemorar o Halloween em outubro e ainda de quebra ganhar uma sexta-feira 13 no mês, a única sexta 13 de 2017. Pensando em trazer um post bacana pro blog, resolvi listar 13 dicas de quadrinhos de horror pra você que pretende se aventurar em alguma leitura rápida e não tem ideia de por onde começar... Algumas eu já resenhei aqui no blog e deixo os links disponíveis ao longo da postagem. Outras futuramente serão mais detalhadas por aqui... De mangás a comics, tentei ser bem eclética, a fim de agradar a gregos e troianos. Vamos lá?


Abaixo do metrô de Tóquio pulsa uma força sombria e assustadora, um lapso entre o mundo dos vivos e dos mortos, e Seiya é um espécie de guia entre os dois lugares. Jovens de várias idades acabam caindo nas garras de espíritos vingativos que terminaram suas vidas de  maneira violenta e que não querem sofrer a condenação eterna sozinhas, levando quem estiver ao alcance de seus 'trilhos'. Dark Metro é um mangá publicado em três volumes aqui no Brasil, de autoria de Tokyo Calen e Yoshiken, pela editora NewPop

Panorama do Inferno é o volume único publicado pela Conrad Editora e fala sobre um pintor obcecado pelo inferno e seduzido pelo cheiro do sangue. De autoria do mangaká Hideshi Hino, tem um quê de autobiográfico e um traço perturbador. 

Mais um mangá da editora New Pop, Suicide Club também se trata de um volume único de autoria de Usamaru Furuya. 54 garotas se jogam na linha do metrô, deixando o público estarrecido com o acontecimento. Pouco tempo depois, várias mortes começam a ocorrer envolvendo estudantes de outras escolas no país inteiro. Uma equipe de detetives corre contra o tempo para impedir que o fenômeno se repita e mais mortes aconteçam... 


Ringu, ou O chamado - como é conhecido aqui no ocidente é um mangá de dois volumes, de Misao Inagaki, e retrata os acontecimentos da franquia de filmes na versão japonesa. Uma fita misteriosa assistida por alguns curiosos é a causa das mortes de tais pessoas sete dias depois de terem assistido. A garota que aparece para assombrar as vítimas ao longo dos sete dias é um espírito atormentado em busca de vingança... 

Ainda na linha de mangás de horror temos Manga of the dead, uma coletânea de mini histórias na temática de zumbis. As histórias variam do terror ao drama e são assinadas por artistas japoneses, em contos curtos e ricamente ilustrados, mostrando o que os orientais tem de excelente quando se trata de tramas com zumbis. 


Para suavizar um pouco, temos O estranho mundo de Jack, uma adaptação do filme de Tim Burton que traz o pitoresco Jack Skellington causando confusão no natal, por já estar entediado da festa de Halloween. Trata-se de uma versão do filme em formato mangá, sem grandes mudanças no roteiro. História e arte assinadas por Jun Asuka, o quadrinho é uma publicação da Editora Abril...

Voltando à temática mais pesada, apresento o quadrinho Aokigahara, dos brasileiros André Turtelli Poles e Renato Quirino. Ganhei essa HQ no All Hallow's Read do ano passado, numa promoção feita pela Raquel do Pipoca Musical. Aokigahara é uma famosa floresta no Japão conhecida pelo alto número de pessoas que vão até lá para se suicidar. Há rumores que as almas desses suicidas permanecem na floresta, atormentando os visitantes, induzindo-os à morte. 



Neonomicon é um quadrinho de Alan Moore e faz referência ao universo de H.P. Lovecraft. Assassinatos ocorrem na cidade e o FBI começa a investigar, mas existem coincidências muito estranhas nas mortes. Um especialista na Teoria da Anomalia adentra num clube que parece abrigar uma seita suspeita que pode ter relação com os crimes. Dois investigadores acabam se deparando com o horror do sobrenatural no caso, levando suas sanidades ao limite da loucura...





O cão de caça e outras histórias também é uma espécie de homenagem a Lovecraft. Trata-se de um mangá com três histórias baseadas em três contos do escritor, adaptados por Gou Tanabe e publicado pela JBC editora. Os contos são O templo, O cão de caça e A cidade sem nome.

Domínio Público é uma obra nacional que traz histórias em quadrinhos adaptadas de autores clássicos como Bram Stoker, Guy de Maupassant, Esopo e Isaac Babel. Os traços são bem distintos e possuem uma carga perturbadora e envolvente que seduzem o leitor. 

A editora D-Arte possui algumas publicações no gênero Terror e eu possuo dois quadrinhos, intitulados Calafrio e Mestres do Terror apresenta: Drácula. Tratam-se de adaptações de contos clássicos, como A dama do véu negro, de Charles Dickens e histórias envolvendo vampiros. São publicações antigas, e certamente podem ser encontradas em sebos. Tem um quê de noir nas ilustrações e foram bem populares na época de lançadas... 


Por último e não menos importante, A queda da Casa de Usher é a adaptação do conto homônimo de Edgar Allan Poe, que pertence a coleção Classics Illustrated da Abril Jovem. O roteiro adaptado é de P. Craig Russel e Jay Geldhof. Acredito que vai agradar aos leitores que preferem leituras mais arrojadas...


Então é isso. Espero que tenham gostado e encontrem alguma dessas dicas por aí. Considerem o post uma première da Semana Especial de Halloween que farei no final do mês... hehehe... 

Postagens relacionadas:


Caixa de Correio Setembro/2017

| 07 outubro 2017 | 13 Comentários |
As compras que fiz pela internet me custaram um aperto nas contas do mês mas valeram a pena. Comprei a edição de Henry Miller no AmazonDay porque estava com frete grátis, me custou uns doze reais... Comprei alguns títulos de Charles Bukowski porque nunca é demais ter esse homem na estante... Aos poucos vou adquirindo tudo que for lançado dele aqui no Brasil... Por fim consegui uma bela promoção e encomendei a edição encadernada de Morte, de Neil Gaiman. A minha alegria ao ver o pacote ninguém tem noção. HAHAHA


Pelos correios ainda recebi de presente/cortesia uma cartinha de minha amiga Mara Vanessa, com vários panfletos de exposições que ela visitou no Rio de Janeiro e enviou pra mim. É sempre com muito carinho que ela me manda mimos vezemquando... Antônio, meu amigo que mora em Rondônia, também fez uma pequena surpresa me enviando a edição de Livros de marcar livros, junto com alguns marcadores, e Lili [amiga-minha-irmã e autora parceira] me enviou as cortesias da Editora Rocco que logo serão resenhados no Poesia na Alma e por aqui. Ainda ganhei Fundação como presente...


As comprinhas básicas do mês se resumiram em dois garage kits de One Piece da coleção Salvat, Cem anos de solidão comprado no sebo do meu amigo Dedê e durante minha visita na exposição do Museu Forte das Cinco Pontas em Recife, acabei comprando na loja de lá um exemplar do livro Nos caminhos do Ferro, junto com uma ecobag e  uma camisa da Revolução Republicana, em comemoração ao segundo centenário da mesma... 



Consegui trocar alguns livros no sebo por livros e quadrinhos... Algumas edições de Conan e mangás, aos poucos vou completando minhas coleções...


Dentre os livros que consegui nessas trocas, estão vários títulos que há tempos venho procurando, e veio Isabel Allende, Luigi Pirandello, Françoise Sagan e Heitor Cony, além de Ferreira Gullar e Augusto dos Anjos. Ainda veio Roberto Freire, literatura francesa e russa, brasileira e mais um mangá [Video Girl Ai]. Lembrando que a cada sábado eu visito o sebo, e não trago tudo isso num dia só... 



Ainda nesse garimpo adquiri mais uma obra de J.R. R.Tolkien e um exemplar de O sertanejo, de José de Alencar. 


Ganhei do meu amigo Ireno um livro de poesias de uma amiga dele, intitulado Aprendiz de Poeta. A autora se chama Eliane Trindade. Já dei uma lida e adorei o que vi nele...

 

Mais alguns livros acrescentados ao meu acervo, com muito amor foram os títulos O bom médico, Juventude em êxtase [me atraí pela capa] e As bruxas de Eastwick, que há tempos eu queria ler pois lembro pouca coisa do filme que assisti na infância... 


Trouxe alguns por indicação de Ireno: O livro secreto de Dante, Antologia poética de Lêdo Ivo
A marca do zorro e Dona Sinhá e o filho padre. O Esboço para uma teoria das emoções, de Sartre,  veio de brinde, eu já tinha lido um tempo atrás mas vou reler pra trazer ao blog as impressões que tive dele...






Bem, resumindo: a caixa de correio lotada. [novidade... hahaha] Quais vocês desejam ver resenhados por aqui? Me contem nos comentários, adoro o feedback de vocês. Beijos, até a próxima... ^.~



Poemas escolhidos - Ferreira Gullar

| 06 outubro 2017 | 9 Comentários |
"Tão todo nele me perco
que de mim se arrebentam
as raízes do mundo;
tamanha
a violência de seu corpo contra
o meu,
que a sua neutra existência
se quebra:
e os pétreos olhos
se acendem;"

Organizado por Walmir Ayala e publicado pela Editora Nova Fronteira, Poemas escolhidos -Ferreira Gullar compila alguns dos melhores escritos do escritor maranhense. Seus textos trazem interessantes críticas político-sociais, com fervor característico de sua personalidade impregnando suas obras...


Ferreira Gullar foi exilado devido as suas convicções políticas e luta pela liberdade de expressão, chegando a viver na União Soviética por muitos anos. Já no fim de seus dias, sua ideologia sofreu uma transformação, certamente desiludido com fatos históricos que presenciou... 

"É que tenho vivido, e por isso quanta distância entre nós."

Poemas escolhidos possui uma cronologia sobre o autor, versos retirados de O vil metal, A luta corporal e Dentro da noite veloz, este último um de seus mais conhecidos livros. Gullar critica a desigualdade, fome e exploração do trabalho - O rico que muito tem, o pobre que tudo produz e tudo padece. 

"Quem é que rouba a essa homem
o cereal que ele planta,
quem come o arroz que ele colhe
se ele o colhe e não janta."

Sua escrita é pungente, seca, direta, sem preâmbulos. Foi um dos fundadores do gênero neoconcretista na poesia, movimento que se opunha ao concretismo ortodoxo, mostrando que a arte tinha sentimento, leveza e ia além do geometrismo, da ordem. 

Gullar é detentor de versos que transitam entre o sujo e o cristalino, lírica refinada e incorruptível, que incomoda e transcende. 


"O sexo da menina aberto ao verão recendendo como os cajus o inigualável sol da indecência."




╬† Literatura no Mundo ╬†

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Witches Hat
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...